SEGUNDA CHAMADA

Nanda Costa defende aborto de personagem em nova série da Globo: 'Nossos direitos'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

A atriz Nanda Costa como a personagem Rita em cena de Segunda Chamada, nova série da Globo

Nanda Costa será Rita na série Segunda Chamada: atriz defende escolha de abortar de sua personagem

REDAÇÃO - Publicado em 07/10/2019, às 09h36

Em Segunda Chamada, nova série da Globo, Nanda Costa interpretará Rita, uma mãe de três filhos que decide tomar um abortivo após descobrir uma quarta gravidez indesejada. A atriz defende que as mulheres deveriam ter a escolha de ter ou não um bebê. "Eu luto pela preservação dos nossos direitos, especialmente pelos direitos das mulheres", pontua ela, que em breve estará no ar na novela Amor de Mãe, substituta de A Dona do Pedaço.

Em entrevista ao jornal O Dia, a atriz fala sobre a personagem que tenta ligar as trompas pelo SUS (Sistema Único de Saúde), porque já passa por muitas dificuldades. Além de ser mãe de três crianças, ela trabalha de dia e estuda no período noturno --tudo em busca de um futuro melhor.

"Ela não tem como ter mais um filho. Acredito que ela não viu outra opção", avalia a atriz. "Não é possível permanecer de olhos fechados para esse número absurdo de mulheres que perdem a vida ou se mutilam em clínicas clandestinas de aborto", defende Nanda, que também é feminista na vida real. 

A série retrata a realidade de jovens adultos que tentam conquistar o diploma do ensino médio na fictícia  Escola Estadual Carolina Maria de Jesus. A intérprete de Rita acredita que o público se identificará com a história sofrida da personagem. 

"Rita é uma mulher que se tornou mãe muito cedo e que teve a vida redesenhada a partir disso. O Brasil é muito amplo. Existem milhares de tipos de mulheres. Rita é o retrato de uma delas", destaca Nanda, que se viu interpretando, em partes, a própria mãe. 

"A Rita mexeu muito comigo. A maternidade precoce me conectou à história da minha mãe, que também engravidou muito nova. Foi interessante me utilizar desta conexão com a minha vida, com a vida real", completa.

Outros personagens da série também trazem histórias próximas à realidade brasileira, como a travesti Natasha (Linn da Quebrada), que sofre preconceito para conseguir estudar e viver um amor; a Gislaine (Mariana Nunes), uma mãe que se prostitui para sustentar a família; o Maicon Douglas (Felipe Simas), motoboy e pai de três crianças; a Solange (Carol Duarte), que se vê obrigada a levar seu bebê para as aulas, já que não tem com quem deixá-lo; entre outros.

"A série tem essa força do brasileiro de acreditar, de tentar fazer diferente e de querer mudar a própria história", finaliza Nanda, que se emocionou com todas as histórias e temas debatidos na trama, como transfobia, tráfico de drogas e violência. 

Segunda Chamada estreia nesta terça (8), no Globoplay, e terá Débora Bloch como protagonista, vivendo a pele da professora Lúcia. Persistente, a personagem tem como objetivo de vida formar seus alunos do ensino noturno. 

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está curtindo o programa Se Joga?
Sim, é divertido e leve.
22.27%
Não é horrível, mas também não é bom.
26.34%
Não, achei muito ruim, uma vergonha.
27.00%
Prefiro A Hora da Venenosa.
24.40%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook