Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

Oportunidades

Atores asiáticos ganham espaço em Hollywood após sucesso de Podres de Ricos

Divulgação/Warner Bros.

Protagonista do filme Podres de Ricos, Constance Wu está na TV na comédia Fresh Off the Boat  - Divulgação/Warner Bros.

Protagonista do filme Podres de Ricos, Constance Wu está na TV na comédia Fresh Off the Boat

JOÃO DA PAZ

Publicado em 25/10/2018 - 5h22

Fenômeno nos Estados Unidos, onde arrecadou cinco vezes o valor de seu orçamento, a comédia Podres de Ricos finalmente chega ao Brasil nesta quinta (25). O sucesso do longa, o primeiro em 25 anos estrelado apenas por asiáticos ou descendentes, incentivou canais e redes de TV a produzirem séries nas quais os orientais estão no centro da história.

De agosto para cá, a TV norte-americana encomendou nada menos do que seis projetos com asiáticos. É uma ação inédita na indústria de entretenimento, que ficou mais de duas décadas, entre 1994 e 2015, sem uma única série protagonizada por orientais. Quem acabou com essa seca foi a boa comédia Fresh Off the Boat, estrelada por Constance Wu, justamente a atriz principal de Podres de Ricos.

No novo pacote de séries, há atrações para todos os gostos. Uma até ironiza a premissa do filme (Crazy Rich Asians, em inglês). O longa acompanha a viagem de um casal a Singapura, onde Rachel Chu (Constance) conhece a família ricaça do seu namorado, Nick Young (Henry Golding).

Lazy Rich Asians é o nome provisório de uma comédia da rede ABC, sobre uma herdeira que vira matriarca da família de origem chinesa e precisa administrar os parentes folgados sedentos por pedaços da fortuna. O roteiro é de Jessica Gao, vencedora do Emmy neste ano pela animação Rick and Morty.

A ABC, que já exibe Fresh Off the Boat, virá ainda com outro projeto. O drama 'Ohana [família, em havaiano], ambientado no Havaí, tem como protagonistas quatro mestiças de várias regiões da Ásia que se reúnem após a morte da avó.

"A TV contou muitas tramas no Havaí, mas sob o ponto de vista de um roteirista branco. Agora é a vez de contamos uma história pela perspectiva de havaianos nativos", falou a roteirista Lisa Takeuchi Cullen para a revista The Hollywood Reporter.

Na Fox, o superprodutor Greg Berlanti cravou Kung Fu, atração que narra como uma jovem chinesa-americana administra uma academia de kung fu especial. Além de ser um encontro de amantes das artes marciais, o local ajuda os moradores de um bairro chinês a resolverem seus problemas. Enquanto apresenta um caso por episódio, a série desvenda as tradições culturais dos chineses.

A contribuição da rede NBC, a líder de audiência nos EUA, nesse movimento chega com um projeto assinado por Martin Gero, de Blindspot. Ainda sem nome, a produção envolve três irmãs, filhas de uma mãe coreana e um pai caucasiano. Elas precisam tomar uma posição depois que o patriarca é preso. Identidade cultural é um dos temas da série.

A TV paga entra no jogo com duas atrações. O canal FX encomendou Shogun, inspirado em um livro que originou uma minissérie exibida na rede NBC em 1980. A trama gira em torno de um marinheiro inglês que naufraga no Japão dos anos 1600. Lá, ele se aproxima de um senhor feudal e de uma samurai.

De acordo com o canal, a série irá focar mais nos personagens asiáticos do que no britânico. Shogun é a série mais ambiciosa feita pelo FX, com escala de produção internacional.

Por sua vez, a HBO vem com uma comédia urbana atual, no bairro Koreatown, em Los Angeles. Chamada de KTown, a produção segue os passos de uma jovem coreana-americana, vivida por Greta Lee (The Good Fight), patricinha que se reconecta com suas raízes familiares na cidade.

TUDO SOBRE

FX

HBO

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?