Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

INCLUSÃO SOCIAL

Geraldo Magela lança primeiro talk show para cegos e revela mágoa de diretores

Reprodução/YouTube

Humorista Geraldo Magela em sua casa, gravando o talk show Cegos, Mancos e Loucos

Geraldo Magela vai estrear seu primeiro talk show na Band de Minas Gerais em 1º de agosto

MARÍLIA BARBOSA

marilia@noticiasdatv.com

Publicado em 25/7/2020 - 6h55

À frente do primeiro talk show para cegos do Brasil, Geraldo Magela pretende calar os críticos de plantão que o trataram com preconceito no passado. O humorista, que é deficiente visual devido a uma retinose pigmentar, vai lançar o programa Cegos, Mancos e Loucos, na afiliada da Band em Belo Horizonte. A ideia é não só divertir o público na pandemia, mas também provar a diretores que lhe fecharam as portas que ele é capaz de comandar um programa.

"Quantas vezes eu já cheguei para um diretor com certeza daquilo que eu criei, e o diretor não aceitou? É o ego artístico. Uma grande parte de diretores de televisão lamentavelmente não ouve a gente, você tem que fazer uma mágica para que a sua ideia saia da cabeça deles. Então, insisti que na primeira oportunidade que eu tivesse, ia criar um programa meu. É uma sementinha que está brotando", afirma Magela em entrevista ao Notícias da TV.

O comediante, que comprou um espaço na emissora pelo período de seis meses, lamenta também o fato de a televisão não explorar com respeito a diversidade e colocar o deficiente sempre como um coitado que precisa de ajuda.

"Eu sempre usei as adversidades como um desafio. Quero mostrar que um cego e um aleijado podem se divertir de várias formas e fazer o que a televisão ainda não fez. Toda vez que colocam um cego ou um aleijado na TV é para pedir cesta básica, nunca mostram o nosso potencial", desabafa ele, que quando diz "aleijado" refere-se ao cadeirante Kaquinho Big Dog, que faz parceria com ele no novo programa.

Magela diz que sente falta de participar de programas como A Praça É Nossa, do SBT, ou a extinta Escolinha do Barulho (1999-2001), da Record. No entanto, ele acredita que há muita dissimulação nos bastidores da televisão quando se trata da deficiência com ar de politicamente correto.

"O que está acontecendo é uma hipocrisia, o politicamente correto, eu acho que a gente tem que ter bom senso sempre. Eu sei das minhas limitações. O pior é a pessoa mentir para você, ela não diz que você não vai ganhar espaço porque é cego, mas diz que não tem nem oportunidades nem vagas. O que mais me deixa magoado, em proporção de Brasil, é que santo de casa não faz milagre", completa.

Cegos, Mancos e Loucos estreia em 1º de agosto, às 9h30. O programa conta com esquetes bem-humoradas com descrição para cegos, stand up, paródias de Fausto Silva, Silvio Santos, Marcelo Rezende, Dercy Gonçalves e a merchandete Aracy Wolf.

Antes da estreia, Magela fará uma live, na próxima segunda-feira (27), para contar as novidades do programa. Quem assistir ao show poderá participar de um sorteio de um valor proporcional ao auxílio emergencial (R$ 600).


Leia também

Web Stories

+
42 anos depois: Por onde anda o elenco da novela Pai Herói?A Fazenda 13: Sem barracos, Liziane frustra público e é eliminada; veja trajetóriaComo Lázaro Ramos e Taís Araujo: 7 casais formados nos bastidores da GloboSex Education vai ter 4ª temporada? Veja cinco curiosidades sobre a sérieA Fazenda 13: Surto na baia e barraco com ofensas marcam primeira semana do reality

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Além de Pantanal, qual novela antiga merecia um remake?