Menu
Pesquisar

Buscar

Facebook
Twitter
Instagram
Youtube
TikTok

REVISÃO DO CASO

Tribunal dos EUA se recusa a prender Bill Cosby, acusado de abusar de 60 mulheres

Reprodução/YouTube

Bill Cosby durante entrevista ao programa australiano Studio 10

Bill Cosby durante entrevista ao programa australiano Studio 10; ator continua solto nos EUA

REDAÇÃO

redacao@noticiasdatv.com

Publicado em 7/3/2022 - 14h18

Bill Cosby, ex-astro da comédia dos Estados Unidos condenado por estupro e acusado de abusar de mais de 60 mulheres, continuará solto. A Suprema Corte do país anunciou nesta segunda-feira (7) que não irá revisar a decisão que resultou na soltura do ator da prisão em junho de 2021.

Logo após Cosby ser solto, promotores do Estado da Pensilvânia entraram com um pedido de revisão para a Suprema Corte para analisar a anulação da condenação do ator. A decisão causou a fúria das vítimas que denunciaram os abusos do comediante.

A equipe jurídica de Cosby atacou os promotores da acusação por apresentar a petição para revisão, chamando-a de "um esforço patético de última hora que não prevalecerá".

Cosby foi preso em 2018 por abusar sexualmente de Andrea Constand, ex-funcionária da Universidade de Temple, nos EUA. Além do estupro de 60 mulheres, o comediante também é acusado de abuso moral e uso de drogas para facilitar assédio e outras más condutas durante as seis décadas de sua carreira. Ele cumpriu mais de dois anos da sentença total de três a dez anos em cárcere privado.

A ascensão e queda de Bill Cosby foi retratada em We Need to Talk About Cosby (nós precisamos falar sobre Cosby, em tradução livre), série documental produzida pelo canal pago Showtime. A produção de quatro episódios reúne vítimas do comediante contando histórias sobre suas experiências.

A série documental ainda não tem previsão de estreia no Brasil. Assista ao trailer (sem legendas) abaixo:

TUDO SOBRE

Bill Cosby


Leia também

Enquete

Qual o personagem mais chato de Pantanal?

Mais lidas


Comentários

Política de comentários

Este espaço visa ampliar o debate sobre o assunto abordado na notícia, democrática e respeitosamente. Não são aceitos comentários anônimos nem que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas ou criminosas. Assim, comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos, que usam palavras de baixo calão, incitam a violência, exprimam discurso de ódio ou contenham links são sumariamente deletados.