FERNANDA ANDRADE

Conheça a atriz brasileira que vai estrelar novo drama do produtor de 24 Horas

Fotos: Reprodução/Fox

Os atores Fernanda Andrade e John Slattery no primeiro episódio do drama neXt, da Fox

A brasileira Fernanda Andrade cumprimenta John Slattery em cena do drama neXt, da Fox americana

LUCIANO GUARALDO, de Nova York - Publicado em 03/11/2019, às 04h08

Nascida em São José dos Campos e criada em Campinas, a atriz Fernanda Andrade se prepara para o maior desafio de sua vida: ser a protagonista de neXt, série de suspense que a Fox americana estreia no início do ano que vem, criada por ninguém menos do que Manny Coto, produtor das premiadas 24 Horas (2001-2010) e Dexter (2006-2013).

Ter um brasileiro à frente de uma atração da TV aberta nos Estados Unidos é fato raro: nem mesmo nomes como Rodrigo Santoro ou Alice Braga conseguiram essa honra. A última vez que um ator tupiniquim carregou um programa desses nas costas foi há mais de 20 anos, com Murder One (1995-1997), estrelada pelo carioca Daniel Benzali --que foi até indicado ao Globo de Ouro por seu trabalho.

Agora é a vez de Fernanda brilhar. E, assim como Benzali, ela chega ao posto de estrela nos EUA sem nenhum trabalho no Brasil. "Eu nunca nem atuei em português!", conta ela, em entrevista exclusiva ao Notícias da TV. "É o sonho da minha mãe, e um dos meus também. De vez em quando até me procuram [para papéis em projetos brasileiros], mas parece que nunca é a hora certa."

A atriz de 35 anos, porém, não descarta a possibilidade de encaixar um trabalho em seu país de origem em meio à movimentada agenda no exterior. E, inclusive, tem até uma colega para servir de inspiração. "A Morena Baccarin fez uma série com o Selton Mello neste ano, né? Então ainda há esperança para mim", brinca ela, em referência à participação em Sessão de Terapia da indicada ao Emmy.

Fernanda saiu de Campinas para morar em Miami, na Flórida, quando tinha 11 anos, por causa do trabalho do pai, engenheiro de uma multinacional. Antes de ganhar o papel principal em neXt, ela roubou a cena em Here and Now (2018), da HBO.

A atriz acredita que protagonizar uma série em uma grande rede de TV americana é uma consequência da crescente visibilidade latina no país governado por Donald Trump. "Quando você é exposto a uma cultura diferente, ganha uma nova perspectiva. Sinto que agora tem muitos roteiristas dispostos a contar essas histórias, e o público está mais interessado em ouvi-las também", justifica.

Com parentes no Brasil, ela faz o possível para se manter ligada nos acontecimentos de seus país. Mas admite que, ultimamente, tem preferido evitar o noticiário. "Eu leio o suficiente para saber o que está acontecendo, mas depois tento esquecer tudo (risos). Senão não consigo continuar com minha vida", diz, sem citar diretamente o nome do presidente Jair Bolsonaro.

"Mas é difícil ser brasileira, morar nos Estados Unidos e não ver que a polarização política é um problema aqui, lá, e em todos os lugares. Ainda não entendemos que nem tudo precisa ser isso ou aquilo, sim ou não, certo ou errado? É um pensamento tão primitivo, que achei que nós já tínhamos superado. Uma pena que nós parecemos estar regredindo a essa racionalidade tão básica", lamenta ela.

Grande ameaça da série, a inteligência artificial neXt observa a agente vivida por Fernanda


Ameaça tecnológica

Em neXt, Fernanda interpreta Shea Salazar, uma agente do FBI que coordena um departamento de crimes cibernéticos. Logo no primeiro episódio, um de seus mentores morre em um acidente misterioso, e ela é procurada pelo bilionário Paul LeBlanc (John Slattery, de Mad Men), desenvolvedor de uma inteligência artificial capaz de se autoevoluir. Ele atribui a morte do professor à sua criação.

Shea e Paul vão trabalhar juntos ao longo da temporada para tentar parar esse inimigo invisível, mas a agente logo perceberá que a ameaça é muito maior do que imagina, já que a tecnologia faz parte de todos os momentos de sua vida.

Um dos momentos mais tensos do primeiro episódio, ao qual a reportagem assistiu em primeira mão, mostra o filho de Shea, Ethan (Evan Whitten), em uma conversa intrigante com Iliza, uma assistente virtual estilo Alexa (da Amazon), que afirma ser a melhor amiga do menino e até dá conselhos para ele. Cena digna de Black Mirror.

Ser escalada para neXt fez a atriz repensar sua relação com a tecnologia. Pelo menos momentaneamente.

"Quando gravamos o primeiro episódio, eu tapei as câmeras do meu celular e do laptop. Mas a tendência humana é abandonar todo hábito que não é tão difundido, então cheguei em casa, tirei as fitas adesivas e tudo voltou ao normal. Isso é o mais assustador, nós não temos nem a disciplina de desfazer o quanto a tecnologia já se integrou às nossas vidas. Se a série se tornar realidade e uma inteligência artificial tomar o poder, o que nós podemos fazer? Nosso intelecto não chega nem perto de competir com o dela", provoca a atriz.

NeXt ainda não tem previsão de estreia no Brasil. Confira o trailer, em inglês, da série:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Quem é o personagem mais trouxa da TV?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook