Novo streaming

Com apenas uma série de apelo, YouTube Premium chega ao Brasil por R$ 21

Imagens: Reprodução/YouTube

O ator William Zabka, o eterno carateca Johnny Lawrence, na primeira temporada da série Cobra Kai - Imagens: Reprodução/YouTube

O ator William Zabka, o eterno carateca Johnny Lawrence, na primeira temporada da série Cobra Kai

JOÃO DA PAZ - Publicado em 27/09/2018, às 06h22

Chegou nesta semana ao Brasil o streaming YouTube Premium, plataforma da rede social que disponibiliza produções originais. O problema é que o preço da mensalidade (R$ 20,90), dois reais mais caro do que o Globoplay, não é uma pechincha pelo o que o serviço entrega. Há somente uma série de apelo, que continua a história da franquia Karatê Kid.

Chamada de Cobra Kai, a atração está na lista dos sucessos inesperados deste ano. Chegou a ser a série de streaming mais vista nos Estados Unidos na segunda semana de lançamento (6 a 12 de maio), batendo a popular 13 Reasons Why e a premiada The Handmaid's Tale. Desde a estreia, o público norte-americano consumiu mais de 1 bilhão de horas da série.

Composta de dez episódios com meia hora de duração cada, a primeira temporada de Cobra Kai traz de volta os personagens que fizeram Karatê Kid entrar para o rol dos clássicos do cinema: Daniel LaRusso (Ralph Macchio) e Johnny Lawrence (William Zabka). A série já está renovada para um segundo ano.

Como alento, o assinante do YouTube Premium pode ver todos os vídeos do site sem ser interrompido por anúncios, além de fazer downloads. Fora isso, ganha acesso a uma plataforma de streaming de músicas, como o Spotify.

Uma em quase cem
Somando atrações a serem lançadas ainda neste ano, o cliente do YouTube Premium terá à sua disposição 89 produções, entre séries, realities, filmes, animações e documentários. Todas têm legendas em português, sem dublagem. Lançada nos Estados Unidos em 2014, a plataforma está se espalhando aos poucos no mundo. O Brasil é o 22º país a recebê-la.

Os primeiros quatro anos do serviço foram um experimento do que está por vir, e Cobra Kai foi uma grata surpresa. O YouTube não tem a ambição de ser uma Netflix. O propósito é ser uma opção para o público que cada vez mais procura conteúdo sob demanda, para assistir quando bem entender.

"Nós não iremos gastar enormes quantias de dinheiro para fazer uma Game of Thrones ou Westworld", avisou Susanne Daniels, chefe global de conteúdo original do site, no seminário da TCA (Associação dos Críticos de Televisão dos Estados Unidos).

"Acreditamos que é possível produzir programas de qualidade com pouco investimento, porque não é o gasto que faz uma coisa ser melhor do que a outra.”

O plano do YouTube é diversificar o catálogo. Quem se aventurar pela plataforma (os três primeiros meses de assinatura são grátis) vai encontrar desde um documentário do grupo de K-pop sensação do momento (BTS) a um drama inspirado nos filmes Ela Dança, Eu Danço (Step Up: High Water).

Há ainda reality shows de competição e uma comédia na qual o trio de mulheres protagonistas marca encontros com todos os matches que dão no Tinder (aplicativo de paquera).

Atriz que viveu a selvagem Osha em Game of Thrones, Natalie Tena está no drama Orgin

Em novembro, entra na plataforma o projeto mais ambicioso da rede social até agora. Intitulado de Origin, o drama feito por produtores de The Crown e Lost tem como protagonistas Tom Felton (Flash) e Natalia Tena (Game of Thrones), ambos do elenco da franquia Harry Porter.

Origin narra a história de um grupo de estranhos que desejam recomeçar a vida em um planeta distante. Porém, a nave espacial se perde, e os sobreviventes devem encontrar um jeito de sair dessa enrascada a qualquer custo. É com essa a produção que o YouTube pretende causar um burburinho em Hollywood.

Nessa fase de expansão, o YouTube encomendou projetos assinados por grandes nomes, como Jordan Peele, George Clooney, Robert Downey Jr., Kevin Hart e Will Smith. Até o jogador LeBron James está nessa turma. E o site fez parcerias com estúdios de alto calibre, do nível de Lionsgate, Universal e Sony Pictures.

No comando disso tudo está Susanne Daniels. Poderosa na indústria de entretenimento norte-americana, ela tem mais de 25 anos de experiência trabalhando na direção de programação de redes como NBC, ABC e Fox. Susanne também chefiou a divisão de Entretenimento da CW e dos canais Lifetime e MTV.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Que destino Fabiana deve ter em A Dona do Pedaço?
Morrer, essa aí é tão mau-caráter que não tem salvação
15.22%
Ir para a cadeia e pagar por todas as maldades que cometeu
42.85%
Virar boazinha e ajudar Maria da Paz a derrotar Josiane
13.41%
Voltar para o convento de onde nunca deveria ter saído
28.52%

Últimas notícias

Notícias da TV
Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook