SAIU DA GELADEIRA

Vera Fischer assume culpa por afastamento da Globo: 'Sofri as consequências'

SÉRGIO ZALIS/TV GLOBO

Vera Fischer como Ana Tanquerey, personagem em Malhação que marca seu retorno às novelas - SÉRGIO ZALIS/TV GLOBO

Vera Fischer como Ana Tanquerey, personagem em Malhação que marca seu retorno às novelas

GABRIEL PERLINE - Publicado em 09/04/2018, às 05h49

Vera Fischer, enfim, saiu da geladeira da Globo. Após cinco anos de castigo, provocado pelas reclamações públicas feitas ao texto de Gloria Perez por conta da trajetória de sua personagem na novela Salve Jorge (2012), ela entrou em Malhação - Vidas Brasileiras no capítulo desta segunda-feira (9) e se diz consciente de sua parcela de culpa pelo afastamento da TV. "Sofri as consequências", assume ao Notícias da TV.

"Normalmente, temos a mania de culpar o outro por nossos problemas. Estou com 66 anos e passei por muita coisa. Sou uma mulher experiente, e a essa altura da vida muito consciente da minha parcela de culpa em cada situação. Não é demérito assumir seus erros e evoluir com as consequências. Não tenho vergonha disso, porque me fez uma mulher melhor", avalia.

Na época de Salve Jorge, Vera foi alvo de brincadeiras nas redes sociais pelo fato de sua personagem, a cafetina Irina, aparecer sentada atrás de uma mesa em todas as cenas. A campanha "Levanta Irina" tomou força e a autora, Gloria Perez, fez a atriz aparecer de corpo inteiro pela primeira vez apenas na reta final da trama. Vera, novamente, virou piada na web por ter ficado de pé.

Embora sua participação em Malhação dure poucos episódios (deverão ser só cinco), Vera já tem outros dois trabalhos engatilhados na Globo.

Ela fará uma participação em Assédio, série que a emissora prepara para um novo serviço de streaming e que contará as farsas e crimes cometidos pelo médico Roger Abdelmassih, e também garantiu um personagem fixo em Espelho da Vida, novela de Elizabeth Jhin que substituirá Orgulho e Paixão na faixa das 18h.

"É o meu retorno triunfal, um ano maravilhoso e o primeiro do resto da minha vida. 2018 é meu ano e eu disse que seria assim desde o ano passado. Sou determinada. Cada vitória é comemorada. Enxergar isso dessa forma é gostoso e há muito tempo não me sentia assim. É um recomeço mesmo", diz.

A entrevista com Vera Fischer foi realizada por e-mail. Confira a íntegra:

Como soube que atuaria em Malhação - Vidas Brasileiras?
O Pedro [Loureiro], meu empresário, me ligou e disse que tinha uma novidade. Queria me contar ao vivo, porque estava curioso para saber minha reação. Foi um suspense e quando me falou do convite foi uma farra. Olha, eu adorei. A Malhação tem essa coisa de conectar os jovens à gente da minha geração. O momento não poderia ser melhor para mim. Atuar com essa mescla de jovens e gente experiente foi ótimo.

Como você se sentiu ao ser convidada?
Bem, me senti bem. Uma boa oportunidade de retomar a forma para essa maratona que é fazer TV.

Pode falar um pouco sobre sua personagem? Quem é Ana Tanquerey e qual o motivo da entrada dela na história?
Ah, o motivo da minha personagem na história somente a autora Patrícia [Moretzsohn] poderá responder. Aliás, que menina boa. Escreve muito bem. O time é ótimo. A Natalia Grimberg [diretora], o Daniel Ortiz [supervisor de texto], todos comprometidos com os assuntos da atualidade. Eles tocam mesmo na polêmica e isso ajuda o público a entender melhor o que se passa no país. Novela tem essa função.

A outra pergunta é sobre a Tanquerey? Ela é uma socialite, uma dondoca que promove festas, jantares, que vive entre os milionários e tem uma rivalidade e rabo preso com a personagem da Ana Beatriz [Nogueira]. Ana está ótima na novela.

