MAURÍCIO FARIAS

Diretor filma até reflexo em vidro para mostrar Hebe por outros ângulos

Fotos: Reprodução/Instagram

Maurício Farias (à dir.) com Daniel Boaventura e Andréa Beltrão em foto compartilhada pelo ator - Fotos: Reprodução/Instagram

Maurício Farias (à dir.) com Daniel Boaventura e Andréa Beltrão em foto compartilhada pelo ator

LUCIANO GUARALDO - Publicado em 26/08/2018, às 08h02

Para mostrar facetas nunca antes vistas de Hebe Camargo (1929-2012), o diretor Maurício Farias optou por uma abordagem bastante literal da expressão "por outros ângulos". No longa sobre a vida da apresentadora, ainda sem previsão de estreia, a câmera registra a ação de maneiras muito inusitadas, como no reflexo dos personagens em uma porta de vidro da mansão ou em uma vista aérea da sala de estar.

"Eu não sei dizer como isso vai ficar no resultado final. Mas tem muito a ver com a nossa ideia de mostrar a Hebe por ângulos diferentes", explica Farias ao Notícias da TV. "Não queremos retratar a apresentadora que o público conheceu, mas ver como era a vida dela no espaço privado, tanto no particular quanto no profissional."

O filme focará em um momento de virada na trajetória de Hebe: em 1985, durante o programa que comandava ao vivo na Bandeirantes, ela simplesmente jogou o microfone no chão, reclamou das condições de trabalho que tinha na emissora e pediu demissão. No ano seguinte, passou a reforçar o time do SBT.

"Até então, a Hebe era um modelo de harmonia, dos costumes, a dona de casa perfeita. De repente, ela vira a mesa e fala: 'Chega, cansei!'. E é aí que ela começa a se dar conta do poder dela. Ela dá a entrevista para o Roda Viva [em 1987] com medo dos intelectuais, mas conquista todos. No fim, eles ficam de pé e a aplaudem, algo que nunca tinha acontecido", lembra Carolina Kotscho, roteirista do longa, que também será exibido pela Globo como minissérie.

Mas Carolina e Farias querem mostrar a mulher por trás do mito Hebe Camargo. E isso significa escancarar a tristeza e o isolamento que cerceavam a apresentadora no ambiente doméstico.

"No ar, ela era alegre, espirituosa, divertida. Mas ninguém é assim o tempo todo. Para uma pessoa estar tão ligada na TV, em algum momento ela precisa reduzir. E o filme vai mostrar essa gangorra", adianta o diretor.

Uma peça fundamental para retratar os altos e baixos no humor da apresentadora é a atriz Andréa Beltrão, escalada para o papel principal. "Ela tem essa virtuose que era fundamental, de ser tanto uma comediante quanto uma grande atriz dramática. Eu acho que a comédia e o drama se complementam, funcionam como contraponto. Se eu conseguir equilibrar, vai ficar ótimo", torce Farias, casado com Andréa.

divulgação/warner bros.

Tomada aérea de Andréa Beltrão e Caio Horowicz no sofá, em cena que mostra Hebe maternal

O próprio diretor está saindo de sua zona de conforto ao investir no lado dramático. Maurício Farias tem no currículo séries como A Grande Família (2001-2014) e Tapas & Beijos (2011-2015), além de ter ajudado na reformulação do Zorra, em 2015. Sua grande incursão no drama foi o filme Verônica (2009), também estrelado por Andréa.

Mudar de gênero não é sua maior preocupação: o foco (e o medo) dele é fazer jus a uma personagem tão querida pela população brasileira. "É uma responsabilidade, claro, mas nessa profissão eu aprendi a não pensar nos riscos, senão não faço nada (risos). Então, eu decidi buscar os meus pontos próprios de interesse no trabalho, e encontrei muitos, porque descobri uma Hebe que eu não conhecia."

"Ela é uma pessoa incrível, que atravessou a história da televisão brasileira, esteve em praticamente todos os anos da TV, exceto os seis últimos. Mas a vida dela é uma coisa de fábula, a pessoa humilde que conseguiu chegar onde chegou sozinha, apenas com seu talento, com sua capacidade e com muita determinação. E, por outro lado, tinha muito sofrimento, foi censurada porque falava tudo o que pensava."

O desafio de retratar Hebe é ainda maior porque, além de filme, a produção também terá uma versão para a Globo.

"É uma experiência única, tem todo um planejamento por trás que eu nunca tinha visto. A parte artística também é complicada, precisa entender como as linhas temporais andam no longa e na TV, a roupa que ela usa em uma cena do filme está em outra da série. É um desafio, mas considero desafios uma coisa ótima. Se a gente não tiver uma complicação, tudo fica muito fácil", encerra, aos risos.

Além de Andréa Beltrão, o longa sobre a vida de Hebe Camargo conta com Gabriel Braga Nunes (o primeiro marido, Décio Capuano), Marco Ricca (o segundo marido, Lélio Ravagnani), Danton Mello (o sobrinho, Claudio), Caio Horowicz (o filho, Marcello), Daniel Boaventura (Silvio Santos) e Stella Miranda (Dercy Gonçalves).

Melhores amigas da apresentadora, Lolita Rodrigues e Nair Bello serão interpretadas por Karine Telles e Claudia Missura, respectivamente.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Você está curtindo o programa Se Joga?
Sim, é divertido e leve.
22.27%
Não é horrível, mas também não é bom.
26.34%
Não, achei muito ruim, uma vergonha.
27.00%
Prefiro A Hora da Venenosa.
24.40%

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook