Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

Imagem obscena

Streaming da Disney censura bumbum de Daryl Hannah no filme Splash; veja

Reprodução/Touchstone Pictures

Com um cabelo longo e loiro, Daryl Hannah aparece no filme Splash: Uma Sereia em Minha Vida

A atriz Daryl Hannah em cena do filme Splash: Uma Sereia em Minha Vida; bumbum censurado no Disney+

JOÃO DA PAZ

Publicado em 13/4/2020 - 17h59

Streaming da Disney voltado para a família, o Disney+ encontrou soluções bizarras para não exibir o bumbum da atriz Daryl Hannah no filme Splash - Uma Sereia em Minha Vida (1984). Além de um corte brusco ao mostrá-la de costas, os editores da plataforma esticaram o cabelo da personagem principal do longa no momento em que ela entra no mar nua.

A cena tosca, postada pela internauta americana Alison Pregler, virou assunto no Twitter nesta segunda-feira (13). Madison (Daryl), a sereia da trama, beija na boca o empresário Allan (interpretado por Tom Hanks) e corre pelada em direção ao mar. Na versão original, um pedaço do bumbum dela foi mostrado. Já na disponibilizada pelo Disney+, o cabelo loiro da personagem cresceu um pouco, ultrapassando as nádegas, para tapar a "indecência".

Lançado há 36 anos, Splash chegou aos cinemas com a recomendação PG-Rating, nos Estados Unidos. Isso significava que o longa tinha cenas que poderiam ser inapropriadas a menores de 13 anos. Essa classificação indicativa pedia aos pais que ficassem atentos com o conteúdo e eles próprios decidirem se os filhos poderiam ver a nudez e ouvir alguns impropérios ditos durante o filme.

Justamente por isso, Splash não foi lançado com o selo Walt Disney Studios. E sim pela Touchstone Pictures, marca criada naquele ano para ser uma parte da empresa para produções mais maduras, voltadas ao público adulto.

Splash - Uma Sereia em Minha Vida apresentou Tom Hanks e Daryl Hannah no frescor de suas carreiras sob a direção do também jovem Ron Howard. O filme atualizou a lenda do canto da sereia, transportando o mito da mulher metade humana metade peixe que atrai os homens para o mar, afogando-os em seguida, para a Nova York dos anos 1980.

Foi nesse contexto que a sereia Madison agiu contra a sua natureza, salvou Allan de se afogar e depois tentou conquistá-lo. O filme chegou a ser indicado ao Oscar de melhor roteiro original, em 1984, mas perdeu para Um Lugar no Coração, em cartaz no mesmo ano

Veja abaixo imagem e vídeo censurado de Splash:

Polêmica do Disney+

No ar desde novembro nos Estados Unidos, o Disney+ tem feito de tudo para manter a identidade de um streaming com conteúdos para toda família. O que essencialmente quer dizer nada de sexo, farra ou coisas relacionadas.

A plataforma se viu no meio de uma polêmica no mês passado por rejeitar a série Love, Victor, uma adaptação do longa Com Amor, Simon (2018). A história acompanha um adolescente gay, em uma jornada de autodescoberta. A previsão é que o Disney+ seja disponibilizado no Brasil só a partir de novembro deste ano.

Leia também

Enquete

Pantanal perde audiência: novela está chata?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.