Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SEGUNDA PARTE

Novo plano de vingança e busca por filho raptado ditam o ritmo no retorno de Lupin

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Assane Diop (Omar Sy) ri ao subir de escada em ambiente fechado e escuro segurando uma lanterna na mão direita

Assane Diop (Omar Sy) em novo capítulo de Lupin; cinco episódios inéditos estreiam na sexta (11)

LUÍS FELIPE SOARES

luis@noticiasdatv.com

Publicado em 7/6/2021 - 6h55

A jornada de vingança e de explicações desejadas por Assane Diop (Omar Sy) em Lupin será complementada a partir da próxima sexta (11). A segunda parte da primeira temporada da série está pronta para ser apresentada ao público com os novos planos do protagonista, a etapa será marcada pela procura de seu filho raptado.

A busca pessoal do Diop colocou em perigo sua família depois de ele pressionar pessoas ligadas à morte do pai, acusado injustamente no passado de ter roubado um valioso colar de uma família rica. Seu filho Raoul (Etan Simon) foi sequestrado por ordem de Hubert Pelligrini (Hervé Pierre). Ele se torna o grande vilão da trama, com esse gancho deixado para os episódios ainda inéditos.

A segunda etapa da atração começa com o protagonista apontado como o homem mais procurado de Paris (França), com seu rosto e nome estampados em jornais e na TV. Ele é acusado como o responsável pelo desaparecimento do colar 25 anos depois do sumiço da joia.

O rapto do garoto tem como objetivo fazer com que o personagem principal deixe seu esconderijo, com outro plano do discípulo do ladrão cavalheiro Arsène Lupin --protagonista de série literária francesa que inspirou a série.

"Tentamos misturar bastante o drama e a ação, mas sempre preocupados em deixar o material divertido. Com o tempo, a história de Assane se mostrou bem intensa e vamos atrás dessa intensidade, da conexão dele com o pai e a traição e, agora, com o desaparecimento do filho", explica George Kay, o criador e showrunner da série ao Notícias da TV em evento virtual de lançamento da segunda parte de Lupin realizado direto da França.

Já Omar Sy comenta que o fato de diferentes diretores assinarem os episódios rende muitas ideias para serem utilizadas.

"Temos tempo para poder brincar com o personagem de várias maneiras. George me chamou a atenção por trabalharmos com diferentes tons. É como uma montanha-russa. Como artista, acho ótimo. E vamos entrar em uma fase movimentada agora.

Ele lembra que parte das gravações ocorreram durante a pandemia da Covid-19, com detalhes do que tiveram que se acostumar nos bastidores.

"Havia poucas filmagens em Paris na mesma época e tínhamos certa liberdade, mas lidamos com todos os procedimentos. O hábito de usar máscara é marcante, porque todos precisam ficar protegidos e sempre tinha gente nova que chegava e era difícil reconhecer", conta o intérprete.

Cabeça lá na frente

Kay diz acreditar que a motivação para o desenvolvimento de Lupin nos passou pela tentativa de dar ao público um pouco de entretenimento --estima-se que cerca de 76 milhões de espectadores em todo o mundo acompanharam a fase inicial da atração.

"É importante retornar com o trabalho na medida do possível, mas nunca pensando como o serviço sendo o foco principal no meio dessa situação atual. Fazemos o programa para divertir o público", afirma o criador de Lupin.

Uma das atrações da história são os detalhes de Paris. A atriz Ludivine Sagnier, que interpreta Claire, ex-namorada de Diop, comentou que o fato da direção fugir de pontos turísticos ajudou na popularidade, inclusive entre os franceses.

"Acho que é meio difícil enfrentar uma audiência como a da França, mas representamos Paris de maneira realista. Passamos por grandes locações, mas também por muitos lugares que são típicos do dia a dia da cidade, não são cartões-postais. Isso ganha força com o público", diz a loira.

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Diop precisa proteger Claire e encontrar Raoul

Como assim?

Em geral, o trio pouco falou sobre o que os espectadores poderão ver nos novos episódios. O criador revelou que o drama familiar de Diop promete se intensificar.

Segundo Kay, "a família de sangue está em ponto de caos. Há a força da vingança do pai e a tentativa de ser um bom pai para Raoul. Ele [Diop] precisa pensar nas duas coisas ao mesmo tempo e os temas entram em conflito direto na segunda parte. Acredito que tudo ficou ainda mais pessoal para ele".

O protagonista aproveitou o gancho do showrunner para analisar a fragilidade do personagem principal. 

O lado escuro dele o deixa mais próximo do público, porque ele tem acertos e erros. Ele quer fazer as coisas certas, mas, às vezes, não faz da maneira correta. A vida dele é cheia de fracassos que fazem com que seja quem ele é. Adoro isso.

O elenco foi questionado sobre uma cena ou momento especial da segunda parte. "A ponte", aponta Ludivine, sem dar mais explicações. Sy logo concordou. "Também digo a ponte, porque vocês [o público] verão mais a nossa relação com esse cenário", comenta o ator.

Em brincadeira, a atriz pediu para que ele parasse de roubar suas respostas. "Desculpe, mas eu sou Lupin. É o que eu faço: eu roubo", encerra Sy.

Os cinco episódios inéditos serão lançados no catálogo da Netflix na próxima sexta-feira (11). O pacote inicial da história já está disponível na plataforma.

Antes mesmo da chegada da nova leva de material de Lupin, o streaming confirmou que uma terceira parte da saga será produzida, mas não revelou data de estreia.

Veja o trailer da segunda parte da primeira temporada:


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabiaElenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na política

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas