Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

GUERRA DO STREAMING

Na luta contra Netflix, Disney+ pode chegar a 194 milhões de assinantes

Divulgação/Disney+

Baby Yoda e Pedro Pascal em cena da série The Mandalorian

The Mandalorian é um dos destaques do Disney+; serviço pode chegar a 194 milhões de assinantes até 2025

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 16/11/2020 - 15h07

O Disney+ estreia nesta terça (17) no Brasil já como um fenômeno. O streaming da empresa do Mickey Mouse conta com 73 milhões de assinantes com apenas um ano de vida, superando as expectativas iniciais, que projetavam até 90 milhões em cinco anos. Esse número pode aumentar para 194 milhões até 2025, o que o faria bater de frente com a grande rival Netflix.

Os dados são frutos de um estudo feito pelo instituto britânico Digital TV Research e publicado em relatório divulgado nesta segunda-feira (16). A projeção é maior do que a sugerida em setembro, que apontava um total de 172 milhões para o mesmo período.

Segundo Simon Murray, analista do instituto, o relatório apresentou números mais positivos para o streaming da Disney após o último trimestre da plataforma ter um desempenho superior ao esperado. Para ele, o principal motivo dessa melhora se deve aos pacotes nos quais o serviço é oferecido em alguns países.

Nos Estados Unidos, o Disney+ pode ser adquirido em um pacote que inclui o Hulu e o ESPN+, serviços que ficam embaixo do mesmo guarda-chuva do estúdio do Mickey. Na Índia, outro grande mercado apontado por Murray, a plataforma disparou o número de assinantes devido à sua cobertura de criquete, esporte muito popular no país. No Brasil, uma parceria foi anunciada com o Globoplay, streaming da Globo.

Para o analista, tanto os EUA quanto a Índia serão responsáveis por metade da base total de usuários esperados para o Disney+ até 2025.

O mesmo relatório do Digital TV Research também explica o motivo de que a plataforma não deve chegar aos mais de 200 milhões de assinantes sugeridos em previsões anteriores. Segundo Murray, a baixa se deve a perda de interesse do público pelo serviço após a empolgação inicial.

"Com exceção da Índia, parece que há uma queda veloz de assinantes em países que contaram com uma massiva adesão ao serviço. A Disney é muito boa em promoções de pré-venda e divulgação, mas o crescimento parece diminuir após o período inicial", analisou.

Para 2025, Murray projeta que as cinco principais plataformas de video por demanda contarão, ao todo, com 678 milhões de assinantes. O relatório destaca números futuros para Netflix (274 milhões), Disney+ (194 milhões), Amazon (167 milhões), HBO Max (28.5 milhões) e Apple TV+ (13.4 milhões).


Leia também


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

O que você achou do Disney+?