Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FIQUE ESPERTO

De HD a 8K: Saiba como resolução da TV influencia na qualidade da imagem

FOTOS: REPRODUÇÃO

Casal comparando a imagem das TVs na loja

Casal comparando a imagem das TVs na loja: quanto mais alta a resolução, melhor a nitidez

EDUARDO BONJOCH

edubonjoch@gmail.com

Publicado em 20/5/2022 - 6h25

Ao pesquisar TVs de 39 a 43 polegadas, o consumidor encontra uma variação de preço de até R$ 1.000. Hoje, há modelos desse tipo custando de R$ 1.350 a R$ 2.400. Mas por que isso acontece se os televisores são praticamente do mesmo tamanho? A resolução da tela é o fator de maior peso no custo do produto e que mais interfere na qualidade da imagem.

As TVs de 32 polegadas à venda e os poucos modelos de até 39 polegadas trazem resolução HD, de 1.366 por 768 pixels, a mais limitada entre os televisores, que custam mais baratos. É inferior à tradicional Full-HD, de 1.920 por 1.080 pixels, adotada como padrão nas transmissões de TV digital aberta, nos canais de alta definição da TV por assinatura e nos principais serviços de streaming.

Embora a resolução mais baixa não faça tanta diferença nas telas menores, uma TV HD não é capaz de exibir esses conteúdos com toda a qualidade que oferecem. E o consumidor ainda corre o risco de levar para casa um televisor maior com definição inferior à de seu antigo modelo Full-HD de 32 polegadas, que era fácil de encontrar no passado.

A resolução está diretamente associada à nitidez. Quanto mais alta a definição da TV, maior o número de pontos na formação da imagem, permitindo exibir cenas mais reais e com riqueza de detalhes, até mesmo quando o telespectador está bem perto da tela.

TV 4K: opção ideal para telas com mais de 43" 

Full-HD ou 4K?

O primeiro ponto a avaliar é quanto você quer investir. A diferença de preço entre uma TV Full-HD de 40 polegadas e uma 4K de 43 polegadas com a mesma plataforma smart e aplicativos compatíveis pode ultrapassar os R$ 600.

O tipo de conteúdo que o consumidor costuma assistir é outra característica importante na hora de escolher. Se você passa a maior parte do tempo vendo canais da TV aberta e por assinatura e não se importa em acompanhar boa parte das suas séries favoritas na internet sem desfrutar da melhor resolução disponível, uma TV Full-HD consegue dar conta do recado.

Fãs de games e assinantes dos serviços de streaming que querem aproveitar a melhor qualidade da imagem têm mais a ganhar com uma TV 4K. A oferta de jogos com essa definição para PlayStation 5 ou 4 Pro e Xbox One X ou S está crescendo. O consumidor também já encontra boa variedade de filmes e séries, a maioria originais, na Amazon, Disney+, Apple+, HBO Max e Netflix, única que exige assinatura especial (e mais cara) para conteúdos em Ultra-HD.

É preciso considerar também o tamanho da TV. Quanto maior a tela, mais evidente a superioridade da resolução 4K (3.840 por 2.160 pixels), quatro vezes maior em relação à Full-HD, que deve ser evitada em televisores de 48 ou 49 polegadas. Essa definição só se sai bem em telas menores, de 40 a 43 polegadas.

O consumidor também precisa comparar os recursos disponíveis. As TVs Full-HD costumam vir com processadores mais modestos, que podem apresentar limitações nos recursos de inteligência artificial e lentidão no carregamento das funções smart. Poucos modelos, por exemplo, aceitam comandos de voz, característica que facilita as buscas de conteúdo nos serviços de streaming.

Nas TVs 4K, inclusive as mais baratas, a inteligência artificial ganha uma aplicação a mais: a capacidade de melhorar qualquer imagem exibida na tela, mesmo que de baixa resolução. Chamado de upscaling, esse recurso simula imagens Ultra-HD a partir de qualquer conteúdo, como programas de televisão e gravações antigas de família.

Em modelos 4K com mais de 50 polegadas, o pacote de funções que utilizam inteligência artificial é ainda mais completo. O televisor pode fazer ajustes automáticos de contraste, cor, brilho e áudio de acordo com a cena, o tipo de conteúdo exibido e até a luminosidade e os ruídos no ambiente.

Preço alto e pouco conteúdo atrapalham TV 8K

TV 8K vale a pena?

Na maioria dos casos, ainda não vale a pena comprar uma TV com resolução 8K. Os dois principais fatores são a falta de conteúdo disponível originalmente no formato e o alto preço desses televisores, que podem custar até três vezes mais na comparação com um modelo 4K de mesmo tamanho.

Disponível em TVs de 55 a 86 polegadas, a resolução 8K oferece 7.680 por 4.320 pixels, quatro vezes mais do que a 4K. Por isso, a precisão de cores e a nitidez saltam aos olhos, deixando qualquer imagem ainda mais próxima da realidade. Mas essa diferença fica mais visível nos conteúdos disponíveis originalmente nessa definição, que ainda são muito raros.

Hoje, quem compra uma TV 8K acaba se tornando refém do recurso de upscaling, que simula essa resolução a partir de filmes, séries, games e outros conteúdos gravados em outros padrões de alta definição. Quanto aos recursos, acabam sendo semelhantes aos das TVs 4K de alto padrão, o que ainda não justifica o maior investimento.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.