Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

'MAIOR BANDEIRA'

Gil do Vigor é aplaudido no Altas Horas ao defender educação: 'Base de tudo'

REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Gil do Vigor segura microfone e fala no Altas Horas de sábado (8)

Gil do Vigor no Altas Horas de sábado (8); economista fez discurso em defesa da educação

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 9/1/2022 - 7h48

Gilberto Nogueira, o Gil do Vigor, participou do Altas Horas no sábado (8) e aproveitou para destacar a importância da educação. O economista afirmou que o Brasil só irá melhorar quando os políticos pararem de cortar verba dos programas sociais e investirem no conhecimento da população. "É a base de tudo", defendeu o ex-BBB, que foi aplaudido pela plateia virtual e pelos outros convidados do programa.

Durante o bate-papo, Serginho Groisman tirou dúvidas sobre inflação e perguntou se o economista vê uma alternativa para resolver isso. "Quando a gente vai estudando muito Economia, a gente começa a ter medo de falar qualquer coisa. Porque a gente aprende que tem muitas variáveis que afetam preço, por exemplo. Inflação é o que? É o preço do cuscuz, é o preço do arroz. Então não é só taxa de juros, tem tudo", começou o pernambucano.

"Um discurso de um presidente vai gerar inflação. Se o presidente falar algo errado, nós temos investidores, pessoas que olham pro Brasil... Imagina que você é um galã, você é lindo, maravilhoso. A gente quer atrair o regozijo. Imagina que o Brasil é esse galã bonito. Se alguém chega e fala alguma coisa muito feia ou mostra alguma coisa que não é legal, aí a pessoa que queria ficar com você fala assim 'já não tô mais tão atraído por essa pessoa'", comparou ele.

"Tem vários fatores que podem acontecer dentro de um país que vai afetar a inflação. Se os investimentos param de entrar no Brasil, isso vai gerar inflação. O Brasil tá desandando muito em questão que não deveriam. O nosso cenário atual tá muito incerto", lamentou o pós-doutorando em Economia.

Gil ainda contou que os colegas do PhD, que cursa nos Estados Unidos, perguntam o motivo de o Brasil ter desandado na política. "A gente sabe que pra colocar pessoas pra cuidar do nosso país... Precisam de preparo acadêmico. O mínimo necessário. Pessoas que pensem no pobre, que pensem de fato em melhorar. Não adianta o Brasil ser o país com o maior PIB, taxa de crescimento, se tem pessoas na miséria passando fome, morrendo", disparou.

O economista, então, criticou o corte de gastos na educação: "Educação é a base de tudo. Se eu corto da educação, como o país vai conseguir inovar? Na minha visão como economista, conversando com os meus professores inclusive, só cuidar de taxa de juros, 'ah porque tem que melhorar desemprego'... Medidas precisam ser tomadas, mas vai começar pela política".

"Se o cenário político do Brasil não mudar, se a confiança do brasileiro nas pessoas que estão assumindo os cargos pra nos representar não mudar, as coisas nunca vão pra frente", afirmou.

A gente tem que mudar na base. Não acabar com os programas sociais. Quando a gente se humanizar e acabar com a miséria do Brasil, acabar com a fome, aí, independentemente de PIB, de crescimento, o Brasil vai tá melhorando.

"A gente vai deslascar ele [o Brasil] logo logo", soltou Nogueira. "A educação sempre foi e sempre será a minha maior bandeira!", afirmou o pernambucano ao compartir o vídeo do discurso no Twitter.

Gil ainda falou que um dos planos para depois do PhD é ser presidente do Banco Central. "Essa vai demorar um pouquinho, tem que terminar o PhD. Mas, após o PhD, o negócio vai se regozijar", brincou ele.

Veja trechos do programa:


Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.