Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

NO COMBATE

Luta Popó x Whindersson bomba e faz Globo faturar ao menos R$ 7 milhões

REPRODUÇÃO/COMBATE

Popó (de costas) e Whindersson se abraçam no ringue de luta de boxe

Popó (de costas) e Whindersson se abraçam após luta que aumentou assinaturas de pay-per-view

GABRIEL VAQUER E VINÍCIUS ANDRADE

vinicius@noticiasdatv.com

Publicado em 1/2/2022 - 7h00

Serviço de pay-per-view de lutas da Globo, o Combate registrou um aumento de 70% em sua base de clientes online no último domingo (30). Segundo dados obtidos pelo Notícias da TV com fontes do mercado, mais de 100 mil usuários fizeram assinatura para assistir ao evento que tinha como duelo principal Acelino "Popó" Freitas e Whindersson Nunes.

Cada um dos novos assinantes precisou pagar ao menos o valor mensal de R$ 69,90 para ter o sinal do Combate liberado, o que representa um faturamento de, no mínimo, R$ 7 milhões para a empresa em um único dia --as escolhas pelo pacote anual, de R$ 478,80 (o equivalente a R$ 39,90 por mês), podem fazer esse número ser ainda mais expressivo.

Esses mais de 100 mil clientes são apenas aqueles que fizeram a compra diretamente pelas plataformas da Globo (Globoplay ou o site GE). A receita foi ainda maior quando somados os assinantes das operadoras de TV por assinatura, que ainda não divulgaram seus dados consolidados.

O Combate não era a única forma de assistir ao Fight Music Show, nome do evento que teve Popó x Whindersson como luta principal. Os organizadores também venderam ingressos para o público ver online em outra plataforma digital.

De acordo com os realizadores, antes mesmo do fim de semana da luta, mais de 200 mil assinaturas de R$ 69 do pay-per-view próprio do evento tinham sido vendidas, o que representa um faturamento de R$ 13,8 milhões.

Luta de milhões

Parte do valor arrecadado com a venda de pay-per-view será destinada aos lutadores, como acontece em eventos semelhantes nos Estados Unidos. Os protagonistas da noite tiveram ainda patrocínios individuais --Popó, por exemplo, disse ter recebido mais de R$ 4 milhões de marcas que o apoiaram, enquanto Whindersson confirmou que o vencedor receberia R$ 12 milhões.

A apresentação de Acelino Freitas foi considerada "um show", mas ele não nocauteou o comediante. O boxeador conectou jabs, cruzados, uppercuts e machucou o adversário com sequências de golpes no rosto e na cintura. O resultado, porém, foi um empate por decisão dos juízes. O prêmio foi dividido.

O Fight Music Show foi realizado em Balneário Camboriú, Santa Catarina, e ainda contou com apresentações do comediante Tirullipa e do cantor Wesley Safadão. Lutas de MMA e kickboxing antecederam os confrontos de boxe da noite.

O medalhista olímpico Esquiva Falcão ganhou de Yuri Fernandes, que já participou do Big Brother Brasil e de A Fazenda 9, após interrupção médica no sexto round. Já Rogério Minotouro derrotou Leleco Guimarães por decisão unânime.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.