Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

BRUNO MIRANDA

Após levar tiro, Borat do Amor & Sexo abre barraca na praia: 'Renasci'

DIVULGAÇÃO/LUCAS FÉLIX

Bruno Miranda em frente a sua barraca Pit Stop, em Copacabana, no Rio de Janeiro

Bruno Miranda em frente a sua barraca Pit Stop, em Copacabana, no Rio de Janeiro: novo empreendimento

ELBA KRISS

elba@noticiasdatv.com

Publicado em 18/1/2021 - 6h50

Um mês após receber alta do hospital por ter sido baleado em uma briga de trânsito, Bruno Miranda reuniu forças para retomar um projeto que tinha sido adiado primeiramente pela pandemia de Covid-19 e, depois, pelo tiro que levou. Há uma semana, o intérprete do personagem Borat no Amor & Sexo, da Globo, inaugurou uma barraca na praia de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro. "Eu renasci. Agora meu escritório é aqui [na praia]", comemora.

Em novembro último, Miranda tentou ajudar desconhecidos em uma discussão de trânsito. Dois carros tinham colidido em uma via do Recreio (zona oeste do Rio de Janeiro), e as pessoas se desentenderam. Uma delas sacou a arma e disparou. O ex-assistente de palco de Fernanda Lima, que estava no local como pedestre e resolveu ajudar os acidentados, foi atingido. A bala feriu seu rim direito e o intestino.

O modelo de 30 anos passou por uma cirurgia de emergência no abdômen, usou bolsa de colostomia e chegou a ir para o CTI (Centro de Tratamento Intensivo). A alta médica veio em meados do mês de dezembro, após uma recuperação surpreendente.

"Tem um mês que saí do hospital. Agora estou fazendo acompanhamento. Vou lá fazer tomografia e exames de sangue apenas. Da última vez, tirei os pontos e estava tudo bem. Graças a Deus", conta Miranda ao Notícias da TV.

"A recuperação foi muito rápida. Mas não posso fazer nada. Não posso malhar e não posso pegar peso porque estou com pontos internos. Já não tomo mais remédios. Só sinto algo quando faço algum esforço a mais, aí eu sinto dor e tenho que tomar medicação. Tento ficar parado, mas não consigo (risos)", completa o sobrevivente.

Em novembro, quando levou o tiro, Miranda estava a todo vapor com o planejamento de sua barraca. A ideia de abrir o negócio surgiu antes da pandemia e envolveu toda sua família. A quarentena brecou os planos em 2020. Quando a Prefeitura do Rio de Janeiro iniciou a flexibilização, ele começou a trabalhar novamente no projeto.

Como empreendedor, foi atrás da concessão com os órgãos competentes e investiu na atividade. O desejo era iniciar os trabalhos no Ano-Novo.

Bruno Miranda em sua barraca na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro (Divulgação/Lucas Félix)

"Era para ter inaugurado antes. Aí, tomei o tiro e parou tudo. Minha mulher [Mariana Melgaço] teve que cuidar de mim. Tive muito prejuízo. Tudo foi adiado e tive que planejar tudo de novo", lamenta.

Nas últimas semanas, o empresário retomou todo o seu projeto. Comprou um automóvel para carregar a estrutura e foi atrás do necessário para abastecer seu empreendimento. Há seis dias, a barraca PitStop 138, em Copacabana, começou a funcionar.

Além do usual --cardápio de comes e bebes, cadeira de praia, guarda-sol e chuveiro--, o ponto do ex-Amor & Sexo tem acessórios diferenciados para atrair a clientela, como área kids com brinquedos de praia, e equipamento esportivo para prática de frescobol, vôlei ou beach tênis.

"É tudo novo, tirado direto da embalagem. Tenho piscina para crianças, mangueira para molhar o pé do cliente na calçada e ele não queimar o pé ao caminhar até a areia, rede de vôlei, regador para os pés dos clientes… São ideias de quem vive na praia", observa.

"Vivi muitos anos aqui na praia. Sei tudo o que precisa e falta, o que o cliente quer e o que ele não quer. Aqui não tem aquela coisa chata de puxar a pessoa e ficar em cima dela. Se você tem material e atendimento bons, as pessoas vão em outra [barraca] por quê? Elas enxergam o diferencial de longe", analisa.

Caso de polícia com advogado 

Apesar de animado com o empreendimento, o ator ainda não pode atuar em outras funções no negócio, como atender e servir clientes. Ele não pode fazer grandes esforços ou carregar peso, por exemplo. "Estou me recuperando ainda. Não estava nem conseguindo conversar porque me faltava ar. Agora, eu consigo falar melhor", entrega.

A administração do local, no entanto, é dele. Sua família também está sempre presente, pois o trabalho é árduo. "Começamos às 5h para montar a barraca. Às 7h, já está tudo de pé para atender a galera que vem jogar frescobol, beach tênis e fazer aulas com personal aqui na praia. Temos que estar prontos para atender todas essas pessoas. Como comprei a Kombi, guardamos tudo nela após a desmontagem", conta.

Bruno Miranda divulga endereço de sua barraca na praia de Copacabana no Instagram 

O novo trabalho na praia fez bem para a saúde mental de Miranda. Ainda em recuperação, ele não quis saber das investigações sobre o incidente que o afetou. O responsável pelo tiro, um policial, foi preso em flagrante. Grato pelo trabalho da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o artista diz que preferiu focar em sua recuperação.

"Quando estava no hospital, eu estava pensando em melhorar e ficar vivo. Meu pensamento era sair dali. Agora que saí, me indicaram um advogado e vou tomar as medidas cabíveis. Sei que o rapaz ficou preso. Mas também não procurei saber", admite. Ele pretende deixar isso nas mãos de seu defensor.

Após ser vítima da violência, Miranda quer apenas aproveitar a segunda chance que ganhou na vida. "Quando estava internado, pedi: 'Deus, se tem alguma coisa que tenho que aprender com isso, por favor, me diga'. Sempre fui uma pessoa do bem, tanto que parei ali para ajudar as pessoas, nunca quis nada dos outros. Pensei: 'O que tenho que aprender?'", relembra.

"O que eu vi disso tudo foi que tenho muitas pessoas ao meu lado. Tenho muitas pessoas que me amam, uma mulher incrível ao meu lado e familiares incríveis", finaliza.

Veja fotos de Bruno Miranda em sua barraca na praia:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você quer ver no retorno de Amor de Mãe?