LUTO

Apresentador Gugu Liberato morre aos 60 anos após sofrer queda em casa

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Imagem de Gugu Liberato no palco do Canta Comigo, da Record

Gugu Liberato à frente do reality musical Canta Comigo; apresentador morreu após acidente doméstico, em Orlando

REDAÇÃO - Publicado em 22/11/2019, às 21h19

Morreu aos 60 anos o apresentador e empresário Augusto Liberato, o Gugu. Ele havia sofrido um acidente doméstico na quarta (20), em Orlando, nos Estados Unidos, onde morava. A morte foi confirmada na noite desta sexta-feira (22) pela assessoria do artista. Ele sofreu uma queda acidental de cerca de quatro metros em sua casa quando fazia um reparo no ar-condicionado do sótão.

Segundo nota divulgada pela equipe de Gugu, logo após o acidente ele deu entrada no hospital Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão, deu entrada em escala de Glasgow de 3 [usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais em um paciente] e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral. 

A morte encefálica foi confirmada pelo médico Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico.

Apresentador importante da história da televisão brasileira, Gugu comandou atrações como Viva a Noite, Sabadão Sertanjeo e Domingo Legal no SBT; o Programa do Gugu e outro homônimo, na Record. Ainda na emissora de Edir Macedo, ele estava à frente dos reality shows Power Couple e do Canta Comigo, que terá sua final exibida em 4 de dezembro.

No último dia 4, Gugu foi vítima de uma fake news de mau gosto. Um hacker invadiu a conta do programa Power Couple Brasil no Instagram e anunciou a morte do apresentador, que teve de desmenti-la assim que soube do ocorrido.

Gugu deixou a mulher, Rose Miram di Matteo, e três filhos: João Augusto, de 17 anos, e as gêmeas Marina e Sofia, de 15.

Confira a nota que confirma a morte do apresentador:

"Este é um momento que jamais imaginamos viver. Com profunda tristeza, familiares comunicam o falecimento do pai, irmão, filho, amigo, empresário, jornalista e apresentador Antônio Augusto Moraes Liberato (Gugu Liberato), aos 60 anos, em Orlando, Florida, Estados Unidos.

Nosso Gugu sempre viveu de maneira simples e alegre, cercado por seus familiares e extremamente dedicado aos filhos. E assim foi até o final da vida, ocorrida após um acidente caseiro.

Ele sofreu uma queda acidental de uma altura de cerca de quatro metros quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão. Foi prontamente socorrido pela equipe de resgate e admitido no Orlando Health Medical Center, onde permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local.

Na admissão deu entrada em escala de Glasgow de 3 e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral.

A morte encefálica foi confirmada pelo Prof. Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante de sua mãe Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Ainda não temos detalhes sobre o traslado para o Brasil. Informações sobre velório e sepultamento serão passadas assim que tudo estiver definido.

Ele deixa três filhos, João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos. Atendendo a uma vontade dele, a família autorizou a doação de todos os órgãos.

Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela. Sua partida nos deixa sem chão, mas reforça nossa certeza de que ele viveu plenamente. Fica a saudade, ficam as lembranças - que são muitas - e a certeza que Deus recebe agora um filho querido, e o céu ganha uma estrela que emana luz e paz."

Gugu e o Polegar no Viva a Noite (Reprodução/SBT)

Carreira

Gugu iniciou sua carreira como apresentador em 1981, com a versão paulista do Sessão Premiada, no SBT, a convite de Silvio Santos. No ano seguinte, foi escalado para comandar um dos quadros do Viva a Noite, dividindo a cena com Ademar Dutra, Mariette Detotto e Jair de Ogum. Após algumas mudanças no formato, Gugu passou a comandar a atração das noites de sábado sozinho. 

Com o posto de apresentador consolidado, Gugu se inspirou no sucesso do grupo porto-riquenho Menudos e lançou, em 1984, conjuntos musicais similares, como o Dominó e o Polegar, e se tornou também empresário.

