Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SAMYA PASCOTTO

Sem bunda perfeita, atriz desabafa sobre papéis: 'Sempre a melhor amiga'

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Imagem da atriz Samya Pascotto em ensaio fotográfico

Samya Pascotto em ensaio fotográfico da Netflix: artista desabafa sobre papéis como melhor amiga

LUIZA LEÃO

luiza@noticiasdatv.com

Publicado em 10/7/2021 - 6h45

Atriz desde os 15 anos, Samya Pascotto vive um momento de transição e dúvidas sobre sua carreira: ela se questiona se não é boa o suficiente no que faz ou se não se enquadra em uma estética pré-moldada, necessária para ganhar mais destaque em produções audiovisuais. "Protagonistas são muito padrão, com bunda e barriga muito perfeitas", desabafa ao Notícias da TV.

Apesar de ter feito papéis relevantes, como a empreendedora Leona em De Pernas Pro Ar 3 (2019) e Vivi, no filme Carnaval (2021), da Netflix, a atriz nunca interpretou uma protagonista no cinema ou na televisão. "Eu sempre fui a melhor amiga. Acho que consegui sair disso uma vez, em Todas as Mulheres do Mundo [2020]. Na verdade, o lugar da bonita, que tinha uma questão, foi a personagem de Vizinhos [2015]. Ela tinha um lugar um pouco sexual também", compara a artista.

Além de questionar seu lugar na atuação, Samya se diz cansada da sua própria imagem --e da maneira como precisa cuidar do aperfeiçoamento da atuação e também se atentar para ser bonita.

Você tem que investir tanto no seu trabalho quanto na sua imagem. Eu estou um pouco cansada disso: de ser uma boa atriz, de pensar, de me formar, mas pensar na minha bunda também para ela ser aprovada para alguma coisa. É um lugar que me desanima um pouco.

A atriz rechaça a possibilidade de melhora no cenário artístico e no aumento da representatividade. "Dizem que está melhorando... Há boatos, mas realmente não acho que há um avanço. No exterior eu até consigo ver um pouco mais. A gente está em uma era muito de imagem, e a imagem está ficando muito importante. Estamos pensando demais na nossa imagem o tempo todo", argumenta.

No Twitter, a artista já havia desabafado sobre essas questões estéticas relacionadas à atuação. Segundo Samya, tudo tem a ver com a indústria artística. 

Maturidade artística

Com quase 15 anos de carreira, Samya Pascotto entende De Pernas Pro Ar  3 como a sua virada artística. "Foi uma transição para eu entender o meu lugar de contribuição", revela.

A atriz conta que, no longa de Ingrid Guimarães, teve a compreensão de que poderia incrementar a personalidade da sua personagem. "Eles ouviram o que eu tinha pra dizer, e eu consegui mudar algumas coisas no roteiro", relembra. Em Carnaval, a dose de roteirista se repetiu.

"Eu defendi falas que são importantes para a Vivi. A cena em que eu faço o questionário com o Samir [Rafael Medrado] eu pedi para deixar. Fiz um longo caminho, estudei um monte, trabalhei um monte e agora me sinto confortável para dar pitacos, sempre com muito respeito. Acho que o De Pernas foi o começo, e o Carnaval foi mais um passo dentro disso", defende.

Questionada se está satisfeita para seguir na profissão, diante de acertos e perdas, Samya titubeia. "Eu sempre penso em largar tudo. É uma profissão muito difícil. Você depende da aprovação do outro para executar o seu ofício. Você precisa ter o perfil que a pessoa imaginou. São muitas provações até ser aprovada para o papel. Eu estou um pouco cansada nesse lugar da imagem, mas ainda sou bastante apaixonada e acho que sou uma pessoa melhor fazendo o que eu faço", desabafa.


Leia também

Web Stories

+
Vômito, narrador ridículo e ‘xerecada’: Cinco momentos engraçados das OlimpíadasBárbara, Kelvin e Medina: Atletas brasileiros se envolvem em tretas nas OlimpíadasAna ou Manuela? Saiba quem fica com Rodrigo no final de A Vida da GenteComo Rayssa Leal e Douglas Souza: Cinco atletas das Olimpíadas que você deve seguirTraição de Pyong Lee e treta de Nadja Pessoa: Ilha Record promete estreia acalorada

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Qual a melhor cobertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio?