Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Polêmica

Jerry Seinfeld defende comediante Roseanne Barr: 'Não era necessário demiti-la'

Reprodução/ET

O comediante Jerry Seinfeld durante entrevista ao programa Entertainment Tonight de terça (26) - Reprodução/ET

O comediante Jerry Seinfeld durante entrevista ao programa Entertainment Tonight de terça (26)

REDAÇÃO

Publicado em 26/6/2018 - 16h38

O comediante Jerry Seinfeld defendeu a colega Roseanne Barr ao comentar a saída dela da série Roseanne, após um tuíte racista. "Não entendi porque era necessário demiti-la", disse o humorista de 64 anos ao programa Entertainment Tonight desta terça (26). "Por que você mataria uma pessoa que já está cometendo suicídio?", questionou.

Seinfeld foi além e confessou que odeia ver comediantes perdendo o emprego. Ao falar do spinoff de Roseanne, intitulado de The Conners, ele argumentou que a série irá penar sem uma atriz comediante nata no papel principal.

Sua sugestão ideal seria substituir Roseanne. "Há outras mulheres engraçadas que poderiam interpretar aquele papel", disse Seinfeld. "Eu acho que eles deveriam arranjar outra Roseanne. Eles não ressuscitaram Dan Conner [marido da personagem, vivido por John Goodman]? Ele não estava morto [na série original, dos anos 1990]? Por que eles não foram atrás de outra Roseanne?".

O comediante não parou por aí e confessou nunca ter visto "alguém acabar com uma carreira inteira apenas com um aperto de botão". Ele estava falando do tuíte de Roseanne Barr, no qual ela comparou uma ex-assessora do presidente Barack Obama a um macaco.

Roseanne não apenas perdeu seu emprego no revival da própria série, como caiu em desgraça total ao levar um pé na bunda da agência de talentos que a representava. A repercussão negativa a levou a assinar um acordo com a produtora que fez a série, no qual ela cedeu todos os diretos para o spinoff sair do papel.

A ABC, rede que exibiu a atração nos Estados Unidos, não queria qualquer envolvimento com a comediante, seja em questões criativas ou financeiras. A presidente de Entretenimento da emissora, Channing Dungey, é negra e não hesitou em demiti-la horas depois da publicação do tuíte.

Colega racista
Talvez Jerry Seinfeld não se lembre ou simplesmente preferiu esquecer, mas o humorista Michael Richards, que viveu o Kramer na série Seinfeld (1989-1998), também enterrou sua carreira após uma apresentação de stand-up na qual fez insultos racistas, em 2006.

Um espectador filmou a apresentação de Richards e flagrou o momento em que ele ofendeu membros da audiência. "Vão me prender por chamar um homem negro de criolo", falou, uma declaração que chocou toda a plateia. O vídeo vazou e Richards nunca mais apareceu em destaque na mídia.

Na época, Jerry Seinfeld aproveitou sua fama e intermediou um mea-culpa de Richards durante o talk show de David Letterman na rede CBS. Mas o pedido de desculpas de não surtiu efeito.

Nos anos 1990, Richards era um dos atores mais elogiados da TV e chegou a receber três Emmys de coadjuvante, em 1993, 1994 e 1997. Ao todo, ele foi indicado cinco vezes com o excêntrico Cosmo Kramer, vizinho de Seinfeld na comédia.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?