Por causa do sucesso do Viva a Noite, a Globo fez uma oferta irrecusável a Liberato, que chegou a assinar contrato com a concorrente. Irritado, Silvio Santos foi pessoalmente à sala de Roberto Marinho (1904-2003), dono da Globo, pedir sua liberação para permanecer no SBT. O dono da emissora aumentou seu salário em dez vezes e passou parte da programação dominical para ele, que ainda continuou com as atrações de sábado.

O auge de sua carreira veio nos anos 1990, com o Domingo Legal, concorrente direto do Domingão do Faustão, da Globo. A audiência muitas vezes foi favorável ao SBT e Gugu encerrou a década com picos que ultrapassaram os 40 pontos. Quadros como Banheira do Gugu, Táxi do Gugu e Sentindo na Pele foram grandes marcos do programa dominical.

reprodução/sbt

Gugu Liberato e Luiza Ambiel receberam o humorista Tiririca na Banheira do Gugu, em 1997


Escândalo com PCC

O momento mais controverso da carreira de Gugu foi a falsa entrevista com integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital), exibida na edição de 7 de setembro de 2003 do Domingo Legal, então em queda no Ibope.

Homens encapuzados que se diziam integrantes da facção criminosa ameaçaram de morte os apresentadores José Luiz Datena, Marcelo Rezende e Oscar Roberto Godói, e também o vice-prefeito de São Paulo na época, Hélio Bicudo (1922-2018). Rezende foi o primeiro a acusar a reportagem de ser forjada e pediu uma investigação.

Mais tarde, o próprio PCC divulgou um comunicado no qual negou ter ameaçado os apresentadores e o vice-prefeito, e afirmou que os dois homens entrevistados não pertenciam ao grupo. À colega Hebe Camargo (1929-2012), Gugu disse que não havia visto as reportagens antes de elas irem ao ar. Segundo a polícia, a entrevista com os supostos criminosos foi feita no próprio estacionamento do SBT.

Esse foi considerado um dos maiores escândalos do jornalismo nacional. Tanto a emissora quanto a produção do programa e o próprio Gugu foram processados pela Comissão de Ética Jornalística. O dominical chegou a ficar fora do ar em um final de semana. Foi com esse episódio que começou o declínio do Domingo Legal.

reprodução/sbt

Gugu no palco do Domingo Legal, no SBT; apresentador se despediu do programa em 2009


Do SBT para a Record

O apresentador permaneceu na emissora de Silvio Santos durante 18 anos. Em 2009, assinou um contrato de oito anos com a Record, com um salário de R$ 3 milhões, para comandar o Programa do Gugu. Ele deixou a emissora ao final de 2013, devido aos índices insatisfatórios de audiência, após assinar um acordo em que recebeu uma indenização de cerca de R$ 100 milhões.

Em 2014, a Record e a GGP Produções, produtora de Gugu, fecharam um novo acordo e, no ano seguinte, o apresentador voltou à Record para a primeira temporada do programa Gugu. Na estreia, o apresentador exibiu uma entrevista exclusiva com Suzane Von Ritchthofen. Ela, pela primeira vez, revelou detalhes do assassinato de seus pais. O programa chegou ao fim em dezembro de 2017.

Com isso, Liberato foi escalado para substituir Roberto Justus no Power Couple Brasil e comandou as duas últimas temporadas do reality show. Ele estava no ar com a segunda temporada do Canta Comigo, que estreou em 25 de setembro.

reprodução/record

Gugu no comando do Power Couple 4, da Record; um de seus últimos trabalhos na televisão

Apresentador e empresário, Gugu se arriscou também no cinema e na música. Atuou em filmes ao lado das apresentadoras Xuxa Meneghel e Angélica, e também do grupo de humor Os Trapalhões. Em 2002, lançou um álbum infantil, intitulado Gugu Para Crianças, com o hit Meu Pintinho Amarelinho. Vendeu mais de 100 mil cópias e ganhou o disco de ouro da ABPD (Associação Brasileira dos Produtores de Discos).

Entre os prêmios que ganhou na carreira estão 11 estatuetas do Troféu Imprensa, conquistadas entre os anos de 1982 e 2008, além do Troféu Internet, em 2005.

Tudo sobre

Gugu Liberato Record

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

O que falta para Amor de Mãe conquistar mais audiência?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook