Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

ELEIÇÕES 2022

CNN entra em briga com a Band por abertura de debate presidencial

REPRODUÇÃO/CNN BRASIL e BAND

Montagem de fotos com Monalisa Perrone (CNN Brasil) e Eduardo Oinegue (Band) no comando de debates eleitorais

Monalisa Perrone (CNN Brasil) e Eduardo Oinegue (Band) no comando de debates realizados em 2020

VINÍCIUS ANDRADE

vinicius@noticiasdatv.com

Publicado em 22/1/2022 - 7h00
Atualizado em 27/1/2022 - 11h29

A nove meses das Eleições 2022, as redes de televisão têm realizado encontros com partidos políticos para acertar o calendário de debates para presidente e governador. Na última semana, a CNN Brasil divulgou que será a primeira a mostrar um encontro entre presidenciáveis com os "candidatos oficiais", algo que desafia uma tradição da Band.

A emissora paulista tem como um de seus orgulhos jornalísticos abrir os debates televisivos, já que foi a primeira na história a realizar um confronto de ideias com concorrentes ao Planalto, em 1989.

Nos últimos anos, criou-se uma tradição de a Band abrir e a Globo fechar esses embates antes das eleições. Com a estreia recente de novos canais de notícias, como CNN Brasil (lançada em março de 2020) e Jovem Pan News (inaugurada em outubro de 2021), esse status ficou ameaçado.

Em novembro, a Band já havia divulgado que trabalhava junto aos partidos políticos com duas datas para os debates presidenciais: 4 ou 11 de agosto. No mês seguinte, a Jovem Pan informou que faria o seu encontro no dia 9 do mesmo mês.

A emissora da família Saad havia confirmado que a data fixada era o dia 4, mas na última quarta-feira (26) reviu seu cronograma e anunciou que faria o encontro no primeiro turno em 14 de agosto, um domingo, o que vai quebrar a sua tradição.

CNN desafia tradição

Antes de a Band mudar a data para o dia 14, a CNN Brasil vendeu que o seu debate seria "o primeiro com os candidatos oficiais". O canal de notícias usou o calendário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para fazer a divulgação.

Pelo cronograma oficial das eleições, os partidos têm o período entre 20 de julho e 5 de agosto para realizar convenções para escolher coligações e selecionar seus candidatos à Presidência da República e aos governos de Estado.

O debate da CNN está marcado para 6 de agosto --ou seja, um dia depois da data-limite para a definição de quem vai concorrer aos votos. Como ainda não existiam em 2018, ano das últimas eleições nacionais e estaduais, CNN e Jovem Pan News organizarão embates entre candidatos ao Planalto e ao governo do Estado pela primeira vez.

O canal de notícias vai se inspirar na matriz norte-americana para o formato, no qual os políticos respondem a perguntas feitas pelo moderador e, depois, discutem sobre o tema com mais profundidade.

No segundo turno, a CNN Brasil também conseguirá furar a Band, pois marcou o debate para um dia após a votação do primeiro turno --ambos serão realizados no Teatro Fecomércio, em São Paulo.

Em 2020, o canal de notícias já tinha promovido em confronto de ideias com candidatos a prefeitos de capitais como São Paulo e Rio de Janeiro. "Faremos um grande evento, um debate como nunca houve no Brasil", projeta Américo Martins, vice-presidente de Conteúdo.


Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Web Stories

+
Pão Pão, Beijo Beijo chega no Viva 39 anos depois: Quais atores já morreram?Resumo de Pantanal: Madeleine sofre tragédia, e Bruaca se choca com podridão do maridoGkay já fez harmonização facial? Veja antes e depois da influenciadoraNovela Pantanal: Descubra quem é Guito, o ator que interpreta Tibério na tramaEnquete: Barraqueiro x Sem graça - Vote no casal que vai gerar caos no Power Couple

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas