Drag Me As a Queen

Modelo internacional e cantora de axé vão se transformar em drag queens em reality

Divulgação/E!

Rita von Hunty, Ikaro Kadoshi e Penelopy Jean, as apresentadoras do reality Drag Me As a Queen

Rita von Hunty, Ikaro Kadoshi e Penelopy Jean são as apresentadoras do reality Drag Me As a Queen

FERNANDA LOPES - Publicado em 05/01/2020, às 04h46

A terceira temporada do Drag Me as a Queen, do E!, estreará em 2020 com duas grandes novidades. O programa, até então de meia hora, passará a ter o dobro do tempo. E as participantes transformadas em drag queens, que até ano passado eram mulheres anônimas, agora serão rostos conhecidos do público. Uma cantora e uma modelo estão confirmadas.

As apresentadoras e drag queens profissionais Penelopy Jean, Ikaro Kadoshi e Rita von Hunty contaram ao Notícias da TV no fim de 2019 que a agenda de participações especiais no reality ainda estava sendo fechada com as famosas. Mas já deram o spoiler: receberão no programa uma modelo que já foi "angel" da Victoria's Secret, uma cantora de axé e uma atleta que já foi campeã mundial.

"É um sinal de que o programa está fazendo muito sucesso. a gente recebe muita mensagem de influenciadoras, cantoras, atrizes querendo participar. A gente fica chocada, essa pessoa conhece a gente? Não é possível. Acho que vai ser bem incrível", diz Penelopy. 

A ideia do Drag Me As a Queen é que as três drags conversem e conheçam aquela mulher que as visita e lhe ajudem a colocar para fora seus gostos, sua essência e sua diversão numa "montação" bem elaborada. O objetivo é levantar a autoestima das mulheres numa dinâmica lúdica e animada, com maquiagem, figurino e performance.

Na segunda temporada, uma celebridade já participou: Luana Piovani, que também faz parte do elenco do canal E! com seu reality, Luana é de Lua. Após essa experiência com a atriz, as drags apresentadoras acham que as próximas gravações com celebridades serão bem interessantes.

"Temos a chance de mostrar uma humanização das celebridades que as pessoas não têm noção. A gente vai mostrar as dores, as inseguranças, tudo continua a mesma coisa. Talvez o grande plot twist é que as pessoas vão ver a celebridade como nunca viram antes --além de fisicamente, vão conhecer as histórias reais delas", explica Ikaro.

"Acho que uma das coisas mais fortes do programa é quebrar preconceitos. O reality deu voz a três drag queens, e ao assistir você vê que nós somos três seres humanos. Acho que [a nova temporada] vai ajudar a desmistificar a celebridade, mostrar que as pessoas têm pontos fracos, medos, anseios. Merecemos carinho, respeito. São pessoas interessadas em sair do programa melhor do que entraram", explica Rita.

As gravações da terceira temporada do Drag Me As a Queen, só com celebridades, começam em janeiro. A data de estreia ainda não foi definida.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook