Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
twitter
Instagram
YouTube

REFLEXOS DA PANDEMIA

Decisão histórica: Warner lançará filmes no cinema e no streaming ao mesmo tempo

Divulgação/Warner Bros.

Timothée Chalamet em cena do remake de Duna

Com Timothée Chalamet, o remake de Duna é um dos lançamentos afetados pela decisão da Warner

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 3/12/2020 - 17h05

Em decisão histórica, a WarnerMedia anunciou que todos os seus filmes com lançamentos programados para 2021 chegarão ao mesmo tempo nos cinemas e no streaming. A mudança no cronograma afeta todos os blockbusters do estúdio com grandes expectativas de bilheteria, como Duna, Matrix 4 e Space Jam 2.

Com o novo "cronograma", todos os filmes da Warner permanecerão cerca de um mês após o lançamento no HBO Max, plataforma de vídeo sob demanda do estúdio. Depois desse período, os títulos deixarão o catálogo e continuarão com a exibição nos cinemas. Isso vale apenas para os Estados Unidos. Nos outros países, as estreias continuam exclusivas para as salas que estiverem em funcionamento.

Além das continuações de Matrix e Space Jam, todos os blockbusters do estúdio programados para estrear em 2021 serão afetados. São os casos de O Esquadrão Suicida, Tom & Jerry, Godzilla vs. Kong, Mortal Kombat, Invocação do Mal 3 e muitos outros.

"Esse modelo híbrido foi criado como uma resposta estratégica ao impacto da pandemia global que está acontecendo", disse um representante da WarnerMedia em comunicado enviado à imprensa.

Ann Sarnoff, CEO da companhia, disse em outro comunicado que essa decisão é uma estratégia pensada para apenas um ano. Segundo ela, os executivos do estúdio não planejam seguir com o lançamento híbrido para 2022.

"Estamos vivendo tempos sem precedentes e que exigem soluções criativas. Ninguém quer os filmes de volta aos cinemas mais do que nós. Nós sabemos que conteúdos novos são o que dá forças à exibição nas telonas, mas nós precisamos balancear isso com a realidade de que muitas salas vão operar com capacidade restrita durante 2021", explicou.

A decisão da Warner pode mudar o seu panorama nos cinemas para o futuro. Historicamente, os Estados Unidos representam uma parcela importante das bilheterias de cada filme. Sem esse valor, o estúdio pode deixar de arrecadar milhões de dólares.

Ao site Deadline, um especialista da indústria cinematográfica disse que a escolha de um lançamento hibrído afetará os ganhos de Mulher-Maravilha 1984, primeiro filme confirmado a adotar essa estratégia. Segundo suas contas, o longa estrelado por Gal Gadot precisará fazer 40% a mais do que Tenet (2020) conseguiu com sua exibição nos cinemas (US$ 357 milhões).

"Com este plano único de um ano, podemos apoiar nossos parceiros com um fluxo de exibição constantes de filmes com apelo mundial, ao mesmo tempo em que oferecemos aos cinéfilos uma opção para aqueles que não podem ter acesso ou não estão prontos para voltar aos cinemas. Vemos isso como uma vitória para os amantes do cinemas e para os exibidores", concluiu Ann.


Leia também

Web Stories

+
Lançamentos da semana têm Quem Matou Sara? e documentário de Pink; saiba maisDez anos após o fim de Smallville, veja como está o elenco da sérieDe cuidadora de cachorros a musa sertaneja: Como está Juliette fora do BBB21Salve-se Quem Puder: Última semana da reprise tem chantagem, reencontro perigoso e revelaçãoPower Couple Brasil 5 aposta em casais polêmicos e promete barraco e confusão

Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.

Mais lidas

Enquete

Você está animado para a nova temporada do No Limite?