Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

DESABAFO

Lobão rompe com Roger, do Ultraje a Rigor, e detona Bolsonaro: 'Coleção de crimes'

REPRODUÇÃO/SBT

Lobão e Roger no The Noite, do SBT

Lobão e Roger no The Noite, do SBT; músicos romperam amizade de 40 anos por Bolsonaro

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 3/7/2021 - 18h34

Apoiador ferrenho de Jair Bolsonaro na campanha de 2018, Lobão hoje pede o impeachment do presidente da República, a quem atribui a responsabilidade por uma "coleção de crimes". Além de mudar de opinião política, o músico rompeu com todos os amigos que ainda apoiam o mandatário, como Roger, do Ultraje a Rigor, com quem manteve um bom relacionamento por mais de 40 anos.

"Não falo mais com quem continua com Bolsonaro. Roger era um parceiro de 40 anos. Mas dei um block nele", disse o músico em entrevista à BBC News.

"Quem é Bolsonaro hoje em dia tem uma questão de higiene moral, não consigo nem falar. Não tenho o menor tipo de aproximação. Você não precisa ser um gênio para perceber o que está acontecendo no Brasil. É um acinte, um estupro, uma violência. Bolsonaro não fez nada de bom, tudo o que ele toca vira merda, é uma virtuose na merda", completou.

À reportagem, Lobão revelou que a pandemia o fez perder cerca de 90% de sua renda por conta da impossibilidade de fazer shows, seu principal meio para conseguir dinheiro.

"Fico mais preocupado com os músicos que trabalham comigo, que dependem muito dos shows. Sou um eremita, fico muito em casa, compondo e tocando", disse ele, que está prestes a lançar o disco Canções de Quarentena.

A favor do impeachment

Essa é a terceira vez que Lobão se posiciona a favor do impeachment de um presidente da República. Em 1992, pediu publicamente a saída de Fernando Collor do cargo, e em 2016 fez coro à queda de Dilma Rousseff de seu segundo mandato no Poder Executivo.

"Para mim, o que Bolsonaro está fazendo supera em muito em gravidade o que os outros dois fizeram. Há uma coleção de crimes. O último é essa denúncia de superfaturamento de vacina", comentou o músico, referindo-se às denúncias de que o Ministério da Saúde havia cobrado propina para a compra de vacinas da Covaxin.

"O simples fato de esse cara andar na rua sem máscara, tirando máscara de criança, já é motivo (para impeachment). Ele é o presidente da República de um país com 500 mil mortos na pandemia, e ele dá esse exemplo todos os dias na televisão. Isso já é criminoso por si só, é genocida por si só", comentou.


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
Bolsonaro virou chacota na Globo! Nos Tempos do Imperador coleciona indiretasMitomaníaco, sem noção ou exibido? 5 vezes que Gui Araujo falou demais em A FazendaDe vendedor de pastéis a diretor de cinema: Por onde anda o elenco de Malhação 2008?Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabia

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas