ACADEMIA CRITICADA

Quatro anos após 'Oscar muito branco', apenas uma atriz negra é indicada em 2020

DIVULGAÇÃO/FOCUS FEATURES

A atriz Cynthia Erivo sozinha em cena do filme Harriet; ela concorre ao Oscar 2020

Cynthia Erivo como Harriet: ela é a única atriz negra que aparece entre os 20 indicados ao Oscar 2020

VINÍCIUS ANDRADE - Publicado em 14/01/2020, às 05h43

Após receber duras críticas em 2015 e 2016 por indicar apenas pessoas brancas nas principais categorias do Oscar, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou mudanças na definição de suas listas e passou a ser mais diversa na escolha dos premiados. Em 2020, no entanto, apenas uma atriz negra aparece entre os 20 concorrentes nas categorias de protagonistas e coadjuvantes.

Cynthia Erivo disputa por sua atuação em Harriet. Ela interpreta a ativista política que dá nome ao filme, ainda sem data para estrear no Brasil. A indicação da artista de 33 anos foi uma surpresa por aqui, considerando que o longa teve pouca divulgação até o momento. Também cantora, ela ainda concorre em canção original, por Stand Up.

Uma ausência lamentada por fãs nas redes sociais foi a de Lupita Nyong'o, protagonista de Nós. Ela apareceu na lista final do Critics' Choice Awards, mas foi ignorada pelo Oscar.

Entre ator principal, ator coadjuvante e atriz codjuvante aparecem apenas intérpretes brancos no Oscar 2020. Essa é a edição com menor representatividade desde 2016.

Realizada um ano depois da polêmica Oscar So White (Oscar tão branco), a premiação de 2017 bateu recorde e teve 20 negros concorrendo, entre atores, atrizes, produtores, roteiristas. Considerando apenas as categorias de atuação, foram seis indicados entre 20 possíveis. Viola Davis, Mahershala Ali e o diretor e roteirista Barry Jenkins, de Moonlight: Sob a Luz do Luar (eleito melhor filme do ano), saíram com estatuetas.

No ano passado, Mahershala Ali e Regina King venceram em suas categorias. A mexicana Yalitza Aparicio concorreu como melhor atriz por Roma; Spike Lee saiu na lista final de direção e ficou com uma estatueta de roteiro adaptado por Infiltrado na Klan.

Em 2018, quatro dos 20 indicados eram negros. Corra!, filme protagonizado, dirigido, roteirizado e produzido por negros, ainda entrou nas principais categorias e venceu roteiro original com Jordan Peele.

No auge da crise de representatividade, em 2016, a Academia revelou que 93% dos seus 6 mil membros naquela época eram brancos, sendo 76% homens. A idade média era de 63 anos. São eles que definem os indicados.

Ainda em 2016, a instituição disse que renovaria seus quadros com o tempo e convidou 683 novos membros, 41% "não brancos" e 46% mulheres. No ano seguinte, foram enviados mais 774 convites para 57 países diferentes. A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, no entanto, não divulgou se os convites foram aceitos e como está o seu quadro de membros atualmente.

A falta de representatividade na lista final do Oscar 2020 foi notada por internautas mundo afora. Veja abaixo algumas reações de brasileiros no Twitter:

Leia também

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não serão aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos etc. serão excluídos pelos moderadores do site. Também não serão aceitos comentários com links e propaganda de produtos, serviços e dietas.

Enquete

Que jornalista está fazendo o melhor trabalho durante a pandemia?

Últimas notícias

Compartilhar no Facebook
Curta no Facebook