Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

EM DESGRAÇA

'Cancelado' por Hollywood, Globo de Ouro paga o preço por escândalo; entenda

Reprodução/YouTube

Emma Corrin durante exibição do Globo de Ouro 2021

Emma Corrin durante exibição do Globo de Ouro deste ano; evento de 2022 foi ignorado por artistas

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 13/12/2021 - 17h16

Antes considerado um dos prêmios mais importantes da indústria cinematográfica do mundo, o Globo de Ouro está pagando um preço altíssimo pelos escândalos divulgados no início deste ano. Cancelado por Hollywood, o evento foi completamente ignorado por artistas, estúdios e serviços de streamings que integram a lista de indicados à edição de 2022, divulgada nesta segunda-feira (13).

Em janeiro deste ano, uma reportagem do jornal Los Angeles Times revelou que a Associação da Imprensa Estrangeira de Hollywood (HPFA, na sigla original), organizadora do Globo de Ouro, não contava com membros negros há mais de 20 anos. A notícia caiu como uma bomba para a premiação, que sofreu retaliações de todos os lados.

Parceira de longa data do Globo de Ouro, a rede NBC optou por cancelar a transmissão da cerimônia em 2022 pouco após a exibição da edição deste ano. Durante a cerimônia, apresentadores e artistas indicados também citaram a falta de representatividade da entidade e cobraram mudanças significativas para os anos seguintes.

Nos meses seguintes à edição de 2021, a HPFA anunciou uma série de mudanças no seu estatuto para incluir mais diversidade e promover a entrada de novos membros. Cerca de 20 novatos se juntaram à entidade, e integrantes negros foram colocadas como responsáveis pela seleção.

Tais mudanças não foram o bastante para que o Globo de Ouro caísse novamente nas graças de Hollywood. Em contato com o site Deadline, um executivo não identificado detonou a decisão da entidade de promover a premiação mesmo após os escândalos do início de 2021.

"Isso [a divulgação dos indicados ao Globo de Ouro 2022] foi uma piada, uma patética tentativa de ganhar alguma credibilidade", disse o executivo, que segundo a publicação já levou uma estatueta da premiação na categoria de séries.

O ostracismo do Globo de Ouro é notório. Nem mesmo a Netflix, campeã de indicações para da edição do ano que vem, citou as nomeações ou o evento em suas redes sociais. Tradicionalmente, tanto artistas quanto os estúdios publicam mensagens de agradecimento logo após a revelação da lista.

De acordo com o Los Angeles Times, ignorar a premiação foi um consenso entre artistas, publicitários e estúdios. Eles consideraram que evitariam publicidade negativa --principalmente nas redes sociais-- no caso de promoverem o Globo de Ouro de qualquer maneira.

"Nós sempre apoiamos o Globo de Ouro enquanto organização, mas nós não queremos dizer simplesmente que alguém ganhou. Nós queremos que isso tenha algum significado. Nós queremos chegar a uma posição na qual não existam asteriscos ou quaisquer questionamentos acerca do prêmio ou da organização", declarou o representante de um grande estúdio à publicação.

Antes de anunciar os indicados ao Globo de Ouro 2022, Helene Hoehne, presidente da HFPA, destacou o ano difícil da entidade e anunciou que mais mudanças podem ser aguardadas para os próximos anos.

"Este foi um ano de mudança e reflexão para a HFPA. Trabalhamos durante oito meses. Ainda assistíamos à TV e filmes e ainda somos amantes do cinema, amantes da televisão. E nós [assistimos aos indicados] durante a reforma porque você pode fazer as duas coisas. Você pode reformar e ainda fazer seu trabalho no meio. Isso é o que estamos fazendo e é o que amamos fazer. Fazemos isso há 78 anos e continuaremos fazendo", pontuou.

O Globo de Ouro 2022 será realizado em 9 de janeiro e não será exibido na TV pela primeira vez em muitos anos após a rede NBC, tradicional parceira do evento, cancelar a transmissão com a divulgação do escândalo.

TUDO SOBRE

Globo de Ouro


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.