Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SITUAÇÃO DIFÍCIL

No Limite desperdiça última chance e fica a um passo de ser limado da Globo

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Fernando Fernandes com uma camisa cinza e apresentando o No Limite 6, da Globo

Fernando Fernandes no No Limite 6: reality vai mal de novo em 2022 e continuidade é ameaçada

GABRIEL VAQUER, colunista

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 20/5/2022 - 7h00

A Globo já não tem mais esperanças em relação à temporada 2022 de No Limite, que começou há três semanas. O programa não consegue vender um número considerado bom de cotas de publicidade e tem decepcionado na audiência mesmo com as reformulações na apresentação e no formato. Sua continuidade para a temporada de 2023 ainda será discutida internamente, mas a atração está na corda bamba.

A gota d'água foi na última terça-feira (17), com a transmissão dos jogos da Libertadores da América no SBT. Contra os jogos de Flamengo e Corinthians, o No Limite perdeu por cerca de 30 minutos em São Paulo e no Rio de Janeiro para a TV de Silvio Santos, que vive uma de suas piores fases da história nos números de audiência.

O reality registrou recorde negativo de apenas 14,6 pontos em SP --uma queda de 50% em relação a Pantanal, que marcou média de 28,9 neste dia. Em média, o programa da linha de shows que vem após a trama das nove perde entre cinco e seis pontos para a sua antecessora. O No Limite tem apresentado queda de mais 12 pontos em média.

No entanto, o que frustra a emissora, segundo apurou o Notícias da TV, é a incapacidade do No Limite de se mostrar um programa competitivo, rentável e que repercute nas redes sociais, tal qual é o Big Brother Brasil nos primeiros meses do ano. Mesmo com Pantanal entregando com dados acima dos 30 pontos, o programa tem média até agora de 16,7 na capital paulista.

Se no ano passado teve sete patrocinadores, o No Limite de 2022 só tem dois até o momento. E nenhum deles anunciou na temporada de 2021, tamanha a frustração das marcas em relação à entrega comercial realizada. O Comercial da Globo tenta impedir o prejuízo na correria, porém nenhuma empresa se mostra interessada até aqui.

Mas nem tudo são críticas. A direção da emissora elogia a escolha por Fernando Fernandes, ex-BBB e atleta paralímpico que assumiu o comando do programa. Diferentemente de André Marques, Fernandes demonstra energia e vontade de estar ali. Ele abraçou a chance e se se tornou boa opção para outras atrações.

A escolha do elenco também foi elogiada. O programa ficou mais quente e com mais cara de reality show. No entanto, a Globo vê um desgaste do próprio formato, que já está bem antigo --sua primeira edição foi ao ar em 2000, como primeira atração do gênero da TV brasileira na época.

Nas próximas semanas, a Globo vai discutir se continua com o programa para 2023 ou se o lima de vez da programação. A decisão precisa sair o quanto antes, já que as inscrições precisam ser abertas e a escolha do elenco é demorada. Internamente, a aposta mais forte é de que o reality não estará na grade do próximo ano.


Últimas de No Limite 6

Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.