Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

DAVID JUNIOR

Médico em Sob Pressão, ator rompe preconceito: 'Salvar vidas e não tirar'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

O ator David Junior olha para a câmera, com marcas vermelhas e profundas no rosto, caracterizado como Mauro em cena de Sob Pressão: Plantão Covid

O médico Mauro (David Junior) com as marcas deixadas pelos EPIs em Sob Pressão: Plantão Covid

DANIEL FARAD, do Rio de Janeiro

vilela@noticiasdatv.com

Publicado em 7/10/2020 - 6h55

Por trás de face shields e máscaras N95, David Junior reconhece a importância de aparecer aos olhos do público como o médico Mauro de Sob Pressão: Plantão Covid. Afinal, a escalação representa uma quebra no preconceito estrutural que há na televisão, em que atores negros comumente são relegados a papéis que associam essa parcela da população à criminalidade.

"A síntese desse projeto é estar fora do estereótipo, salvar vidas e não tirar", avalia o artista que, junto com Roberta Rodrigues, é um dos reforços dos episódios especiais sobre a pandemia de coronavírus (Covid-19). Os dois, aliás, estão confirmados para a quarta temporada --prevista para 2021.

O intérprete afirma que há uma urgência em dar representatividade a pessoas negras em papéis de protagonismo, sobretudo em personagens com graduação acadêmica. "Eu mesmo, como morador da Baixada Fluminense, tive dificuldade de me ver como um médico", revela.

O galã explica que, assim como ele, muitos de seus amigos sempre viram o curso de Medicina como um teto de ascensão social praticamente inalcançável. "É uma faculdade cara, em tempo integral, e as pessoas ali tinham que trabalhar para estudar. Ou seja, era completamente inviável", pondera.

Ele aponta ainda que a trama explora a questão da representatividade a fundo, até mesmo em pequenos detalhes. Um pormenor em sua caracterização passará em brancas nuvens para parte dos telespectadores, mas tocará em questões importantes dentro da negritude.

"O Andrucha Waddington [diretor] me permitiu continuar com o meu corte [de cabelo], o que é muito simbólico para nós. O meio dramatúrgico nos molda diante do público, então se tiver o cabelo assim ou assado pode passar certa imagem ou mensagem. Durante anos eu tive que raspar o cabelo para me transformar em uma pessoa invisível, para não passar em um radar negativo", diz.

A inspiração para Mauro, aliás, vem de um amigo cabo-verdiano que se tornou chefe em um hospital de referência no Maranhão. "Foi uma das primeiras pessoas que eu quis conversar, porque alguns pacientes não aceitam serem atendidos por um negro. Ele precisou aprender a se impor", arremata David, que recentemente viveu o protagonista Ramon de Bom Sucesso (2019).


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?