Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

MARCO NA PREMIAÇÃO

Emmy 2021 ignora atores não-brancos, mas consagra vitória histórica de mulheres

Reprodução/YouTube

Kate Winslet durante a cerimônia do Emmy 2021

Kate Winslet levou o prêmio de melhor atriz em minissérie no Emmy 2021 por Mare of Easttown

ANDRÉ ZULIANI

andre@noticiasdatv.com

Publicado em 20/9/2021 - 14h37

O Emmy 2021 bateu recorde do número de indicações para atores não-brancos e levantou a expectativa de que a edição deste ano teria mais diversidade em comparação às anteriores. Com a entrega dos prêmios neste domingo (19), porém, a Academia de Televisão acabou priorizando artistas caucasianos e frustrou o público que aguardava por um equilíbrio no quadro de vencedores.

Mesmo com os atores não-brancos ignorados em quase todas categorias de atuação, a 73ª edição do Emmy fez história com as vitórias de duas mulheres na disputa de melhor direção em melhor série drama e melhor série de comédia. Foi a primeira vez na premiação em que as duas estatuetas não foram para cineastas homens.

A falta de diversidade racial no Emmy 2021 ficou marcada pelas derrotas de títulos elogiadíssimos como I May Destroy You (2020) e Lovecraft Country (2020), dois dos maiores sucessos da HBO no ano passado. As duas produções contavam com protagonistas negros e indicados nas categorias de atuação.

Ao todo, as duas séries reuniram sete indicados ao Emmy 2021, duas de I May Destroy You e cinco para Lovecraft Country. De todas, apenas Courtney B. Vance saiu vitorioso ao conquistar a estatueta de melhor ator convidado em série dramática pela segunda.

Principal estrela de I May Destroy You, Michaela Coel venceu em melhor roteiro em série dramática, mas perdeu a disputa de melhor atriz em minissérie para Kate Winsley (Mare of Easttown). A categoria era uma das mais equilibradas da noite e tinha Anya Taylor-Joy (O Gambito da Rainha) como favorita, mas que também acabou saindo derrotada no final.

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Michaela Coel em discurso no Emmy 2021

O elenco de Lovecraft Country chegou à cerimônia cercado de expectativas para vitórias. Jonathan Majors (melhor ator), Jurnee Smollett (melhor atriz), Michael K. Williams (melhor ator coadjuvante) e Aunjanue Ellis (melhor atriz coadjuvante) estavam na disputa, mas terminaram o Emmy 2021 sem levar uma estatueta para casa.

Vencedor no ano passado por Pose (2018-2021), Billy Porter também estava no páreo para levar o seu segundo prêmio de melhor ator pela série, mas foi derrotado por Josh O'Connor, que venceu por seu trabalho em The Crown. Primeira artista trans indicada ao Emmy de melhor atriz, MJ Rodriguez também terminou a noite sem vitória.

O mesmo vale para o elenco de Hamilton (2020), uma das principais apostas do Disney+ para levar voltar com estatuetas para casa. Lin-Manuel Miranda, Leslie Odom Jr, Renée Elise Goldsberry, Phillipa Soo, Daveed Diggs e Anthony Ramos estavam entre os indicados, mas nenhum sagrou-se vencedor.

Nomes veteranos da premiação, Anthony Anderson (Blackish), Uzo Aduba (In Treatment) e Kenan Thompson (Saturday Night Live, Kenan) também integram a lista de artistas não-brancos ignorados no Emmy 2021, assim como os estreantes Regé-Jean Page (Bridgerton) e Carls Clemons-Hopkins (Hacks).

Nos últimos dois anos, a Academia de Televisão aumentou o número de atores negros indicados. No ano passado, quatro venceram as principais categorias --Zendaya (por Euphoria), Regina King e Yahya Abdul-Mateen II (por Watchmen) e Uzo Aduba (por Mrs. America). Em 2021, a contagem de vitórias caiu para zero.

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Lucia Aniello venceu pela comédia Hacks

Vitória das mulheres

Mesmo com a diversidade jogada para escanteio nas categorias de atuação, o Emmy 2021, reservou uma marca importante para as mulheres na história da premiação. Pela primeira vez, duas cineastas venceram as disputadas de melhor direção em série drama e comédia na mesma premiação.

Lucia Aniello venceu em melhor direção de série comédia por seu trabalho em Hacks --ela também levou a estatueta de melhor roteiro. Já Jessica Hobs foi foi a escolhida por melhor direção em série dramática por The Crown.

A última mulher a vencer em melhor direção em série drama foi Reed Monaro, que comandou o episódio piloto de The Handmaid's Tale, há quatro anos. Ela quebrou um tabu de mais de duas décadas sem a vitória de uma cineasta. Antes dela havia sido Mimi Leder, em 1995, por Plantão Médico (1994-2009).

Nas categorias de comédia, a Academia costuma olhar com mais carinho para as mulheres. Antes de Lucia, Amy Sherman-Palladino venceu em 2018 por The Marvelous Mrs. Maisel, enquanto Gail Mancuso levou a dobradinha 2013/2014 por Modern Family (2009-2020).

A conquista desta marca para as mulheres aconteceu um dia depois de Lesli Linka Glatter, uma das mais proeminentes produtoras-diretoras da TV norte-americana, ter sido eleita presidente do Directors Guild of America (o sindicato de diretores dos EUA). Ela foi seis vezes indicada ao Emmy por séries dramáticas, incluindo Homeland (2011-2020) e Mad Men (2007-2015).


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabiaElenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na política

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas