Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

NOVOS RUMOS

Promessa de galã, Bruno Gissoni é dispensado da Globo após dez anos

THIAGO DURAN/AGNEWS

Bruno Gissoni em evento de moda em fevereiro de 2019, em São Paulo

Bruno Gissoni em evento de moda em fevereiro de 2019, em São Paulo; ator relembrou confusão com vídeo íntimo

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 14/10/2020 - 19h39

Bruno Gissoni, 33 anos, deixará a Globo em novembro após dez anos na emissora. Contrato como promessa de galã, o artista não terá seu acordo renovado com a empresa que o lançou ao estrelato em Malhação (2010). Atualmente, ele está no ar na reprise de Flor do Caribe (2013). "Agora vai ser por obra, se rolar alguma coisa", declarou. 

"Meu contrato acaba agora em novembro depois de dez anos. Mas isso é muito por uma modificação do mercado. Eu tinha um contrato fixo por dez anos. [Agora] A gente fica livre para escolher outras coisas", disse em entrevista para o canal Rap 77, na terça-feira (13).

Como funcionário da Globo, Gissoni apareceu em sucessos como Avenida Brasil (2012), considerado por ele um "presente de Deus" por ter sido seu primeiro folhetim na faixa das nove. Ele também integrou o elenco de Em Família (2014), Babilônia (2015), Orgulho e Paixão (2018) e, recentemente, fez uma participação em A Dona do Pedaço (2019).

Em conversa com o youtuber Júnior Coimbra, o ator analisou a atual fase da classe artística. "Para a gente está um momento nebuloso. Eu não estou falando isso num lugar negativo. O mercado está mudando, está sendo modificado. Tem a Netflix, o Amazon Prime Video e canais fechados que estão crescendo", considerou.

Mesmo dispensado a partir de novembro, o galã tem uma visão otimista da nova fase de sua carreira. "É legal você ter outras opções, outros caminhos para serem explorados. Isso pode ser interessante", declarou.

Vítima de vídeo íntimo

Em 2017, um suposto vídeo íntimo atribuído a Gissoni tirou o sossego do ator. Ele foi confundido com outro rapaz durante o ato sexual e, além de ter que se explicar para a família, amigos e fãs, precisou esclarecer a questão para a Globo. Foi o que ele contou ao canal Rap 77.

"Eu recebi esse vídeo e, na hora, vi e falei: 'Não tem nada a ver comigo. Dane-se. A galera não vai acreditar nisso'. Mas, não. Todo mundo acreditou", desabafou.

"Fui ter uma reunião séria na Globo com produtores de elenco e, no final, um deles falou: 'Toma cuidado da próxima vez'. E eu: 'O quê? Do que você está falando?'. Ele disse: 'Aquele vídeo'. 'Gente, pelo amor de Deus, não sou eu'. Mas imagina, chegou à minha profissão. Quantas pessoas não viram aquele vídeo e acreditaram que era eu?", questionou.

No entanto, apesar da confusão, ele hoje consegue fazer piada. "Meu melhor argumento foi: 'Gente, não sou eu porque o cara está transando de meia. Eu não transo de meia, gente (risos)'", divertiu-se.

Prejuízo na quarentena

Durante a pandemia, Gissoni passou a construir uma casa na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais. Por causa da quarentena, ficou quatro meses em obras para o lar de seus sonhos. O período de isolamento social também trouxe momentos de reflexão para o artista, que reviu muitos aspectos de sua vida e decidiu vender um imóvel para amenizar os gastos. Ele conseguiu, mas teve prejuízo no negócio.

"É um choque de realidade quando o mundo dá uma sacudida. Quem é você? Quais são os seus valores até esse momento da sacudida que fizeram você bater de frente com esse choque de realidade? Porque tem gente que se fortaleceu com esse choque. Eu, por exemplo, consegui vender meu apartamento no meio da pandemia", disse.

"Eu estava financiando meu apartamento. Então, foi o mundo falando: 'Cara, vou tirar essa despesa da sua vida'. Eu não ganhei dinheiro com o apartamento. Eu perdi dinheiro, mas eu vendi e deixei de ter uma dívida. Hoje sou um cara sem dívidas. Olha que doideira isso. Isso é um privilégio enorme", finalizou.

Veja a entrevista de Bruno Gissoni:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?