Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

GloboNews elogiada

CNN Brasil vira piada e alvo de crítica por ignorar protestos nos Estados Unidos

Reprodução GloboNews/CNN Brasil

A repórter Candice Carvalho em protesto nos EUA na GloboNews; Leandro Karnal em entrevista a CNN Brasil

A repórter Candice Carvalho em protesto nos EUA na GloboNews, enquanto CNN Brasil exibiu programa com Leandro Karnal

REDAÇÃO

Publicado em 31/5/2020 - 13h18

Na madrugada de domingo (31), protestos aconteceram nos Estados Unidos contra racismo e a conduta violenta da polícia, após o assassinato de George Floyd, um homem negro de 46 anos que foi asfixiado por um oficial. A CNN Brasil tem sido muito criticada no Twitter por ter ignorado esse assunto e exibido reprises no horário. Ao mesmo tempo, a GloboNews tem recebido elogios pela cobertura ao vivo do tema.

No momento em que um protesto acontecia em Nova York, a GloboNews transmitia tudo ao vivo, com duas repórteres no local, mostrando ações dos manifestantes e dos policiais.

Enquanto isso, por volta de 1h da manhã, a CNN Brasil exibiu o especial O Mundo Pós-Pandemia – Expectativa x Realidade, com o historiador Leandro Karnal como convidado. Também foi ao ar o documentário Cidades Movimentadas.

O canal foi alvo de críticas por não dar a devida atenção aos eventos dos Estados Unidos, que têm chamado a atenção no mundo todo e são de grande relevância pública. Além disso, telespectadores têm comentado que a CNN Brasil poderia ter acesso exclusivo a material registrado nas sedes norte-americanas do canal, e assim poderia ter conteúdo muito mais elaborado sobre a situação.

Pela disparidade na cobertura entre os dois canais de notícias, a CNN Brasil virou meme. Confira algumas reações do público nas redes sociais:

Na sexta (29), a CNN Brasil já havia sido criticada nas redes sociais por escalar William Waack para comentar os protestos antirracistas nos Estados Unidos. O público não gostou de ver o jornalista falando sobre o tema por conta de seu histórico profissional.

Em novembro de 2017, quando era âncora do Jornal da Globo, Waack foi acusado de racismo após o vazamento de um vídeo no qual aparecia à frente da Casa Branca, nos Estados Unidos, e se revoltou quando um carro passou buzinando atrás. "Tá buzinando por quê, ô seu merda? Eu não vou nem falar porque eu sei quem é, né? É preto, é preto. É coisa de preto", disse na ocasião. Ele foi afastado prontamente da Globo, mas sua demissão foi anunciada apenas no final de dezembro.

Leia também

Enquete

Você gostou dos participantes escolhidos para o BBB22?

Web Stories

+
Faustão na Band abala concorrentes com ibope histórico e equipe provoca RecordAntes da estreia, BBB22 já rendeu treta entre famosos, tentativa de redenção e maisBBB22: Após frustrar público, Globo anuncia participantes nesta sexta-feiraSunga branca, esponjão e recorde no paredão: 10 momentos para o BBB22 tentar superarSabrina Sato volta à Globo; apresentadora já foi Bailarina do Faustão e esteve no BBB

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas