Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

TIM POCOCK

Proibido de ler HQs, Ciclope de X-Men trabalhava em cinema quando virou astro

DIVULGAÇÃO/20TH CENTURY FOX

De jaqueta jeans e óculos vermelhos, Tim Pocock está caracterizado como o Ciclope de X-Men Origens: Wolverine (2009)

Tim Pocock em X-Men Origens: Wolverine (2009); ator colocou cartaz do próprio filme em multiplex

LUCIANO GUARALDO

luciano@noticiasdatv.com

Publicado em 14/2/2021 - 7h00

Antes de atuar na série australiana Dance Academy (2010-2013), o ator Tim Pocock interpretou o mutante Ciclope no filme X-Men Origens: Wolverine (2009). Curiosamente, ele sabia pouco sobre os super-heróis porque as HQs eram proibidas em sua casa durante a infância. E foi de funcionário de um cinema para as telonas do local em que trabalhava.

Em entrevista exclusiva ao Notícias da TV, o ator de 35 anos fala sobre sua relação tumultuada com a cultura pop. "Eu tinha 14 ou 15 anos quando o primeiro filme dos X-Men [2000] foi lançado. Nunca tinha lido uma HQ porque, na minha casa, não era permitido. Então, não sabia muito sobre super-heróis. Conhecia o Batman e o Superman, claro, porque todo mundo os conhece. Mas os personagens da Marvel, nem tanto", admite.

"Então, quando o primeiro X-Men foi lançado, eu via os cartazes por todo lado, e tinha um do James Marsden como o Scott [Summers, identidade secreta do Ciclope]. E ele era meio que o exemplo de um cara popular, talentoso e carismático. Acho que todo mundo o admirava, 'quero ser esse cara quando crescer'", lembra Pocock.

Por coincidência, o jovem ator se tornou exatamente o cara que sonhava ser ao ser escalado para o longa. "Eu vi todos os outros filmes, virei fã. Tive meio que um momento 'me belisca!' quando fui escalado, porque sete ou oito anos antes eu era justamente o menino falando que queria ser o Ciclope! Foi muito legal", valoriza.

Como toda superprodução, X-Men Origens: Wolverine exigia que o elenco e a equipe guardassem segredo sobre todos os detalhes. Então, Pocock não pôde sequer contar para os amigos e colegas de trabalho que o papel do jovem Scott Summers era dele.

"Em um dia eu trabalhava em um cinema, pegava os ingressos do público e indicava para qual sala deveriam ir, no outro estava filmando com Hugh Jackman e Ryan Reynolds! E eu não podia falar com ninguém sobre isso! Lembro que pedi um mês de folga do trabalho, mas não podia nem dizer o motivo. 'Só preciso do meu emprego de volta depois, obrigado' (risos)."

O destino ainda pregou uma peça no ator quando ele voltou para o trabalho cotidiano. "Um dia, o cartaz do filme chegou no cinema, e eu aparecia nele. Eu estava com a minha equipe, a gente estava desenrolando os pôsteres novos. Eu vi o rosto do Hugh e pensei: 'Acho que é o meu filme'. Continuei desenrolando e ali eu estava! 'Lembram quando eu desapareci durante seis semanas? Bem, esse sou eu!'", diverte-se Pocock.

Decepção dos nerds

Além de X-Men, Tim Pocock também atuou em outra produção da Marvel: a série Runaways (2017-2019), chamada de Fugitivos no Brasil. Apesar dessa relação estreita com o universo das HQs, o australiano confessa que decepciona os fãs com sua falta de conhecimento sobre a cultura pop.

"Eu fiz algumas convenções, e as pessoas se aproximam e me perguntam coisas muito específicas sobre algo, e eu não faço ideia de como responder. Elas esperam que você saiba tudo, especialmente quando você é o personagem! Você deveria conhecer a própria vida, sabe? Mas eu só posso dizer: 'Sinto muito, eu não sei!' (risos)", lamenta.

Confira a segunda parte da entrevista de Tim Pocock:


Leia também

Enquete

Você gostou dos primeiros capítulos de Verdades Secretas 2?

Web Stories

+
Como aconteceu acidente com Alec Baldwin que matou fotógrafa no set de novo filmeCinco casais que se formaram no Casamento às Cegas Brasil e você não sabiaElenco de Verdades Secretas 2: Conheça os novos personagens da novelaOutubro Rosa: Conheça cinco famosas que venceram o câncer de mamaAlém de José de Abreu: Sete atores brasileiros que se aventuraram na política

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas