Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

FENÔMENO DA NETFLIX

A Máfia dos Tigres 2: Sem Joe Exotic, série retorna com foco em 'vilões'

Divulgação/Netflix

Jeff Lowe em cena de A Máfia dos Tigres 2

Jeff Lowe em cena de A Máfia dos Tigres 2; rival de Joe Exotic é um dos destaques dos novos episódios

ANDRÉ ZULIANI

andre@noticiasdatv.com

Publicado em 23/11/2021 - 6h30

Sensação da Netflix em 2020, A Máfia dos Tigres foi uma das produções que mais movimentou o público nas redes sociais durante o início da quarentena causada pela pandemia de Covid-19. Quase um ano e meio depois, a série premiada no Emmy retorna com novos episódios sem a presença constante de Joe Exotic e com o foco voltado para seus "vilões".

Por se tratar de uma produção que aborda a exploração e o tráfico de animais nos Estados Unidos, é necessário pontuar a necessidade das aspas na expressão vilões. Apesar de ter sido alçado ao estrelato e ganhar o carinho de milhões após o sucesso da primeira temporada, Joe Exotic não é o mocinho de sua história. Preso após ser acusado de mandar matar a sua maior rival, o "herói do povo" tem tantos pecados quanto seus antagonistas.

Na tentativa de surfar na onda da popularidade da série e de seu protagonista, a Netflix decidiu dissecar (mais uma vez) o mundo de Joe Exotic e o que aconteceu com seus personagens após o sucesso estrondoso de A Máfia dos Tigres. Pessoas até então desconhecidas se tornaram astros do dia para a noite e, claro, alguns conseguiram capitalizar em cima desta mudança.

Apesar de manter a qualidade da apuração minuciosa demonstrada no primeiro ano, A Máfia dos Tigres 2 tem muitas dificuldades para justificar a sua existência. Sua temporada de estreia abordou mais de uma década da história de Joe e de outros donos de zoológicos privados nos EUA, e encerrou a sua história com a prisão do protagonista.

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Carole Baskin retorna nos novos episódios

Carole Baskin retorna nos novos episódios

Com Joe atrás das grades, a série da Netflix precisa encontrar novos enfoques para mostrar ao público que ainda tem mais laranjas para espremer neste suco. Mais cinco episódios foram produzidos, todos trazendo de volta os rostos que mais se destacaram na primeira temporada. O resultado, no entanto, pode parecer decepcionante para muitos.

O primeiro capítulo trata quase inteiramente do efeito que A Máfia dos Tigres teve sobre seus personagens, a maioria dos quais aparentemente passou os dias mais sombrios da pandemia ignorando-a completamente e cobrando multidões de fãs por selfies. Personalidades como Carole Baskin, que até então não habitava o mundo das celebridades, chegou a participar do Dancing With the Stars, versão estadunidense da Dança dos Famosos.

Ao mesmo tempo, Joe e seus aliados entraram em uma jornada para conseguir o perdão presencial no ex-presidente Donald Trump. Sua participação na série se limita a pequenos vídeos em salas de interrogatório enquanto conversa com a produção via telefone. 

Dos cinco episódios inéditos, é justo falar que Joe é o protagonista de apenas um. O restante resgata a jornada de Carole, ativista perseguida por ele durante anos, e Jeff Lowe, seu ex-sócio que acabou herdando o zoológico após a sua prisão --e descrito por muitos como o conspirador que arquitetou o cárcere.

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Joe Exotic dá entrevista da cadeia

Joe Exotic dá entrevista da cadeia

O problema é que não há tantas histórias para serem contadas em A Máfia dos Tigres 2. Além de atualizar o público sobre a atual situação de Joe e Lowe, a série volta a um dos principais tópicos do primeiro ano para tentar encontrar um novo detalhe que justificasse a sua produção: um estudo completo sobre o desaparecimento misterioso de Don Lewis, ex-marido de Carole.

Neste ponto, a atração abandona o espírito "alegre" ao mostrar a realidade dos personagens da primeira temporada para se tornar uma série documental sobre "true crime", ou seja, produção sobre crimes baseados em eventos reais e que se tornaram muito populares pela Netflix.

Ao finalizar o enredo sobre Carole e Lewis, a segunda temporada volta a falar sobre o que fez tão bem no primeiro ano: o descaso e os perigos envolvendo as vidas de animais silvestres nos Estados Unidos. Neste enfoque, os criadores Rebecca Chaiklin e Eric Goode mostram que os problemas se estendem à negligência do governo norte-americano sobre o tema, e introduz novos personagens tão bizarros quanto Joe e Lowe.

No final, A Máfia dos Tigres 2 é capaz de agradar aos fãs que ficaram deslumbrados com o submundo do tráfico de felinos e os personagens que o comandavam. Mas, se comparada à primeira versão, a nova temporada fica muito aquém do entretenimento desejado para a sequência de um dos maiores fenômenos já vistos em um serviço de streaming.

Assista ao trailer de A Máfia dos Tigres 2:


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.