Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

REI DA INTERNET

YouTube bate Netflix e Globoplay e é líder de audiência digital no Brasil

REPRODUÇÃO/YOUTUBE

Imagem de Felipe Neto em vídeo publicado no YouTube

Felipe Neto em vídeo publicado no YouTube; plataforma lidera audiência digital dos brasileiros

ERICK MATHEUS NERY

erick@noticiasdatv.com

Publicado em 18/5/2022 - 10h00

Na guerra do streaming, quem lidera a audiência dos consumidores brasileiros é o YouTube. Segundo um levantamento inédito da Kantar Ibope Media, a plataforma de vídeos do Google tem um resultado superior ao registrado pela Netflix e o Globoplay. Enquanto isso, a HBO Max nem aparece no ranking.

De acordo com o estudo Inside Video 2022, 21% do tempo dedicado ao consumo de vídeo pelos brasileiros ocorre nas plataformas de vídeo on-line, e 79% na televisão, seja ela aberta ou por assinatura. Dentro da fatia digital, 15% do tempo fica em plataformas AVOD (gratuitas e financiadas por publicidades) e os outros 6% são em opções SVOD (financiadas por assinaturas).

No universo virtual brasileiro, o YouTube é a plataforma com maior audiência, seguida pela Netflix, Globoplay, Prime Video, Twitch e Disney+. HBO Max e Star+, que possuem o trunfo dos direitos de competições esportivas com transmissões ao vivo e exclusivas, não entraram na lista. Os dados foram coletados no primeiro trimestre de 2022.

Nos Estados Unidos, a gigante do streaming vence o embate contra o ambiente digital do Google. Segundo os dados da Nielsen apresentados pela Netflix em seu último balanço ao mercado, em fevereiro de 2022, o serviço de streaming ocupava 6,4% do tempo dos norte-americanos em frente ao televisor. Enquanto isso, o YouTube vinha logo atrás, com 5,7%. Em maio de 2021, ambos ficaram empatados em 6%.

No recorte por classe socioeconômica, a classe C é quem mais consome vídeos on-line (48%), seguido pelas classes AB (40%) e DE (12). Por idade, os adultos de 35 a 49 anos lideram este ranking (26%), seguidos pelos menores de idade (24%) e pela faixa etária dos 25 aos 34 anos (18%).

Com a intensificação da guerra do streaming, as empresas também precisaram tirar dinheiro do bolso para aparecerem perante ao público. De 2019 a 2021, as plataformas de streaming aumentaram seus investimentos publicitários em 243%.

De acordo com a Kantar Ibope, os cinco principais motivos para os brasileiros assinarem um serviço de streaming são o preço (47%), amplo catálogo de novos filmes e séries (47%), o site/aplicativo funcionar bem (30%), amplo catálogo de filmes e séries antigas (25%) e a facilidade de encontrar/navegar nas plataformas (22%).

Playground das marcas

Com a pandemia da Covid-19, os realities tornaram-se um dos principais trunfos de audiência da TV. Na TV aberta, eles ocupam apenas 1% da programação, mas conseguem prender 4% do tempo do telespectador. E eles marcam um índice de intensidade de consumo (uma métrica de engajamento) de 366. Neste parâmetro, programas jornalísticos e de auditório registram uma nota de 276 cada.

Dessa forma, essas competições viraram um parque de diversões para as empresas. Entre 2019 e 2021, foi registrado um aumento de 20% nas ações de branded content nos realities.

Porém, no final do dia, quem mexe com o coração do brasileiro é a novela. O público dedica 18% do tempo de consumo televisivo para essas produções, e elas contam com um índice de intensidade de consumo de 1,510.


Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.