Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

OUTRA VÍTIMA

Luisa Mell pega carona em vídeo de Romero Britto, e relata que também foi maltratada

Reprodução/Instagram

Luisa Mell séria, em selfie tirada na frente de gaiolas brancas, usando moletom branco

Ativista a favor dos direitos dos animais, Luisa Mell usou as redes sociais para relatar grosserias da irmã de Romero Britto

REDAÇÃO

Publicado em 15/8/2020 - 8h32

Na última sexta-feira (14), Luisa Mell tomou conhecimento do vídeo da mulher que quebrou a obra de Romero Britto na sua frente após afirmar que o artista plástico maltratou os funcionários de seu restaurante, e relatou que já foi vítima de humilhações da irmã dele, Roberta Britto, na época em que estava começando a carreira como jornalista.

No comentário que a ativista e ex-apresentadora de TV deixou no Instagram, ela contou que chorou por causa da grosseria da parente do artista, ao tentar gravar uma reportagem em uma das galerias dele.

"Quando eu comecei como repórter, no programa da Monique Evans, fui fazer uma reportagem na galeria dele em São Paulo. Ele não estava. Mas sua irmã me tratou tão mal, me humilhou por causa da minha roupa... Chorei tanto, que borrei a maquiagem e nem consegui fazer a reportagem. Nunca comentei nada. Mas agora vejo que não foi um caso isolado...", escreveu.

Comentário de Luisa Mell nas postagens sobre Romero Britto (Crédito: Reprodução/Instagram)

O caso que viralizou nas redes sociais nesta semana ganhou um novo desdobramento, após a mulher responsável pelo ataque dar detalhes de como tudo aconteceu.

"Senhor Britto, boa tarde. Sou a dona do restaurante Tapelia, que fica na frente da sua loja [em Miami]. Meu marido veio aqui e comprou esta obra de arte para o meu aniversário, porque tinha você em um pedestal e o admirava como um artista. Pensava que você era um homem respeitável, porém me equivoquei", desabafou a empresária no início do vídeo, enquanto segurava uma escultura do artista, avaliada em cerca de R$ 26 mil.

Britto tentou autografar a obra para encerrar a discussão e prosseguir com a sessão de autógrafos que promovia na sua galeria. No entanto, a mulher negou o pedido e seguiu com a bronca.

"Você foi no meu restaurante, reservou vinte lugares para tomar café da manhã pelo preço de oito dólares [aproximadamente R$ 43], que é barato, e ainda nos pediu desconto. Pediu para tirarem a música, humilhou meus funcionários, disse para eles não falarem e não olharem para seu rosto, se não iria embora do restaurante. Isso foi humilhante", comentou.

Ilustração publicada por Romero Britto em meio ao caos do vídeo (Crédito: Reprodução/Instagram)

"Para uma pessoa honesta e respeitável, você carece de humildade. Você entende? Então, eu exigo que você nunca mais vá ao meu restaurante nem ofenda o meu pessoal, nunca!", disse a empresária ao quebrar a obra de arte na frente do brasileiro.

Romero Britto chegou a publicar uma arte com a expressão "fake news" personalizada com o seu estilo, mas não falou mais nada sobre o caso.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?