Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NOVELA NÃO DECOLOU

Incêndio, ator desistente, 'robô' e novo autor: a maldição de Deus Salve o Rei

Marília Cabral/TV Globo

Marina Ruy Barbosa e Romulo Estrela são os mocinhos de Deus Salve o Rei: trama medieval não pegou - Marília Cabral/TV Globo

Marina Ruy Barbosa e Romulo Estrela são os mocinhos de Deus Salve o Rei: trama medieval não pegou

LUCIANO GUARALDO

Publicado em 8/4/2018 - 8h05

A notícia de que o autor Ricardo Linhares foi convocado pela Globo para corrigir as falhas de Deus Salve o Rei é apenas o espinho mais recente na novela das sete. Desde antes de entrar no ar, a obra de Daniel Adjafre já dava indícios de uma maldição medieval: o ator Renato Góes desistiu de viver o protagonista Afonso logo no primeiro dia de gravações e um incêndio destruiu boa parte de um estúdio dois meses antes da estreia.

Para piorar, depois da estreia vieram uma chuva de críticas: da atuação robótica de Bruna Marquezine à falta de história, nada foi poupado. A Globo mandou Adjafre reescrever dois blocos inteiros para que a trama entrasse nos eixos, como antecipou o Notícias da TV com exclusividade. Não funcionou.

Até o momento, Deus Salve o Rei tem audiência média de 25,1 pontos na Grande São Paulo. Está acima de fracassos como Além do Horizonte (2013) e Geração Brasil (2014), mas perde para as recentes Pega Pega (2017) e Rock Story (2016).

Para a Globo, o problema maior nos números da novela é a oscilação: na estreia, a trama marcou 29,3; no último dia 24, teve apenas 21,1 pontos; e, no dia 31, foi menos vista do que Orgulho e Paixão (embalada pelo primeiro jogo da final do Paulistão).

Confira cinco momentos amaldiçoados de Deus Salve o Rei: 

maurício fidalgo/tv globo

Renato Góes em cena de Os Dias Eram Assim: descontente com Afonso, ele largou a gravação

Pulou fora do barco
Renato Góes foi escalado para viver Afonso depois de um bom desempenho como protagonista de Os Dias Eram Assim, mas sua participação na novela das sete durou pouco. No primeiro dia de gravação, ele se desentendeu com o diretor Fabrício Mamberti. Disse que esperava mais de seu personagem e deixou as gravações.

Em entrevista ao Notícias da TV em dezembro, Góes confirmou o climão com o diretor, mas minimizou a briga. "Ele [Mamberti] sentiu que eu estava cansado. Em uma conversa, decidimos que era melhor me afastar, me preservar", relatou.

Com a saída do protagonista, Romulo Estrela foi promovido ao papel de Afonso. Antes, ele interpretaria Tiago. Em questão de horas, passou de irmão de Amália (Marina Ruy Barbosa) a par romântico da ruiva. O papel coadjuvante ficou com Vinicius Redd, que protagonizou Além do Horizonte, outra novela maldita na Globo. 

reprodução/tv globo

Dois meses antes da estreia, incêndio destruiu parte da cidade cenográfica da novela das sete

Fogo no estúdio
Em 9 de novembro, um dos galpões usados como cenário e depósito da novela pegou fogo. O incêndio destruiu cenários e objetos de cena. Para evitar novos problemas, a Globo eliminou da novela sequências que envolvessem fogo, como jantares à luz de velas. Depois, a ordem caiu: um capítulo exibido em fevereiro mostrou Afonso arriscando sua vida para salvar plebeus em uma casa em chamas.

Rosamaria Murtinho, de 82 anos, era uma das atrizes que estava trabalhando no momento do incêndio. Intérprete da rainha Crisélia, ela foi tirada às pressas do local por dois funcionários da produção antes que as labaredas se alastrassem.

A veterana continuou a gravar sua participação mesmo com pneumonia. "Não tive alta [médica], vou fazer uma tomografia computadorizada para ver como está o pulmão. Sou maluca, mas não é porque que quero ser heroína ou bacana, trabalho porque me sinto bem", contou ela ao Notícias da TV em dezembro.

paulo belote/tv globo

Bruna Marquezine interpreta Catarina, a primeira malvada de sua carreira: atuação robótica

Robô Marquezine
Catarina, a primeira vilã da carreira de Bruna Marquezine tinha tudo para ser um sucesso. A atriz chegou a dizer que era difícil sentir tanto ódio, mas que estava se deliciando com a possibilidade de interpretar alguém que não gosta de ninguém.

Quando a novela estreou, porém, ficou claro que havia algo errado na atuação da jovem de 22 anos. Com uma voz extremamente grave e monótona, e sem apresentar expressões faciais, Bruna foi comparada a um robô.

O diretor Fabrício Mamberti assumiu a culpa pela interpretação de Marquezine e a Globo exigiu que ele desativasse a robô. As atuações impostadas, que pareciam seguir um tom mais teatral, foram suavizadas e ganharam naturalidade.

maurício fidalgo/tv globo

Estadia de Lucrécia (Tatá Werneck) no convento será encurtada para voltar ao núcleo central

Blocos reescritos
Descontente com os rumos que a novela estava tomando, a Globo tomou uma decisão mais drástica: devolvou dois blocos inteiros para Daniel Adjafre reescrever. A proposta é focar a história no triângulo formado por Amália, Afonso e Catarina, com contribuições de Rodolfo (Johnny Massaro) e Lucrécia (Tatá Werneck).

Aliás, a passagem da ex-rainha de Montemor pelo convento será encurtada para que ela volte logo ao núcleo central da novela, no lugar de ficar em uma trama paralela que pouco acrescenta à história de Deus Salve o Rei.

Como as gravações da novela estão adiantadas, as mudanças começarão a ser sentidas de verdade no capítulo do dia 16. Personagens coadjuvantes perderão espaço. Outros podem até ser eliminados da novela de vez. Cenas cômicas e sem propósito para a trama, chamadas pela Globo de "esquetes", também serão limadas.

divulgação/tv globo

Ricardo Linhares (à esq.) foi convocado para fazer intervenções no texto de Daniel Adjafre

Intervenção de Linhares
O golpe mais recente da maldição de Deus Salve o Rei aconteceu nesta semana: o veterano Ricardo Linhares foi escalado para intervir no texto do novato Daniel Adjafre, que assina sua primeira novela como autor principal. A emissora concluiu que o escritor precisa de uma mão mais firme para ajudá-lo a conduzir a trama.

Autor da minissérie inédita Se Eu Fechar os Olhos Agora, Linhares não assina uma novela na Globo desde Babilônia (2015), que dividiu com Gilberto Braga e João Ximenes Braga. A criticada produção sofreu diversas intervenções da direção de Dramaturgia da emissora, com mudanças nos perfis dos personagens e a eliminação de tramas controversas, como a prostituição da personagem de Sophie Charlotte.

Depois, Linhares também foi convocado para colaborar com A Lei do Amor (2016), mas não conseguiu colocar a confusa novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari nos eixos. A expectativa é de que ele se saia melhor com Deus Salve o Rei.

Últimas de Deus Salve o Rei


Outras Novelas

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você já tem seu favorito em A Fazenda 12?