Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TEM PROVAS

Neymar se defende de acusações da Nike sobre abuso sexual: 'Me traiu'

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Imagem de Neymar Jr. com agasalho e chuteira da Puma

Neymar Jr. em foto publicada nas redes sociais; jogador se defendeu de acusações de abuso sexual

PAOLA ZANON e VINÍCIUS ANDRADE

paola@noticiasdatv.com

Publicado em 28/5/2021 - 12h42

Após a Nike revelar que rompeu o contrato com Neymar Jr. por ele se negar a cooperar com uma investigação sobre um suposto abuso sexual cometido por ele, o jogador se defendeu das acusações e afirmou que irá esclarecer em breve como se deu o fim da parceria. "Continuarei a estampar no meu peito uma marca que me traiu", lamentou.

O jogador usou as redes sociais para dar sua versão da história. "Não me deram a oportunidade de saber quem é essa pessoa que se sentiu ofendida, eu nem a conheço. Não tive sequer oportunidade de conversar, saber os reais motivos da sua dor", declarou ele. "Essa funcionária não foi protegida. Eu, um atleta patrocinado, não fui protegido. Até quando?", questionou.

O atleta já havia negado as alegações de abuso sexual contra uma funcionária da Nike por meio de sua equipe, que comparou o caso às acusações de estupro feitas por Najila Trindade em 2019, das quais ele foi inocentado. A assessoria de Neymar, inclusive, questionou a demora da denúncia da vítima, já que o suposto assédio teria acontecido em 2016.

"Neymar, ao longo desses cinco anos, nunca foi diretamente acusado e processado pela funcionária da Nike", diz a defesa, em nova nota enviada ao Notícias da TV. A equipe do jogador ainda acusou Hilary Krane, conselheira geral da empresa, de fazer declarações --que classificou como inverdades-- de forma indevida e irresponsável. 

Por enquanto, o atacante do Paris Saint-Germain não tornará públicos os motivos que levaram ao fim da parceria com a Nike após 16 anos, por questões de confidencialidade. "Não apresentaremos, por ora, os documentos, por questões óbvias de estrito sigilo, em total observância aos princípios éticos que devem nortear a conduta de uma companhia", diz, em nota.

Segundo o jogador, o fim do contrato se deu por questões comerciais; ele não teria entrado em acordo com o valor oferecido pela Nike e fechou com a Puma. A equipe do atleta avisou que já está tomando providências quanto às declarações feitas pela empresa. "As medidas cabíveis já estão sendo adotadas, e em breve os fatos poderão ser esclarecidos", encerra.

Investigação de abuso sexual

Segundo a Nike, o motivo do rompimento foi a investigação de um suposto caso de abuso sexual que o jogador teria cometido contra uma funcionária da empresa em junho de 2016. A marca esportiva decidiu romper com o atacante após ele se recusar a colaborar com as investigações.

A denúncia foi feita pela funcionária, confidencialmente, em um fórum organizado pela liderança da Nike em 2018 para seus empregados. Segundo o Wall Street Journal, foi aberta uma investigação independente em 2019, mas os resultados foram inconclusivos, por isso a empresa optou por não levar o caso à Justiça.

A marca ressaltou que não seria apropriado fazer uma investigação formal sem poder fornecer provas. "A Nike encerrou seu relacionamento com o atleta porque ele se recusou a cooperar em uma investigação de boa fé", justificou a empresa, que tinha um contrato com Neymar desde 2005, quando ele tinha apenas 13 anos.

Confira abaixo a publicação de Neymar:

TUDO SOBRE

Futebol

Neymar


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Após derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na GloboRenascer no Globoplay: Saiba por onde anda o elenco da novela 28 anos depois

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas