Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

OPINIÃO NO AR

Lacombe e Amanda Klein fazem apelo pelo fim do ódio digital: 'Somos amigos'

REPRODUÇÃO/REDETV!

Montagem de fotos com Luís Ernesto Lacombe e Amanda Klein no Opinião no Ar, da RedeTV!

Luís Ernesto Lacombe e Amanda Klein no Opinião no Ar desta quarta (7): debate sem ódio

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 7/10/2020 - 13h49

Com debates intensos e interrupções frequentes entre os jornalistas, o Opinião no Ar tem causado repercussão nas redes sociais. O problema é que os participantes da atração viraram alvo de comentários de ódio na web. Nesta quarta-feira (7), o apresentador Luís Ernesto Lacombe e os comentaristas Amanda Klein e Silvio Navarro fizeram um apelo pelo fim da agressividade digital. Os três ressaltaram que são amigos fora das câmeras.

No início do programa, o trio discursou e destacou que a divergência pode até existir, mas que isso não pode ser transformado em intolerância contra a opinião do outro. "A gente tem um debate político, mas o debate político não pode ser uma praça de guerra. Isso é inaceitável", enfatizou Lacombe.

"A gente precisa aprender a lidar com a opinião contrária. Se você não respeita a opinião de alguém, você precisa respeitar o direito de essa pessoa ter opinião, mesmo que a opinião dela seja diferente da sua. Se você parte pro ódio ou pra agressividade, isso vai demonstrar falta de equilíbrio", falou o apresentador.

Na sequência, o comandante do Opinião do Ar disse que os três ainda se interrompem em determinados momentos, o que é natural durante uma conversa, mas que eles estão tentando evitar isso para não dificultar o entendimento das falas pelo telespectador. Na estreia, que aconteceu na segunda (28) da semana passada, Amanda foi interrompida, silenciada e teve argumentos invalidados 27 vezes.

"Eu tenho esse papel às vezes um pouco incômodo de ser o mediador, aí a gente se interrompe. Eu fico aqui tentando administrar isso, a gente tem oito edições do programa só. Estamos acertando isso. Eu quero pedir que as pessoas abandonem o ódio e a agressividade, vamos usar a argumentação", defendeu o apresentador.

Apesar de o programa ainda não ter engrenado no Ibope, disputando o sexto lugar com a Gazeta na Grande São Paulo, existe um engajamento digital, pois ele também é exibido em redes sociais. Lacombe falou que a sua equipe pessoal recebe 6 mil e-mails por dia, com mensagens de reclamação e ódio. "Paz", pediu ele.

Amanda foi na mesma linha. "O mais legal desse programa é que a gente discorda aqui dentro desse estúdio do Opinião, mas a gente concorda em milhões de outras coisas fora daqui. Somos amigos, temos uma convivência pacífica e brincamos um com o outro o tempo todo. O espírito desse programa é pra tentar romper a bolha. Vocês [telespectadores] têm direito de discordar, mas sem insultos e xingamentos", reforçou a jornalista.

"A intolerância não leva a nada, não é o caminho. Esse não é o nosso estilo. O direito de expressão é pilar de qualquer sociedade democrática. Quero deixar claro que todos os nossos embates, e eles continuarão porque são pilares do programa, eles terminam quando sobe a vinheta encerrando o programa", complementou Silvio Navarro.

Veja abaixo o Opinião no Ar, com os discursos dos jornalistas pedindo pelo fim do ódio nas redes sociais, a partir dos 2 minutos e 30 segundos:


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?