Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TV DO FUTURO

Globo compra tecnologia inédita no Brasil para economizar com eventos ao vivo

DIVULGAÇÃO/TV GLOBO

Paulo Marinho com uma camisa branca e um sorriso, olhando para a câmera

Paulo Marinho é presidente da Globo: grupo terá software para reduzir custos de eventos ao vivo

GABRIEL VAQUER, colunista

vaquer@noticiasdatv.com

Publicado em 27/4/2022 - 18h53

A Globo fechou uma parceria com a empresa Grass Valley, especializada na indústria de mídia e entretenimento, para ter acesso a uma plataforma nunca usada no Brasil e que permite transmissões ao vivo através da tecnologia de nuvem online. Com isso, a empresa economizará custos em eventos como torneios de futebol, shows musicais e programas jornalísticos. É mais um passo de seus executivos para que a empresa seja mais sustentável. 

O software é chamado de GV AMPP --Plataforma de Processamento de Mídia Ágil, em tradução para o português. O serviço já foi usado por gigantes de mídia e redes de TV em outros continentes. Por aqui, a Globo planeja usá-lo em 2022 para mais de 200 transmissões até dezembro. A expectativa é aumentar gradativamente o uso ao longo dos anos.

Conforme explicado pela Grass Valley em comunicado enviado ao Notícias da TV, o GV AMPP é a primeira plataforma SaaS (software as a service) baseada em nuvem para a produção de eventos ao vivo no mundo. Isso faz com que as empresas não precisem mais adquirir grandes mesas de equipamento nem caminhões gigantescos para a narração e transmissão de jogo de futebol em estúdios ou estádios, por exemplo.

Segundo a Grass Valley, o sistema de nuvem é duas vezes mais rápido e vai diminuir até mesmo o delay em que uma partida chega na tela do telespectador. "Ele foi desenvolvido especificamente para libertar as empresas de mídia da dependência de sistemas baseados em hardware e acelerar sua migração para a nuvem", detalhou a multinacional.

"Nosso objetivo é otimizar nossa infraestrutura tecnológica e gerar novas oportunidades de negócios por meio de uma plataforma escalável", disse o diretor de Infraestrutura e Segurança da Globo, Mauricio Felix, no comunicado enviado pela Grass Valley. A Globo já faz testes com eventos em nuvem desde o ano passado. Todos eles foram bem-sucedidos.

"Tem sido uma jornada de aprendizado e colaboração entre a Globo e a Grass Valley para alcançar a plataforma certa, o modelo operacional e a maturidade do modelo de negócios para nossos eventos ao vivo", acrescentou Felix. A Grass Valley já é parceria da Globo em fornecimento de software desde 2019 e tem ajudado a modernizar equipamentos da emissora.

"A Globo nos forneceu um feedback inestimável que fortaleceu a plataforma, assegurando que ela esteja pronta para aplicações de produção ao vivo em larga escala", disse Fernando David, diretor de Vendas da Grass Valley Brasil.

Globo e a tecnologia

Desde o ano passado, a Globo trabalha para ser uma espécie de "televisão do futuro". Em abril de 2021, o conglomerado de mídia brasileiro e o Google fecharam uma parceria que permitiu à emissora ter acesso a tecnologias da gigante da internet e, consequentemente, mudar a maneira como se produz e consome TV aberta e streaming. 

A Globo usa os serviços de armazenamento na nuvem e compartilha competências do Google em inteligência artificial e machine learning para modernizar suas operações. O contrato vai até 2028.

Até o ano que vem, a Globo tem o planejamento de migrar para os servidores do Google todos os dados que mantém em um datacenter na zona oeste do Rio --que já foi vendido pela empresa da família Marinho, inclusive. 

A ideia é que todo o seu acervo de novelas e programas, hoje 70% digitalizado, seja integralmente armazenando em nuvem, reduzindo custos. A nuvem também será usada para gravações de atrações diversas e produtos de publicidade do grupo. 

TUDO SOBRE

Globo


Leia também

Enquete

Qual a melhor novela no ar atualmente?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.