Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
X
Instagram
Youtube
TikTok

FRAN DRESCHER

Como atriz de The Nanny usa trauma do passado para transformar Hollywood

Reprodução/Instagram

Com paletó xadrez, Fran Drescher está sentada em uma mesa e sorri para foto em Washington, DC

Fran Drescher durante visita oficial a Washington, capital dos EUA; atriz é presidente do SAG

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 18/12/2021 - 6h35

Uma das maiores estrelas da TV norte-americana na década de 1990, Fran Drescher decidiu usar um trauma do seu passado para mudar Hollywood. Em setembro, a criadora e protagonista da comédia The Nanny (1993-1999) foi eleita presidente do SAG-AFTRA, o Sindicato dos Atores dos Estados Unidos, e uma de suas principais lutas é para acabar com predadores sexuais na indústria --a atriz sobreviveu a um estupro em 1985.

"Formei um comitê [no Sindicato] para apurar denúncias de assédio, não quero que ninguém sofra abuso sexual ou seja vítima de um predador. Essas pessoas têm de receber o apoio necessário e saber que suas carreiras não vão acabar caso denunciem alguém. E quem usa seu poder de maneira irresponsável precisa ser responsabilizado", define Fran ao Notícias da TV.

A batalha para acabar com o abuso sexual vem no embalo do movimento #MeToo, que denuncia esse tipo de comportamento tóxico nos bastidores do audiovisual. A atual presidente do SAG-AFTRA, porém, tem uma motivação extra --e bastante pessoal-- para se engajar nesse tema.

"Eu fui vítima de um ataque em 1985. Era um homem armado, e que estava em liberdade condicional. Até hoje não me sinto confortável em ficar sozinha, preciso pelo menos estar com meu cão de apoio", lembra ela.

As pessoas carregam o peso de serem vítimas de abuso a vida toda. Eu quero mudar Hollywood e dar o exemplo para outras indústrias também, mostrar que precisamos ter tolerância zero com pessoas que não respeitam o espaço pessoal do outro.

Depois de criticar o governo de Donald Trump e apoiar publicamente a eleição de Joe Biden, Fran conta que tem boa circulação com a equipe do atual presidente norte-americano. "Tenho sido muito ativa em Washington, aprovei uma lei e quero ajudar o sindicato a aprovar outras legislações também. Tenho muitas ideias, estou bem empolgada", define.

Fran ainda tem planos de criar um comitê verde, para que produções de cinema e televisão sejam mais conscientes em relação à preservação do meio ambiente. "Precisamos ser parte da solução, e não piorar o problema. Tenho ideias bem vanguardistas, mas somos o maior sindicato de entretenimento do mundo e temos de agir como tal", ressalta.

Por fim, a atriz de 64 anos também quer batalhar pelas minorias. "Luto pelos direitos civis dos gays, de outros grupos minoritários. É importante usar o holofote que construí na minha carreira para iluminar assuntos que importam. Precisamos dar espaço aos marginalizados."

Bem aceita entre o público LGBTQIA+ desde seus tempos de The Nanny, Fran atua no filme Encontro de Natal, uma comédia romântica de fim de ano como tantas outras exibidas na TV e no streaming, mas com um diferencial: o casal protagonista é formado por dois homens. O longa será reprisado pelo canal Lifetime na terça-feira (21), às 19h20. Confira o trailer:

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.