Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TOMÁS YANKELEVICH

De olho no Brasil, chefão da HBO Max mira fãs de novela e futebol

Reprodução/Globoplay

Camila Pitanga em cena da série Aruanas, do Globoplay

Camila Pitanga em cena de Aruanas; atriz será uma das estrelas da telessérie da HBO Max

ANDRÉ ZULIANI

andre@noticiasdatv.com

Publicado em 22/3/2022 - 6h35

Há nove meses operando na América Latina, a HBO Max vê no Brasil um dos principais mercados para se destacar na guerra do streaming. Com proporções continentais, o país sul-americano conta com um público engajado e muito fiel às suas preferências. Ciente disso, a plataforma mirou em duas grandes paixões dos brasileiros para conquistar audiência: novelas e futebol.

No caso do futebol, o esporte que é paixão nacional já começou a dar retorno. A partida entre PSG e Real Madrid, pelas oitavas de final da Champions League, rendeu uma das maiores audiências da história da HBO Max no Brasil. A plataforma ainda exibe de forma exclusiva algumas partidas do Campeonato Paulista, torneio com clubes do nível de Palmeiras e Corinthians.

Para conquistar a parcela do público fãs dos folhetins clássico que marcaram época na TV aberta, a HBO Max decidiu optar por um formato fresco no país. Na plataforma, as populares novelas ganharam uma nova roupagem e outro nome: telesséries.

Com um formato enxuto e menos capítulos do que um folhetim tradicional, as telesséries têm como objetivo misturar características de novelas e séries em um único produto.

A primeira produção da plataforma neste formato será Segundas Intenções, produzida por Silvio de Abreu, autor com passagem de 42 anos pela Globo, e com estreia prevista para o início de 2023. Para formar o elenco, a HBO Max assinou com grandes nomes da TV aberta, como Camila Pitanga, Antonio Fagundes e Murilo Rosa.

"Estamos muito felizes em produzir este tipo de produto. Segundas Intenções terá um processo longo, nós ainda estamos desenvolvendo os roteiros e começaremos as gravações em junho [de 2022]. Nós sabemos que brasileiros amam novelas, mas chamamos assim porque é um formato curto de produzir novelas, mas terá tudo o que elas têm", explicou Tomás Yankelevich, chefe de conteúdo e entretenimento da WarnerMedia na América Latina, em entrevista exclusiva ao Notícias da TV.

Segundo Yankelevich, a base das narrativas das telesséries terá como objetivo tirar o fôlego do espectador. Cada episódio terá um gancho no final que o conectará com o próximo, assim como as principais séries norte-americanas. Para o executivo, no entanto, o principal ingrediente será o melodrama.

O melodrama está no DNA dos latinos. Novelas são enormes na América Latina, com uma grande audiência. Nós tivemos um bom retorno com novelas turcas na plataforma e que também performaram muito bem em outros países, como Chile e Colômbia. Nós sabíamos que a audiência queria assistir novelas, então isso nos deu a confiança de produzir este tipo de gênero e colocamos todas as nossas forças nisso. Estamos tentando trazer os fãs para a plataforma. Segundas Intenções será a primeira de muitas.

Apesar de confiante com a estratégia preparada para o Brasil, Yankelevich confessou à reportagem estar ciente do risco de confiar em um formato ainda pouco explorado no mercado nacional. Para atingir um nível de excelência que conquiste o público, o executivo pontuou que é necessário ter tempo para desenvolver tais conteúdos.

"Nós estamos dando um tempo [para estrear] por alguns motivos: o investimento é enorme e nós produzimos mais episódios do que as séries convencionais. Quando você coloca todos os ovos na mesma cesta, é um risco, então montamos um grande time para tocar isso. Ao mesmo tempo, nós precisamos de tempo na plataforma para conhecer a audiência. Aqui, nós a chamamos de 'restaurante' para saber o que eles querem comer. O bom da HBO Max é que [o público] come churrasco, sushi, massa e pizza", brincou.

Concorrência com o Globoplay

A WarnerMedia não é a única com a estratégia de investir em novelas para bombar seu serviço de streaming. No início de março, a Globo anunciou que Olho por Olho, nova de João Emanuel Carneiro que estrearia na faixa das nove após a exibição de Pantanal, foi remanejada e será a primeira produzida de forma exclusiva para o Globoplay desde o sucesso de Verdades Secretas 2.

Prevista para o último trimestre de 2021, o folhetim vai ter 80 capítulos e será lançada como uma obra aberta. Neste formato, o desfecho não será definido antecipadamente e poderá sofrer alterações em seu curso.

Internamente, a Globo vê em Olho por Olho uma maneira bater de frente com a HBO Max. Segundo fontes ouvidas pelo Notícias da TV, quem leu os primeiros capítulos de Olho Por Olho enxerga um conteúdo totalmente compatível com o streaming --muitas reviravoltas, roteiro ousado e personagens capazes de serem amados e odiados pelo público.

A produção, que ainda pode ter o seu título oficial alterado, apresentará Nicolas Prattes e Sophie Charlotte como casal protagonista e Regina Casé no papel da grande vilã da trama. O núcleo principal também conta com Letícia Colin e ainda pode receber os reforços de Humberto Carrão e Caio Castro.


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.