Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

SEGUNDA PARTE

Chegada de Deus e Tom Ellis salvam 5ª temporada de Lucifer do desgaste iminente

Divulgação/Netflix

Dennis Haysbert e Tom Ellis na 5ª temporada de Lucifer

Dennis Haysbert e Tom Ellis na 5ª temporada de Lucifer; novos episódios estreiam nesta sexta (28) na Netflix

ANDRÉ ZULIANI

andre@noticiasdatv.com

Publicado em 28/5/2021 - 7h00

Resgatada do cancelamento pela Netflix, Lucifer viveu sua época mais ousada e criativa dentro do streaming. No entanto, a insistência em seguir com o formato de "caso da semana" a colocou na direção do desgaste iminente, sentido com mais força na segunda parte da quinta temporada, que chega ao catálogo nesta sexta-feira (28).

Principal motivo do sucesso da série, o carisma de Tom Ellis não permite que o nível da produção a torne inferior ao que já foi. Mesmo longe de seus dias de anti-herói, Lúcifer continua com a língua afiada como sempre, guardando para si os melhores diálogos. A chegada de Deus, vivido por Dennis Haysbert, também traz o frescor necessário para a produção.

Apesar de citado constantemente desde o primeiro ano, Deus só foi ser introduzido em carne e osso no final da primeira parte da quinta temporada. A aparição do Todo-Poderoso afeta a todos os personagens, principalmente Lúcifer, Miguel (também Tom Ellis) e Amenadiel (D.B. Woodside).

A presença de Deus faz com que os episódios iniciais mais pareçam uma grande sessão de terapia em família. O pouco caso com os "filhos" durante milhares de anos fez com que o trio angelical criasse traumas e manias que carrega há milênios --principalmente Lúcifer, o mais afetado deles.

Banido do Paraíso e preso na condição de senhor do Inferno, o protagonista carrega uma mágoa do pai que aflora ainda mais com a sua chegada. Também carismático, Haysbert interpreta o Deus que representa a visão de muitos: sábio, mas que escreve por linhas tortas. O peso de sua santidade entrega momentos cômicos, principalmente na sua dinâmica com os humanos da série, como Linda (Rachael Harris) e Dan (Kevin Alejandro).

Principal representante do núcleo humano, Chloe (Lauren German) é a que mais perde com o desgaste da série. Com a trama voltada para os problemas celestiais, a detetive é relegada ao papel de par romântico de Lúcifer. Diferentemente da personagem imponente e interessante que apresentou nos anos anteriores, a protagonista perde força e só volta a ter destaque já nos momentos finais da temporada.

DIVULGAÇÃO/NETFLIX

Lúcifer e Chloe na quinta temporada

Criatividade vs. saturação

Com oito episódios, a segunda parte do quinto ano é o exemplo claro de que, mesmo que a sexta temporada não estivesse oficializada como a última, Lucifer já estaria caminhando para o seu final. Na tentativa de fazer algo diferente, os showrunners Ildy Modrovich e Joe Henderson produziram dois episódios que fazem o contraste entre o respiro criativo e a já percebida saturação.

Karaokê Celestial, o terceiro desta leva, apresenta o episódio musical prometido pelos produtores no ano passado. Aparentemente sem nexo, ele mostra um equilíbrio perfeito. Todas as músicas, da banda Queen ao espetáculo Os Miseráveis, foram escolhidas a dedo para terem conexão com a série.

Essa conexão é justificada não apenas pelas ocasiões em que são inseridas, mas pela presença de Deus na Terra. Como uma maneira de provocar Lúcifer, ele faz com que as pessoas ao seu redor comecem a cantar e dançar, e o resultado é satisfatório.

Por outro lado, Nu e Com Medo, o quinto da segunda parte, centrado totalmente em Dan Espinoza, é o o famoso filler, nome dado ao episódio que nada acrescenta ou influencia na continuidade da trama, criado apenas para completar uma história ao faltar criatividade. Mais uma vez, a narrativa é inflada com um caso da semana, apenas para dar certo protagonismo ao personagem de Alejandro.

Mesmo com todo o desgaste, Lucifer encerra seu quinto ano de maneira louvável e com reviravoltas que prometem surpreender os fãs. Após um final grandioso, a sexta temporada promete explorar todo o potencial do personagem de Tom Ellis e colocar um ponto-final digno a uma série que sobreviveu ao limbo e conseguiu retornar do mundo dos mortos para dominar o streaming.

Assista ao trailer legendado:


Leia também

Enquete

Você gostou da escolha de Tadeu Schmidt para o BBB22?

Web Stories

+
Além de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na políticaApós derrota em eleição, Victor Pecoraro perde mais uma votação e deixa A Fazenda 13Deixaram saudade: Conheça cinco atores de O Clone que já morreramEsqueceram de Mim ganha novo filme no Disney+; veja como está o elenco originalTadeu Schmidt no BBB22: Conheça a carreira do apresentador na Globo

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas