DESABAFO

Após ser atacada na web, Gabriela Duarte rejeita posições políticas da mãe

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

Gabriela Duarte em foto publicada em seu Instagram em 9 de abril de 2020

Gabriela Duarte em foto publicada em seu Instagram; atriz desabafou sobre posicionamento político da família

REDAÇÃO - Publicado em 21/05/2020, às 19h20

Gabriela Duarte quebrou o silêncio após Regina Duarte deixar o cargo de secretária especial de Cultura da gestão de Jair Bolsonaro. Em um longo texto, a atriz, que foi muito atacada nas redes sociais após a entrevista da mãe à CNN, rejeitou as posições políticas de Regina. "Escolhas são individuais, que fique claro. Cada adulto que cuide de seu RG e CPF."

Na postagem de seu Instagram que ela chamou de "escolhas", Gabriela abriu o jogo sobre as maneiras diferentes de pensar da família. Sem citar nomes, deixou claro que suas opiniões são dialogadas na privacidade familiar. "Um artista pode se posicionar politicamente se quiser. Existem os que fazem isso e têm suas razões. Essa, porém, nunca foi uma escolha minha", disse.

"A profissão que escolhi ja é bastante política em vários aspectos. Isso, no entanto, não faz com que eu deixe de me posicionar, mas o faço como uma cidadã normal. Voto e exerço meu direito de escolher pessoas que acho mais adequadas a me representar, mas não trago isso pra minha vida pública", comentou.

A filha de Regina Duarte confessou que divide suas opiniões e pensamentos com pessoas próximas apenas. "Não tenho necessidade de mais do que isso, nem me sinto no direito de influenciar politicamente quem quer que seja. São escolhas. Cada um tem a liberdade de pensar de forma própria", analisou.

"E isso diz respeito a relações familiares também. Somos o que escolhemos ser e batalhamos por isso. Quando crianças, seguimos o exemplo daqueles que estão muito próximos a nós: os pais, os avós, irmãos, professores da escola. Aos poucos, esse universo se amplia e nossas referências também", detalhou.

Para a artista, é durante o crescimento que um cidadão forma seu conceito de ideologia. "E percebemos que não precisamos mais seguir os modelos da infância e adolescência. Amadurecer, entre tantas coisas, é isso. Tudo isso não quer dizer que não possa mais haver afeto, amor, gratidão e respeito por aqueles que nos criaram."

"Pelo contrário. Devem ser apreciados e honrados todos os dias. Mas entender que uma família não precisa necessariamente funcionar como um bloco, com pensamentos em uníssono sempre, é fundamental", frisou.

Mãe de Manuela, 13 anos, e Frederico, 8, a atriz disse que também é assim que ela cria os filhos. "Para que sejam livres e possam formar seus próprios pensamentos. O fato de serem meus filhos não os obriga a serem como eu. Quero que eles sejam melhores", finalizou.

Dois meses e meio após assumir a Secretaria Especial da Cultura, Regina Duarte se "divorciou" do presidente e deixou o cargo na quarta-feira (20). A ex-secretária segue trabalhando para o governo, mas no comando da Cinemateca, em São Paulo.

Confira publicação de Gabriela Duarte no Instagram:

 
 
 
Ver essa foto no Instagram

ESCOLHAS Um artista pode se posicionar politicamente se quiser.Existem os que fazem isso e tem suas razões .Essa,porém,nunca foi uma escolha minha. A profissão que escolhi ja é bastante política em vários aspectos.Isso,no entanto,não faz com que eu deixe de me posicionar, mas o faço como uma cidadã normal.Voto e exerço meu direito de escolher pessoas que acho mais adequadas a me representar,mas não trago isso pra minha vida publica. Divido meus pensamentos e opiniões nessa área com pessoas que me são próximas.Não tenho necessidade de mais do que isso, nem me sinto no direito de influenciar politicamente quem quer que seja.São escolhas, e escolhas são individuais.Cada um tem a liberdade de pensar de forma própria. E isso diz respeito a relações familiares também. Somos o que escolhemos ser e batalhamos por isso.Quando crianças, seguimos o exemplo daqueles que estão muito próximos a nós: os pais, os avós, irmãos, professores da escola…Aos poucos esse universo se amplia e nossas referências também. Começamos então a formar nosso próprio corpo ideológico e percebemos que não precisamos mais seguir os modelos da infância e adolescência.Amadurecer,entre tantas coisas,é isso. Tudo isso não quer dizer que não possa mais haver afeto, amor,gratidão e respeito por aqueles que nos criaram.Pelo contrario.Devem ser apreciados e honrados todos os dias.Mas entender que uma familia não precisa necessariamente funcionar como um bloco, com pensamentos em uníssono sempre, é fundamental. Meus filhos têm sido criados tambem dessa forma .Para que sejam livres e possam formar seus próprios pensamentos.O fato de serem meus filhos não os obriga a serem como eu.Quero que eles sejam melhores! Escolhas são individuais, que fique claro.Cada adulto que cuide de seu RG e CPF.

Uma publicação compartilhada por gabriela duarte (@gabidu) em

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual novela a Globo deve passar após Fina Estampa?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook