Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Recap S10E04

Negan salva outra vida, e Walking Dead fica sem saber o que fazer com vilão regenerado

Divulgação/AMC

Jeffrey Dean Morgan, o Negan de Walking Dead, cabisbaixo em cena do quarto episódio da décima temporada do drama zumbi

O ator Jeffrey Dean Morgan no quarto episódio da décima temporada de Walking Dead; vilão regenerado

JOÃO DA PAZ

Publicado em 27/10/2019 - 23h01

[Atenção: este texto contém spoilers]

Enquanto a iminente guerra contra os Sussurradores não explode de vez, The Walking Dead fica sem saber o que fazer com Negan (Jeffrey Dean Morgan). Ex-líder dos Salvadores, o vilão sanguinário voltou a mostrar traços de heroísmo e, para dar um nó na cabeça dos sobreviventes, salvou outra vida no quarto episódio da décima temporada, exibido na noite deste domingo (27).

Após livrar Aaron (Ross Marquand) da morte e salvar Judith (Cailey Fleming), agora chegou a vez de Negan proteger Lydia (Cassady McClincy). Ele impediu que um grupo de três valentões acabasse com a vida da garota em Alexandria, na calada da noite. Tudo bem que durante o rebuliço, um acidente ocorreu e Margo (Jerri Tubbs), a mulher dessa turma briguenta, morreu ao ser empurrada por Negan contra a parede.

Boa parte dos moradores de Alexandria não acreditou que Negan salvou Lydia e que ele não foi culpado pela morte de Margo. O caso foi parar no conselho da comunidade, e lá se deu um debate sobre poupar Negan ou não. Até Aaron, que experimentou a benevolência de Negan, argumentou contra o vilão, dando eco a quem duvida de sua redenção.

"Eu entendo porque algumas pessoas acham que Negan é outra pessoa. Eu mesmo cogitei isso", assim Aaron começou o seu discurso. "Ele pode ter mudado, sim. Mas um homem como aquele, que fez as coisas que ele fez, matou as pessoas que matou... Alguma coisa dentro dele não tem conserto. Temos de encarar esse fato."

O padre Gabriel (Seth Gilliam), presidente do conselho, ficou em cima do muro. Ele pediu a opinião de Daryl (Norman Reedus), que trouxe para a mesa o voto de Michonne (Danai Gurira), então enrolada com uns problemas na colônia Hilltop --ela foi favorável ao prisioneiro.

Via rádio, Daryl informou à colega que "dessa vez, Negan está do lado da verdade", pois o vilão confessou ao galã do apocalipse zumbi que não teve intenção de matar ninguém, só de salvar Lydia. E a garota também disse para Daryl que ela estaria morta se não fosse o ato heroico de Negan.

Gabriel adiou a decisão sobre o que fazer com Negan. Essa guinada na jornada do vilão embaralhou os alicerces de Walking Dead, pois um dos personagens mais sanguinários de toda a série toma atitudes virtuosas, que ao menos em uma análise primária indica uma regeneração. Mas há como confiar plenamente e lhe dar uma segunda chance?

Tudo o que envolve Negan nessa décima temporada é interessante, pois coloca os sobreviventes de Walking Dead, tratados como heróis, em uma posição frágil, agindo como vilões impiedosos, essencialmente.

É o dilema que o próprio Aaron discutiu com Michonne na estreia da décima temporada, acerca de quem são os verdadeiros mocinhos da trama. Vale ressaltar que, talvez com exceção das crianças, não existe uma única pessoa na série que seja imaculada ou nunca tenha feito nada grave.

Sobre a segunda chance de Negan: essa resposta ficará um tempo em aberto porque antes mesmo do padre Gabriel bater o martelo para definir o destino do vilão, ele fugiu de Alexandria no final do episódio. Ao menos por enquanto, ninguém sabe para onde Negan foi nem quem o ajudou a escapar.

Romance de outro universo

The Walking Dead está em uma guerra fria, entre os Sussurradores e os sobreviventes. A colônia de Hilltop foi atacada, provavelmente pelo grupo liderado pela vilã Alpha (Samantha Morton), e os moradores da comunidade tiveram de matar zumbis que partiram em direção ao muro do local, truque que a série não se cansa de repetir.

Frustrado como as coisas estão se desenrolando, Ezekiel (Khary Payton) deixou a comunidade para cometer um suicídio. Michonne avistou ele sozinho e o resgatou. Abraçados, o rei tascou um beijo na guerreira.

A cena foi uma referência à HQ homônima, na qual Walking Dead se baseia. Na publicação, os dois personagens formaram um casal. A série aproveitou o momento para fazer uma piadinha.

Michonne não ficou revoltada com a ousadia de Ezekiel, apenas aceitou seu pedido de desculpa e os dois acabaram conversando sobre o beijo. Ela foi sincera ao dizer que um romance entre "duas pessoas teimosas nunca daria certo". O rei devolveu: "Talvez em um outro universo".

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Quem deve ser a nova Juma Marruá?