Você participa de quantos episódios?
Acho que quatro ou cinco, se não me engano. Gravei várias cenas, em cenários diferentes e com vários figurinos, mas não sei como isso será dividido em episódios.

E como é sua relação com Ana Beatriz Nogueira? São amigas fora da TV? Como foi contracenar novamente com ela?
Ana é um amor. Somos amigas há muitos anos. Fizemos novelas juntas e nos divertimos nas gravações. Voltar a gravar com ela dessa vez foi ainda mais divertido. Já conhecíamos uma a outra, então foi rápido. Mal acabavam as cenas e já começávamos a sessão de fotos. Ela está ótima no papel. Não seria diferente. 

ALEX CARVALHO/TV GLOBO

Vera Fischer interpretou a cafetina Irina em Salve Jorge (2012), sua última novela na Globo

Você sempre foi muito requisitada para trabalhos na Globo, mas ficou cinco anos sem atuar na TV. Como foi esse período para você?
Olha, foi sabático. Foi importante para me reencontrar com uma Vera que fui deixando de lado com os anos, com a companhia de pessoas que não me faziam bem e eu não percebia. Foi uma das melhores oportunidades da minha vida. Ter tempo para me amar, me conhecer, amadurecer. No meio tempo eu me dediquei ao teatro, aos meus projetos pessoais. Não fiquei parada, não. Trabalhar me mantém viva. Tenho que agradecer a Globo por esse tempo que ganhei para mim. Eles foram pacientes e carinhosos comigo. Agora estou com energia total.

Sentiu saudades de atuar em novelas?
Muita! Muita saudade. Eu emendava uma novela na outra, cara. Quem não sentiria falta dessa rotina? Quero retomar tudo isso.

A que atribui esse afastamento?
Olha, normalmente temos a mania de culpar o outro por nossos problemas. Estou com 66 anos e passei por muita coisa. Sou uma mulher experiente, e a essa altura da vida muito consciente da minha parcela de culpa em cada situação. Não é demérito assumir seus erros e evoluir com as consequências. Não tenho vergonha disso, porque me fez uma mulher melhor.

Talvez se eu estivesse cercada pelas pessoas que fazem parte da minha vida hoje, eu tivesse evitado muita coisa ou até mesmo teria sido compreendida de outra forma, mas estive "sozinha" por muito tempo e sofri as consequências. Uma delas foi esse tal afastamento, mas já experimento uma vida renovada há alguns meses.

E 2018 tem sido um ano de muito trabalho. Malhação, Assédio e a próxima novela das seis, Espelho da Vida. Seria o seu retorno triunfal?
Sim. Você disse tudo. É o meu retorno triunfal, um ano maravilhoso e o primeiro do resto da minha vida. 2018 é meu ano e eu disse que seria assim desde o ano passado. Sou determinada. Cada vitória é comemorada. Enxergar isso dessa forma é gostoso e há muito tempo não me sentia assim. É um recomeço mesmo.

Você assistiu à novela A Força do Querer? O que achou? Como está sua relação com a autora Gloria Perez?
Com essa rotina de trabalho não dá muito pra acompanhar as novelas. Estava em cartaz no teatro e mergulhada em meus projetos pessoais, mas pelo pouco que acompanhei achei a história muito forte, os atores estavam ótimos. A Isis Valverde, a Juliana Paes, a Lilia Cabral, a Paolla Oliveira, aliás, todos estavam ótimos. Novela dirigida pelo Pedro Vasconcelos é sempre um sucesso.

A Gloria escreveu outra pérola da Globo. Ela escreve muito bem. Sabe tocar em assuntos polêmicos com cuidado e força ao mesmo tempo. Soube que a novela foi um sucesso de audiência. Glória me deu a Saninha, de Desejo (1990). Um presente de vida. Ela é uma mulher forte, das maiores escritoras que temos, teve que enfrentar dores inimagináveis, segurar firme. Tenho imensa admiração e muito carinho por ela.

Leia também

 

 

Enquete

O que você achou do vaivém de Datena na Band?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook