Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

PROTESTOS RACIAIS

Produtor de Law & Order: SVU diz que 'policiais justiceiros' não têm vez na TV

Divulgação/NBC

Em Law & Order: SVU, Ice-T fecha a cara ao lado de uma viatura, vestindo uniforme de polícia e esbanjando escudo de detetive no peito

Ice-T em cena da 21ª temporada de Law & Order: SVU; gênero policial na TV vai mudar após protestos nos EUA

JOÃO DA PAZ

Publicado em 5/6/2020 - 18h34

Os protestos que há duas semanas ocorrem nos Estados Unidos contra a violência policial, após a morte covarde de George Floyd, vão impactar e mudar a sociedade americana. E isso se refletirá no entretenimento. Para o produtor e roteirista Warren Leight, showrunner de Law & Order: SVU, "policiais justiceiros" não têm mais vez na TV.

Em entrevista para o podcast TV's Top 5, da revista The Hollywood Reporter, Leight abriu o jogo sobre o futuro do gênero policial, dono das três séries líderes de audiência nos EUA. "As atrações que estão a perigo são as do policial justiceiro", contou Leight. "Eu me sinto desconfortável com séries policiais que usam a violência ou ameaça durante interrogações. Isso já era, acabou."

Devido ao ataque contra Floyd, mais uma vítima negra nos Estados Unidos que cruzou o caminho de um policial branco, as ações dos agentes da lei na ficção necessitam ser repensadas. Pois o mau comportamento de policiais nas séries passam uma mensagem equivocada ao público.

"Existem atrações com policiais cheios de falhas como protagonistas. Não me importo em ter um tipo de policial com tal característica em uma trama. Mas um policial desse inclinado à violência, para mim serve como uma razão para legitimar a violência brutal da polícia", afirmou o produtor.

Ele ainda comentou sobre uma coisa específica do gênero que até então servia como atrativo. Aquele policial ou detetive marrento que entra na sala de interrogação e entrevista um suspeito falando palavrões, gritando e batendo na mesa, entre outras coisas. Esse momentos de fúria autoritária estão com os dias contados.

"Eu realmente odeio assistir a séries que mostram [o policial] virando a mesa da sala de interrogação. Vai ser difícil continuar com isso daqui para a frente", sentenciou.

Policial herói

Prestes a entrar na 22ª temporada, Law & Order: SVU é a série mais longeva da TV americana, o maior exemplo de uma atração policial de toda a história. Cruzar duas décadas e uma virada de século é um desafio. Coisas comuns no passado, como piadas sobre estupro na cadeia, não ganham mais espaço em SVU, disse Leight. Sim, sua atração já mostrou policiais estrelas bancando valentões na frente de um suspeito. Acabar com isso é sinal de evolução e conscientização.

Uma grande obstáculo que se apresenta no futuro próximo é a narrativa do policial herói. "As pessoas assistem à TV para ver heróis", admitiu o showrunner. Devido às circunstâncias, será complicado bater nessa tecla. É hora de colocar o pé no freio.

Em Law & Order: SVU, a dificuldade é maior porque a série tem uma aura boa, positiva. "Policiais se comportando ilegalmente não fazem parte do universo de Law & Order", confessou Leight, antes de pontuar que vai inserir na próxima temporada narrativas com alguns agentes agindo fora da lei.

Segundo Leight, também não vai faltar uma menção a George Floyd, ao encontro da linha tradicional de Law & Order de copiar na TV casos reais.

Questionado sobre o que a série está fazendo para melhorar a diversidade e representatividade nos episódios, Leight explicou o que foi feito na temporada passada. Ele trouxe para a sala de roteiristas quatro pessoas que nunca escreveram uma linha de roteiro sequer na vida. Uma tinha como experiência o jornalismo em bairros carentes, conhecedor de cada "quebrada" de Nova York. Entrou para dar essa perspectiva para os episódios. Isso será mantido e ampliado.

Desde o último sábado, episódios de Law & Order: SVU são exibidos pela Band, às 23h. Na TV paga, a série pode ser vista no Universal TV e no Fox Life. No streaming, está disponível no Prime Video, plataforma da Amazon.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?