Estreia da 16ª temporada

Com hospital caindo aos pedaços, Grey's Anatomy critica sistema de saúde dos EUA

Divulgação/ABC

Hayley Chase e Kevin McKidd na 16ª temporada de Grey's Anatomy; por que Owen Hunt está vestindo verde?

Hayley Chase e Kevin McKidd na 16ª temporada de Grey's Anatomy; por que Owen Hunt está vestindo verde?

JOÃO DA PAZ - Publicado em 14/01/2020, às 05h38

A maioria das séries hospitalares americanas são ambientadas em instalações com equipamentos ponta e operados por profissionais da mais alta graduação. Mas a realidade do sistema de saúde dos Estados Unidos é outra, e é isso o que Grey's Anatomy mostra na sua 16ª temporada, com um hospital caindo aos pedaços.

A nova leva de episódios estreia nesta terça-feira (14) no Sony Channel, com exclusividade, a partir das 21h. A criação de Shonda Rhimes vai criticar o modelo de saúde americano em duas frentes: ao mostrar um hospital precário e ao debater temas apontados em uma análise profunda feita pela médica Meredith Grey (Ellen Pompeo), impedida de exercer a profissão, com risco de perder a licença médica.

Ela ficou nessa situação após um escândalo de fraude, concluído na temporada passada, que culminou com a sua demissão do sofisticado Grey Sloan Memorial Hospital. Os médicos Richard Webber (James Pickens Jr.) e Alex Karev (Justin Chambers) também foram dispensados.

Uma oportunidade para Richard e Alex surge no calamitoso hospital geral Pacific Northwest, chamado na série de Pac North, local em que nem as canetas funcionam direito. A instituição é a pior da cidade de Seattle, onde fica o Grey Sloan, mas é a número um em índice de mortalidade, burnout dos funcionários, insatisfação dos pacientes e erros médicos.

O setor de cardiologia, por exemplo, está ranqueado por volta da posição 200 em todos os EUA, de acordo com a cardiologista Teddy Altman (Kim Raver). É o caos concretizado, mas tal instituição sequer chega perto do que o brasileiro experimenta nos mais diversos sucateados hospitais públicos --ou assiste na série Sob Pressão, sucesso de audiência da Globo.

É nesse cenário que Grey's Anatomy entra com sua visão crítica e sai da zona de conforto. O telespectador fora dos EUA, acostumado a ver pacientes tratados com tudo do bom e do melhor, se depara com um pronto-socorro cheio, com gente passando mal a ponto de morrer, tudo porque não há nem equipamento nem médicos suficientes para atender a todos.

A série aproveita a oportunidade para colocar alguns profissionais do Grey Sloan no Pac North, ou ao menos com a possibilidade de se transferir para lá. Quem vai arriscar sair de uma instituição de elite para entrar em uma enrascada? Tem uns que vão vestir verde e saborear esse gostinho, por mais que seja apenas por um dia.

Diagnóstico real

O contexto do 16º ano de Grey's Anatomy é algo diferente do visto em temporadas anteriores, contudo mais próximo do que a maioria dos americanos vive no dia a dia. Esse outro lado também é reforçado pelo ponto de vista de Meredith Grey.

A loira escapou da prisão, porém foi obrigada a prestar serviços comunitários. Com muito tempo livre, ela aproveitou para refletir sobre o sistema de saúde dos EUA e atacar o que grandes hospitais fazem, como o Grey Sloan, seu antigo local de trabalho.

Meredith colocou todos seus pensamentos em um texto, pronto para mandar para algum jornal ou site. A médica afastada atirou para todos os lados condenando desde as grandes empresas farmacêuticas até planos de saúde, citando inclusive discriminação contra pacientes de nível social baixo. O telespectador ficará familiarizado com essa outra realidade da medicina americana, raramente vista em séries de TV.

Recentemente, produções como Code Black (2015-2018) e New Amsterdam abordaram o lado autêntico de hospitais precários. A primeira série se baseou nos prontos-socorros americanos que ao atingir uma sobrecarga, acionam o código preto (code black), por ter mais pacientes do que recursos para atendê-los. O drama foi exibido no Brasil pelo Sony Channel.

Já o segundo apresenta a rotina do hospital público mais antigo dos EUA (baseado em uma instituição real) --New Amsterdam está disponível no Globoplay. E Grey's Anatomy chega com uma contribuição importante para enriquecer essa narrativa, sobre tudo não ser as mil maravilhas em hospitais americanos.

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Qual é seu programa favorito gravado na quarentena?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook