Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

All American

Série imita filme de Sandra Bullock com sonho de jovem virar jogador da NFL

Divulgação/The CW

O ator Daniel Ezra é um jovem jogador de futebol americano no drama All American, estreia da Warner - Divulgação/The CW

O ator Daniel Ezra é um jovem jogador de futebol americano no drama All American, estreia da Warner

JOÃO DA PAZ

Publicado em 24/10/2018 - 5h40

Um jovem negro, de origem humilde, mora com uma família rica e joga futebol americano na escola. Sonha entrar na universidade e virar jogador da NFL, a liga profissional dos Estados Unidos. Parece a sinopse do filme Um Sonho Possível (2009), pelo qual Sandra Bullock ganhou o Oscar, mas é a história da série All American.

Com produção de Greg Berlanti (o mesmo de Blindspot e Flash), All American estreia na virada desta quarta (24) para quinta, à 0h30, na Warner. Assim como o longa, que conta a história real do atleta Michael Oher, a atração da TV adapta a trajetória de vida de um jogador de verdade, Spencer Paysinger. Com origens parecidas, ambos conseguiram se profissionalizar e até venceram o Super Bowl, a final da NFL.

O ator Taye Diggs (de Private Practice e Empire) está no elenco da série, que acompanha a vida de Spencer James (Daniel Ezra), estrela do futebol americano no nível escolar da cidade de Los Angeles. Morador de Crenshaw, bairro carente da zona sul, ele é recrutado pelo técnico Billy Baker (Diggs), de uma das escolas mais prestigiadas da vizinha rica, Beverly Hills.

Como o trajeto da casa em Crenshaw para o novo colégio é um tanto longo, James é convidado para morar com Billy. A mulher do treinador, a advogada Laura Fine (Monet Mazur), vê a mudança com bons olhos. Já seus filhos recebem o novo morador de formas distintas. A bela Olivia (Samantha Logan) sente atração por James. Já o quarterback Jordan (Michael Evans) o enxerga como rival.

All American aproveita o choque de culturas para explorar as diferenças no cotidiano dos mais abastados em contraste com os que têm somente o suficiente para viver. Tudo pelo ponto de vista de James, que precisa manter o foco caso queira aprimorar suas habilidades para chamar a atenção dos olheiros das melhores universidades do país e ganhar uma bolsa de estudos para jogar futebol americano.

Na seara de produções sobre um dos esportes mais replicados em Hollywood (seja cinema ou TV), All American não faz feio. É impossível não lembrar de Friday Night Lights (2006-2011), drama consagrado, indicado ao Emmy. A série, disponível no Prime Vídeo (plataforma da Amazon), triunfou por ter um elenco vasto, cheio de histórias interessantes para contar.

Focado basicamente em um único personagem, All American tem uma ou outra jornada paralela à do protagonista que merece destaque.

Crítica e audiência
Atração da nanica CW, All American foi bem avaliada pelos críticos norte-americanos, com nota 63 (de 100) no site Metacritic, desempenho melhor do que a badalada 9-1-1 (60), da série sensação Manifest (55), a nova Lost, e FBI (57), líder de audiência entre os dramas novatos.

A audiência é precisamente o calcanhar de Aquiles de All American. Disputando público com hits como Chicago Fire (NBC) e Modern Family (ABC) nas noites de quarta-feira, a atração tem média de 650 mil telespectadores por episódio (dois exibidos até o momento), metade de Riverdale, apresentada antes.

Porém, a CW não é de cancelar séries somente pela audiência baixa. Até porque a rede tem as dez produções menos vistas da atual fall season. Ela leva outros fatores em consideração para renovar ou não uma de suas atrações. Pelo prestígio, por exemplo, deu uma nova chance a Crazy Ex-Girlfriend, no ano passado, mesmo com a segunda temporada no último lugar no ranking de audiência de toda a TV americana.

Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?