Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

LAILA ZAID

Ex-Malhação abraça rótulo de 'ecochata' e lança guia de ativismo ambiental

REPRODUÇÃO/INSTAGRAM

A atriz Laila Zaid sorri enquanto abraça bucha vegetal em vídeo publicado no Instagram

A atriz Laila Zaid abraça bucha vegetal; atriz lança livro sobre sustentabilidade para crianças

KELLY MIYASHIRO

kelly@noticiasdatv.com

Publicado em 5/6/2021 - 7h00

Intérprete de Bel durante três temporadas de Malhação (entre 2004 e 2006), Laila Zaid já fez novelas, peças e filmes, mas sua maior atuação de vida é no ativismo ambiental. Graças à sensação de urgência de cuidar do planeta, a atriz abraçou o rótulo de "ecochata" de forma bem-humorada e está lançando um guia de sustentabilidade para crianças e adultos neste sábado (5), Dia Mundial do Meio Ambiente.

Ao Notícias da TV, Laila explica que o Manual Para Super-Heróis - O Início da Revolução Sustentável, novo lançamento da editora Melhoramentos, sempre esteve dentro de sua cabeça, mas foi só durante o puerpério de seu segundo filho que a ativista conseguiu colocá-lo, finalmente, no papel. 

"Eu tenho um projeto social que eu desenvolvo com crianças, eu trabalho em escolas municipais, já trabalhei em abrigo e amo de paixão. É um projeto de cidadania, arte, meio ambiente, tudo, em que vou usando minhas ferramentas de teatro. E eu fui vendo que as crianças não sabiam nada de como cuidar do meio ambiente, sustentabilidade era um assunto muito longe delas", introduz.

Tive a ideia de fazer um manual e aí eu fui tentando criar ele na minha cabeça, pensando que poderia ser uma coisa muito legal, para além dos meus alunos. Poderia ser uma coisa para as pessoas, já que eu sempre fui muito chamada de 'ecochata', e as pessoas chegavam na minha casa e perguntavam mil dúvidas. Ou no trabalho, onde eu falava para as pessoas pararem de usar saco plástico, para usar reutilizável.

Casada com o investidor Marco Kertzman desde 2009, Laila tem dois filhos: Clara, de quatro anos, e Tom, de dois. "Quando eu estava no puerpério [após dar à luz o caçula] decidi fazer. Entre uma mamada e outra, eu fui escrevendo. Em um mês o manual se criou praticamente, ele estava tão dentro de mim, e são coisas tão presentes na minha vida, que ele veio meio que pronto", celebra a mãe de Maisa Silva no filme Pai em Dobro, da Netflix.

Devido à pandemia da Covid-19, Laila não consegue mais tocar seu projeto de conscientização ambiental em escolas e lamenta não poder divulgar o livro de maneira presencial. 

"Eu falo até com o pessoal da editora que é uma pena estarmos em pandemia, porque eu com muito gosto entraria em cada escola do Brasil pra falar sobre esse livro, porque ele é realmente uma semente de cura. Independentemente do poder aquisitivo ou da classe social, a casa que ganhar esse livro vai desenvolver um olhar de cuidado com o meio ambiente. Um olhar transformador", resume a intérprete da Ludmila na novela Orgulho e Paixão (2018).

"Meu objetivo é que o manual empodere a as crianças, para que elas consigam entender mais o assunto, que as ajude a transformar a família, o lugar onde moram, a escola onde estudam, talvez até a comunidade delas com esse livro na mão. É um manual realmente para a criança. Ela fica ferramentada para começar a revolução sustentável."

"Então, assim, pra mim, quanto mais crianças tiverem acesso a este livro, melhor. Qualquer autor diria isso, mas muito para além de eu estar vendendo meu livro, eu estou distribuindo a minha fé de que a gente precisa olhar para o meio ambiente como a nossa primeira casa, nossa única casa", ressalta. 

View this post on Instagram

A post shared by Laila Zaid (@lailazaid)

Ativista desde criancinha

Questionada pela reportagem sobre quando começou a se interessar pelo ativismo ambiental, Laila Zaid conta que sua sensação de urgência foi despertada durante a Eco-92, a Conferência das Nações Unidas de 1992 realizada no Rio de Janeiro, quando ela tinha apenas oito anos.

"Eu era bem pequena. Mas eu lembro que tinha um navio do Greenpeace e eu entendi a dimensão, pensei: 'Caramba, existem pessoas que lutam pelo meio ambiente!', achei aquilo incrível. Eu tive um pai que era surfista, então eu fui criada na praia, viagens de família eram na natureza, então tinha essa pegada", confessa.

"E quando comecei a acampar, aquilo foi muito transformador pra mim, porque ali eu entendi que a gente não precisa de nada, quase nada, pra viver. As mudanças climáticas só catalisaram essa urgência, não tem mais jeito", completa a atriz de 37 anos.

O livro Manual Para Super-Heróis - O Início da Revolução Sustentável tem 112 páginas, com ilustração de Clara Candelot e Fernanda Fricke, e chega às livrarias com o preço sugerido de R$ 40 reais, mas também poderá ser encontrado em formato digital (e-book).

Após Pai em Dobro, que foi lançado neste ano na Netflix, Laila está no elenco do filme Lacuna, dirigido por Rodrigo Lages, que deve entrar em breve no catálogo do Globoplay. "É um terror psicológico, um estilo que eu nunca tinha feito, e foi legal ir pra esse lugar totalmente pesado", finaliza a atriz. 

View this post on Instagram

A post shared by Laila Zaid (@lailazaid)


Leia também

Web Stories

+
A Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do realityQuem é Alanis Guillen? Conheça a Juma Marruá do remake de PantanalHarmonização facial e lente nos dentes: Veja antes e depois dos peões de A Fazenda 13Ex de Anitta e rei da pegação: Gui Araujo é o primeiro fazendeiro de A Fazenda 13Elenco, estreia e bastidores: Saiba tudo sobre o reboot de Um Maluco no Pedaço

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?