Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

VAI MUDAR TUDO

Uefa cria licitação para vendas de TV da Champions: má notícia para SBT e Warner?

REPRODUÇÃO/SBT

Neymar e Di Maria conversam em jogo da Champions League sobre um ataque

Neymar e Di Maria, jogadores do PSG que disputam a Uefa Champions League, exibida por SBT e TNT Sports

GABRIEL VAQUER, colunista

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 16/10/2021 - 6h49

De maneira inédita, a Uefa decidiu criar uma licitação para que agências de marketing de todo o mundo façam propostas pelo direito de vender partidas da Champions League a TVs e grupos de mídia. Desde que a competição assumiu esse nome, em 1992, a agência Team cuida da negociação. A novidade passará a valer a partir da temporada 2024/2025. A medida pode significar problemas para SBT e WarnerMedia, atuais donos da competição no Brasil, na hora da renovação de contratos.

O Notícias da TV teve acesso à carta-convite enviada para várias agências, algumas do Brasil. Além da venda de direitos comerciais, inclusive de transmissão e patrocínio, o pacote inclui o gerenciamento de contas e serviços associados para outras competições da confederação, como a Europa League, Supercopa da Uefa e Conference League.

Quem vencer vai negociar com empresas mundiais o ciclo de três anos, entre as temporadas 2024/2025 e 2026/2027. A Team é a responsável por essa ponte desde a primeira temporada da Champions. A mudança ocorre porque os gigantes mundiais querem mais dinheiro e um adiantamento a ser distribuído entre eles.

Embora os clubes tentem assegurar um valor mínimo, a Uefa tradicionalmente evita acordos desse tipo. Hoje, uma porcentagem do arrecadado com as vendas fica com a Team, enquanto o resto é distribuído aos times, mas sem um valor base para isso.

Na América do Sul, por exemplo, a agência FC Diez Media, que vende a Libertadores para empresas de todo o continente, oferece um mínimo de US$ 300 milhões para a Conmebol por ano em direitos de transmissão. É isso que os clubes europeus querem e que a Uefa vai tentar atender. 

A própria Team pode fazer uma proposta e seguir com o seu trabalho. Apesar de a empresa com base na Suíça enfrentar condições difíceis nos direitos de mídia em alguns mercados e com o impacto da Covid-19 nas vendas, um total de US$ 4 bilhões (R$ 22 bilhões, na cotação atual) foi gerado pela agência em receita bruta de vendas comerciais para as competições da Uefa na temporada 2021/2022.

O que isso impacta no Brasil?

A novidade pode impactar o mercado nacional. Atualmente, os direitos da Champions League estão nas mãos do SBT (TV aberta) e da WarnerMedia (TV paga e streaming). Ambas têm uma relação muito boa e bastante próxima com a Team.

Uma nova empresa que ganhar a licitação, no entanto, pode querer vender as partidas para um grupo mais poderoso de mídia ou com quem já negocia em outras áreas. Ou seja, um relacionamento inédito terá que ser iniciado imediatamente após o resultado, de olho em frutos daqui a alguns anos.

A Uefa deve definir quem venderá os direitos da Champions League apenas no início de 2022. Os atuais contratos da TV de Silvio Santos e do grupo americano terminam na temporada 2023/2024.


Leia também

Enquete

Você gostou do primeiro mês de Um Lugar ao Sol?

Web Stories

+
Traída, enganada e desprezada: 7 vezes em que Bárbara quebrou a cara em Um Lugar ao SolMansão nova, presença VIP e publis: Saiba tudo sobre a carreira de Deolane BezerraÚltima temporada de La Casa de Papel: Após o fim, série já tem spin-off confirmadoFicção virou realidade: Casa de Esqueceram de Mim é aberta ao público; veja fotosDivórcio, tragédia e treta: 5 notícias que peões de A Fazenda 13 não sabem

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas