Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Humor sagrado

Reverenciada em novelas brasileiras, Bíblia vira piada em séries americanas

Divulgação/Amazon

Michael Sheen e David Tennant em Good Omens; anjo e demônio testemunham a crucificação de Jesus - Divulgação/Amazon

Michael Sheen e David Tennant em Good Omens; anjo e demônio testemunham a crucificação de Jesus

JOÃO DA PAZ

Publicado em 11/6/2019 - 5h09

Países com as maiores populações cristãs do mundo, Brasil e Estados Unidos apresentam abordagens diferentes para a Bíblia no campo do entretenimento. Enquanto o livro sagrado é tratado com reverência nas novelas nacionais da Record, que seguem à risca o que está escrito, séries americanas são audaciosas e fazem piadas com a palavra de Deus.

Seja em Lucifer ou em Miracle Workers, a TV dos EUA investe em um humor bíblico aguçado. O exemplo mais recente dessa ousadia religiosa é a divertidíssima Good Omens, adaptação de um livro que em português ganhou o título Belas Maldições.

A minissérie de seis episódios, disponível desde o último dia 31 no Prime Video, o streaming da Amazon, acompanha uma amizade improvável entre um anjo e um demônio, que juntam forças para evitar o fim do mundo.

A comédia abusa de referências bíblicas, muitas delas conhecidas até de quem não é um fiel fervoroso. O primeiro casal, Adão e Eva, aparece em cena, e a destruição das cidades Sodoma e Gomorra é citada. Uma das sequências mais hilárias ocorre quando o anjo Aziraphale (Michael Sheen) e o demônio Crowley (David Tennant) testemunham a Arca de Noé pré-dilúvio, com os pares de animais entrando no barco.

O demônio fica estarrecido ao descobrir que Deus vai matar todos os humanos, exceto a família de Noé. "Até as crianças? Isso é um tipo de coisa que a minha turma faria", alfineta Crowley. Ele ainda brinca ao apontar para um unicórnio que bateu em retirada e fugiu da arca: "Ainda sobrou um, pelo menos", observa.

Aziraphale e Crowley, os protagonistas de Good Omens, travam um diálogo inusitado durante a crucificação de Jesus. O anjo pergunta ao amigo do inferno se ele chegou a conhecer Jesus: "Sim, eu mostrei a ele todos os reinos do mundo", responde. O anjo questiona o motivo de ele ter feito isso. "Ele é um carpinteiro da Galileia, as chances de viajar são limitadas", devolve Crowley.

E as provocações não param por aí. "O que ele [Jesus] disse para deixar todo mundo tão irritado assim?", quer saber Crowley. "Sejam gentis uns com os outros", explica Aziraphale. "É... Isso é o bastante", ironiza o demônio sem papas na língua.

Como a dupla de Good Omens está atrás do Anticristo, que nasceu e dará início ao fim do mundo, muitos relatos do livro Apocalipse ganham espaço na trama. É o caso dos quatro cavaleiros do apocalipse, que na minissérie andam de moto --e não em seus tradicionais cavalos.

Em Good Omens, Deus ainda tem a voz de uma mulher, a atriz Frances McDormand, vencedora de dois Oscar e um Emmy.

divulgação/Netflix/TBS

No mundo das séries, Lúcifer (Tom Ellis) é gostosão; já Deus (Steve Buscemi) é depressivo


Lúcifer galã e Deus beberrão

O autor Neil Gaiman, que escreveu os livros Belas Maldições e Deuses Americanos (ambos viraram série na Amazon) é também o criador do personagem Lúcifer, pertencente ao mundo das histórias em quadrinhos da editora DC Comics.

Por isso, não é à toa que o humor bíblico apurado de Good Omens também possa ser observado na série Lucifer, disponível na Netflix. Na atração da gigante do streaming, o diabo é um galã simpático, que larga o tédio do Inferno para abrir uma casa noturna em Los Angeles.

A atração não perde a oportunidade de colocar na boca de seus personagens expressões comuns do cotidiano, como "mas que diabos" ou "que inferno!".

O Lúcifer da série, vivido por Tom Ellis, tem a aparência humana de um britânico boa-pinta e, durante sua passagem na Terra, tenta se socializar. Acaba se apaixonando e, por incrível que pareça, faz ações boas e justas, punindo quem ele acha que é mau.

Já a comédia Miracle Workers se passa no Céu, como se o lugar fosse uma empresa. Deus, interpretado pelo sempre afiado Steve Buscemi, é beberrão e passa por uma depressão, que o faz se arrepender de ter criado a Terra. Ele, então, planeja destruí-la, até que uma aposta celestial promove uma mudança nos planos.

Comédia disponível completa no Now para os assinantes do canal TNT Séries, Miracle Workers é outra série que explora o fim do mundo, que só não vai acabar se dois anjos operarem um milagre: eles precisam fazer com que duas pessoas extremamente tímidas se beijem na boca.

Na série, renovada para uma segunda temporada, Deus é ridicularizado, tratado como analfabeto, boca-suja e viciado em apostas. Ele tem déficit de atenção e, para acabar com a solidão, topa até entrar em um Tinder de profetas para encontrar alguém na Terra para conversar e passar o tempo antes do fim dos tempos.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?