Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

'NÃO ESTOU PREPARADO'

Aos 76 anos, Ronnie Von vira youtuber com medo de haters e cancelamento

DIVULGAÇÃO

Ronnie Von na garagem de sua casa, em São Paulo, que virou cenário para o YouTube

Ronnie Von na garagem de sua casa, que virou cenário para o YouTube; veterano tem receio de haters

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 8/11/2020 - 6h55

Longe da televisão desde julho de 2019, Ronnie Von cedeu à pressão da família, do empresário e dos amigos e decidiu investir em um canal no YouTube. A empreitada é uma forma de o veterano de 76 anos se sentir ativo naquilo de que mais gosta e sente falta: a comunicação. No entanto, ele assume ser um novato no âmbito virtual e admite o temor da nova era: os haters e o cancelamento. "Tenho medo de tudo, de falar qualquer coisa", entrega.

O apresentador estreou o seu canal Garagem do Ronnie em 7 de outubro. Em um mês, produziu mais de dez vídeos para seus fãs, que estão saudosos de vê-lo na televisão. Como um bom youtuber, o eterno Pequeno Príncipe fez entrevistas, abriu a casa e escancarou a intimidade. Ensinou até a fazer drinques, pois tem curso de sommelier e bartender.

Segundo ele, a liberdade e o descomprometimento da internet o fisgaram. "Eu sempre trabalhei no canal dos outros. Só que agora é o meu. Então, eu não tenho que ouvir um ponto no meu ouvido, eu não tenho que ficar submetido a certas coisas que, eventualmente, eu não concordaria. Esse é o aspecto positivo. O outro é que eu, de fato, não entendo muito, né? Eu tenho que confessar a minha ignorância", conta ao Notícias da TV.

Entre as coisas que ele assume não compreender estão a atitude dos haters e o chamado cancelamento. Ao preparar o conteúdo, ele tem o cuidado de apurar com sua equipe se algo pode ser erroneamente interpretado. Ele teve temor, por exemplo, de mostrar o galinheiro que mantém em sua mansão no Morumbi, em São Paulo. O motivo? Um de seus galos foi batizado de Neymar. O medo era de que alguém se incomodasse com a homenagem.

Ronnie Von: vídeo com receitas de drinques para seu canal no YouTube (Foto: Divulgação)

"Trabalhar com comunicação é muito complicado. Ainda mais hoje em dia que não pode falar nada. Eu tenho muito receio de tudo. Hoje tudo gera uma culpabilidade do que você fala. De fato, eu não vivi isso. Muitas vezes, eu tenho medo. Nomeei o meu galo predileto de Neymar, porque tinha o cabelo parecido com o do jogador", explica.

Apesar do receio, Ronnie passou a ler os comentários de seus seguidores no YouTube. De lá, tem tirado sugestões de outros vídeos. Por enquanto, ainda não se deparou com os haters, mas assume não estar pronto para lidar com mensagens de ódio.

"Não estou preparado emocionalmente para o hater. É de uma agressividade, uma [crítica] muito ruim, muito rude, muito áspera. E as pessoas covardemente se escondem no anonimato. A crítica [do hater] é de destruição", analisa.

Por causa disso, o comunicador pediu ajuda de amigos famosos antes da estreia na web. Leda Nagle, que também tem um canal no YouTube, e Ary Fontoura, que faz sucesso no Instagram, o aconselharam e tiraram o pavor inicial do amigo.

Dinossauro no YouTube

Com mais de 50 anos de carreira, Ronnie tira de letra o funcionamento de uma emissora. Já redes sociais, métricas de audiência do YouTube, aumento de seguidores e número de visualizações fazem parte de um mundo totalmente novo para quem passou 15 anos à frente de um programa na TV Gazeta. Ele admite que está apanhando para entender o novo ofício de youtuber.

"É muito complexo. Cada dia tem uma novidade diferente e um novo tipo de mídia, um novo tipo de comportamento, uma ferramenta nova... Eu me embaralho muito nisso, tenho que confessar minha ignorância. Eu sou um dinossauro, afinal", diverte-se.

"Tenho essa dificuldade. Televisão para mim é uma brincadeira, tiro de letra, porque eu fui criado nesse ambiente. Eu sou filhote de televisão. Agora, em relação a essas coisas mais virtuais e imponderáveis, é complexo", declara, assustado.

Aos poucos, o apresentador tem assimilado as questões que envolvem a vida de influenciador digital. Por hora, ele se diverte até com a confusão que faz ao dizer um simples "se inscreva no meu canal".

"Vou confessar uma coisa: sinto, de certa forma, a juventude devolvida. Eu me divirto. Por exemplo: nas pautas que eu faço, muitas vezes, eu erro e me engano. Outro dia, eu disse 'arrasta aí'. E falaram: 'Não, Ronnie, não é arrasta, arrasta é outra coisa'. É outra mídia, em outra plataforma (risos). Eu disse: 'Deixa isso no ar'. É como se fosse um charme (risos)", conta.

Saudade da televisão

Apesar de estar confortável no YouTube, o apresentador assume que sente falta mesmo é de trabalhar na TV. Após ser dispensado da TV Gazeta, ele esteve a um passo de assinar com a Band, o que não se concretizou por causa da pandemia.

"Eu adoro televisão, eu tenho que confessar isso. Sinto muita falta. Tudo que eu consegui, materialmente, foi a música que me deu, não foi a televisão. Mas eu sempre gostei mais da televisão do que da música. Você acredita numa bobagem dessas? Acontece que eu fui inoculado por uma bactéria chamada 'TVcorpus' (risos). Não me deram antibiótico", declara, bem-humorado.

No início do ano, Von estava feliz com a proposta da Band, de um programa semanal às quartas-feiras. "Para mim era um prêmio, porque eu fazia diário, bastante cansativo. Aí [tem] conversa, reunião, aí vem o vice-presidente na minha casa, vem o diretor-geral na minha casa, aí conversa de novo... Bom, e aí veio a pandemia e parou tudo", lamenta.

Na quarentena, o comunicador viu seu desejo de voltar ao ar cada vez mais distante. Daí a ideia de lançar seu canal no YouTube. No entanto, ele avisa que sua meta mesmo é retornar para a TV. "Fiquei aberto para qualquer convite. Não ia ficar preso em um convite que não se resolve, não vai para frente e não vai pra trás. Muito pelo contrário, estou aberto para todas as emissoras", informa.

"Se vier [uma proposta de TV] agora, eu vou e faço. Eu estou no grupo de risco, mas não estou nem aí. Vou de máscara, faço e acabou. Não tem problema. Não posso viver sem televisão mais, está ficando muito chato já", revela.

Propostas concretas de uma emissora ainda não surgiram. No entanto, o apresentador fica satisfeito de ser lembrado no mercado. "Existe aquela coisa de sondagem. Aí vem o pombo-correio e fala: 'Nós estamos aqui com essa ideia, o que você acha?'. O que existe é sondagem. E aí, você diz: 'Poxa vida, estão me querendo. Que bom! (risos)'", comemora.

Confira videos do canal de Ronnie Von no YouTube:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?