Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SENSAÇÃO DO BBB

'2021 foi meu ano': Como Gil do Vigor foi da depressão à fama nacional

DIVULGAÇÃO/GLOBOPLAY

Gilberto Nogueira com sorriso, óculos escuros na cabeça, olha para a câmera em cena externa do documentário Gil na Califórnia

Gilberto Nogueira em cena do documentário Gil na Califórnia, que mostra detalhes de sua vida

FERNANDA LOPES

fernanda@noticiasdatv.com

Publicado em 23/12/2021 - 7h00

Em janeiro, uma sensação surgiu na TV brasileira. Logo na primeira noite do BBB21, Gilberto Nogueira virou meme ao dizer a célebre frase "O Brasil tá lascado". De lá para cá, o economista conquistou o país com seu carisma, ganhou muito dinheiro como garoto-propaganda de várias marcas e virou protagonista do próprio documentário. Ele jamais imaginou todo esse sucesso, ainda mais saindo de uma depressão em 2020. "2021 foi meu ano", declara.

"O Gil de 2020 estava tão indignado, vocês não têm noção. No primeiro dia de BBB, eu meto um 'Brasil tá lascado', que era a soma de tudo que aconteceu em 2020. Eu diria pro Gil de 2020 para que ele ficasse tranquilo: 'Vai valer muito a pena, vai dar tudo certo, não adianta se estressar, se preocupar'. O Gil de 2020 achava que nunca daria certo, estava sem esperança", confessa o economista.

Nos primeiros meses de 2020, Gil estava se sentindo triste e quase não saiu de casa. Quando de fato colocou o pé para fora, no início de março, pegou Covid-19 e teve de lidar com as consequências da doença.

"Comecei 2020 deprimido. Tentei entrar para o BBB e não me chamaram nem pra entrevista. Não consegui aplicar pro PhD porque não passei na prova. Fiquei muito frustrado, não conseguia sair da cama, só conseguia chorar. Pensava: 'Caramba, não sou interessante'. No único dia em que fui na faculdade em 2020 e dei aula, peguei Covid, me lasquei", lamenta.

"Aquilo afetou muito minha vida. Um dos sintomas pós-Covid é não conseguir se concentrar. Pra fazer doutorado, ler... Falei: 'Não vou conseguir, minha carreira vai ser bem feiosa aqui dentro'. Mas aí eu tive forças, as situações ruins acontecem pra nos impulsionar", diz Gil.

Em meio a tanta frustração, medo e tristeza, o motor que impulsionou o pernambucano a dar uma virada em sua vida foi a raiva. Foi na base da indignação que ele batalhou para sair da situação em que estava e ir em busca de seus sonhos. 

"Tomei coragem, me levantei, fui, falei: 'Ano que vem vai ser meu ano'. Isso foi uma força que veio, quero que o Brasil entenda isso. A gente não precisa encontrar força na indignação, mas, se não tem outro meio, pega esse limão, faz uma limonada e dá teu show. Pega as dificuldades e transforma em força", afirma. 

Metas para 2022

Gilberto Nogueira entrará em 2022 muito bem de vida. Ele está cursando seu PhD em Economia numa universidade na Califórnia, nos Estados Unidos --o curso deve durar de quatro a seis anos. Também conta com muitos contratos publicitários e milhões de seguidores nas redes sociais. Mas ele já tem outras grandes ambições. Gil quer investir em seu lado artista no ano que começará. 

"Eu vou gravar um CD, estou fazendo curso de canto online. Não quero virar músico, cantor. Mas quero que as pessoas me tenham, daqui a uns 100 anos. Vou gravar música erudita. Quero fazer uma novela, é meu sonho. Quero fazer um filme de drama em que eu morra. Pode ser na metade, no final, mas que eu morra. Vou aproveitar as minhas férias e fazer uns cursos rápidos de atuação em Nova York. É minha meta em 2022", revela.

"Deus me deu a bufunfa pra eu poder realizar meus sonhos. Em breve teremos Gil erudito e Gil atuando. Não sei como vai ser, eu só quero fazer rapidinho, mas eu vou fazer. E quero pular de paraquedas", acrescenta ele.

Além disso, o comentarista de Economia do Mais Você quer ajudar o Brasil a ser menos lascado. Ele pretende usar seus conhecimentos acadêmicos e sua fama nacional para ajudar o povo. 

"Agora quero cumprir uma missão que eu tenho de mostrar mais do povo. Eu tenho muito mais do que o suficiente, então quero ir pro sertão, pra Amazônia, mostrar a realidade do meu povo. Quero usar as redes sociais pra retratar o povo, quero usar meu dinheiro e minha visibilidade pra mostrar esse povo, quero ver como é a vida de um índio que está perdendo seus espaços... Tem tanta gente que está passando por coisas tão difíceis. Eu quero chamar atenção para a gente que está precisando dessa atenção", conclui.


Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.